Inicial Notícias Brasil Motorista de App justifica assédio citando Anitta e funkeira se pronuncia

Motorista de App justifica assédio citando Anitta e funkeira se pronuncia

3 minuto de leitura
0
775

O motorista de aplicativo, que assediou uma passageira menor de idade, tentou se defender da acusação alegando que a menina estava chamando sua atenção por estar sentada em uma posição específica e usando um short ‘tipo Anitta’.

Motorista de App justifica assédio citando Anitta e funkeira se pronuncia – Imagem: Divulgação

Logo após tomar conhecimento da declaração do homem, indignada, a funkeira se manifestou sobre o caso. “Acabei de receber este vídeo onde o motorista de uber que assediou uma passageira menor de idade tenta justificar o injustificável (seu assédio) dizendo que a menina estava usando um short ‘tipo Anitta’ e sentada numa posição favorável ao assédio. Nada justifica um assédio. A forma de se vestir, sentar, falar etc não significa qualquer autorização ou pedido ou convite a ser assediada e/ou invadida, abusada, estuprada etc”, escreveu.

Anitta aproveitou para ressignificar o que poderia ser interpretado como um “short tipo Anitta”: “Quanto à menina estar usando um short ‘tipo Anitta’, pra mim significa que ela é independente, não tem medo de ser quem ela quer e, acima de tudo, bem inteligente pra denunciar e expor um assediador para que outras meninas não passem pelo mesmo que ela”.

O que fazer caso eu seja vítima de um assédio?

Peça ajuda a quem estiver por perto e acione policiais que estiverem no local. Depois, registre um boletim de ocorrência na delegacia mais próxima. Casos assim não podem ser registrados por boletim de ocorrência online;

  • Guarde todas as informações que conseguir referentes ao assédio: anote o dia, horário e local, nome e contato de testemunhas, características do agressor, tire fotos, filme etc. Verifique também se há câmeras no local do crime, pois, a partir disso, as imagens poderão ser solicitadas. Quando fizer o boletim de ocorrência ou qualquer outro tipo de denúncia, é importante levar o maior número de provas do ocorrido. Isso inclui vídeos e fotos no celular, testemunhas, conversas em redes sociais, entre outras. As autoridades policiais precisam de material para conduzir a investigação e a depender do caso, repassar para o Ministério Público. Muitos casos não seguem por falta de provas ou falta de indícios de quem é o autor
  • Infelizmente, é comum o uso de drogas como “Boa Noite Cinderela” e outras para que a vítima fique sonolenta e mais suscetível ao estupro. Caso o abuso tenha ocorrido através desta prática, é importante que a vítima faça o Exame Toxicológico (através de exame de sangue e urina) em no máximo 5 dias após a ingestão. O ideal é realizar o exame o quanto antes possível;
  • Você pode fazer uma denúncia pelos telefones da Polícia Militar (190) e do Disque 180;
  • É importante ressaltar que a autoridade policial não pode se recusar a registrar a ocorrência. Infelizmente, há casos em que a autoridade policial tenta dissuadir a vítima de fazer o boletim.

Mas caso isso aconteça, registre uma reclamação na ouvidoria do órgão em que ocorreu a recusa. Sendo ineficaz, procure o Ministério Público local para denunciar a recusa e o crime.

Entenda o caso: Jovem que ia à bloco de carnaval em Manaus denuncia assédio de motorista de aplicativo

Comentários

Carregue Mais Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta