Moça que teve 80% do lábio inferior decepado por outra mulher, faz microcirurgia em Manaus

62819

Num momento de fúria, a blogueira Camila Pavanelly, uma das gêmeas ruivas, decepou o lábio de outra mulher. O caso ocorreu na noite de quinta-feira (14/02), num bar. Os dentes ficaram à mostra. Camila negou, mas o médico Gustavo Cabrera, especialista em microcirurgia reparadora, revela, com exclusividade: “A paciente perdeu de 70% a 80% do lábio inferior, por mordedura humana”.

Jovem precisou fazer microcirurgia reparadora. / Foto: Divulgação
Jovem precisou fazer microcirurgia reparadora. / Foto: Divulgação

A vítima, cujo nome foi preservado, contou com a ajuda de amigos. Foram eles que, vendo a gravidade da situação, encontraram Gustavo Cabrera. O médico, que faz inclusive reimplante de mão, se dispôs a fazer o procedimento. Ele iniciou a cirurgia reparadora às 12h30 desta segunda (18/02) e terminou somente às 17h39. A cirurgia foi autorizada pela direção do João Lúcio, que disponibilizou todo o material possível.

Médico dá detalhes da cirurgia reconstrutiva
Gustavo Cabrera fez a cirurgião de reconstrução do lábio: “Ela perdeu de 70% a 80% do lábio inferior”, disse. Sempre preservando a identidade da paciente, o médico Gustavo Cabrera falou com o Portal do Marcos Santos Confira a entrevista na íntegra:

Portal do Marcos Santos – Como e onde foi realizada a cirurgia?
Gustavo Cabrera – O procedimento foi realizado no hospital João Lúcio. A diretoria autorizou e disponibilizou todo o possível. Em meio a essa crise, a gente sempre conta com a compreensão dos diretores para resolver casos específicos. A paciente teve perda de 70% a 80% do lábio inferior. Transplantei um músculo chamado músculo grácil, da face interna da coxa. A gente o leva com uma artéria e uma veia e vai junto um nervo. Esse nervo a gente leva porque tem que uni-lo com um ramo do nervo mandibular, para poder manter movimento e continência oral. Ou seja, para que quando a paciente for se alimentar não fique babando. Parte do nosso lábio é um músculo. Esse segmento de músculo a gente transplantou para fazer esse neo lábio. A gente conecta tudo com auxílio do microscópio cirúrgico e um fio para microcirurgia muito fino, muito específico.

PMS – O João Lúcio dispunha desse material?
Gustavo Cabrera – O microscópio sim, mas os outros materiais, muito específicos, são meus, de uso privado, e os fios adquiridos pelos familiares.

PMS – Qual é o prognóstico da paciente?
Gustavo Cabrera – Essa etapa que a gente programou tem um período de 48 horas para observar, para que não ocorra trombose. Pra isso tem anticoagulante. Passadas essas 48 horas, ela poderia até ter alta. Mas ainda falta enxertar um pedaço de pele para completar e deixar tudo mais próximo da aparência do nosso lábio. Isso deve ser feito na terça ou quarta-feira, para finalizar o procedimento. É uma cirurgia mais rápida e mais simples, de uns 40 minutos. Ela precisa de antibióticos e anticoagulante e é melhor ficar no hospital. Ela está internada na enfermaria do João Lúcio.

PMS – O senhor pode afirmar que ela vai recuperar o lábio, as funções e a estética?
Gustavo Cabrera – O que a gente buscou com esse procedimento foi restabelecer a função do lábio. A questão estética, não tem como fazer exatamente igual ao que ela tinha. Mas vai ficar bem semelhante, do ponto de vista estético. O que a gente busca é a função, que contenha alimentos e líquidos e ela possa se comunicar falando normal.

PMS – Como é que os familiares e amigos chegaram até o senhor? Como o senhor foi contatado para fazer a cirurgia?
Gustavo Cabrera – Sexta (14/02) de manhã me ligaram cedo, informando que a paciente estava no 28 de Agosto e tinha sido vítima de mordedura. Isso envolveu pessoas amigas, em comum, que me ligaram. Eu disse que resolveria, mas precisava ir para o João Lúcio, por causa do microscópio cirúrgico. Do ponto de vista visual, houve uma perda de 70% a 80% do músculo orbicular. É o músculo que tem o vermelhão do lábio e a parte interna da pele. Isso tudo foi arrancado. Os cães costumam morder dessa forma e arrancam quase todo o lábio, geralmente quando mordem os donos. Nessa situação foi uma mordedura humana. Quando a gente visualiza essa situação, a única forma de reconstruir é repor o tecido. Perdeu músculo, vermelhão do lábio e pele. Transportamos o músculo enervado. A paciente estava tranquila, embora, claro, chateada pela situação. Conversamos a programação cirúrgica, riscos etc., mas ela está tranquila e está bem.

PMS – O senhor já havia feito outras cirurgias como essa?
Gustavo Cabrera – Sou cirurgião plástico e microcirurgião reconstrutivo. A gente tem casos semelhantes na clínica, no consultório. Fizemos um reimplante de mão, há quase um mês, aqui em Manaus, de um paciente que sofreu golpe de terçado. O reimplante de mão é semelhante, só que a gente tem que fixar os ossos, além dos nervos e a parte vascular. É parte da nossa rotina.

*Com informações do Portal do Marcos Santos

Comentários