Mulher se revolta e faz postagem cobrando Justiça depois de ser espancada e ex-marido ser solto

177

No √ļltimo 5 de mar√ßo, a rondonopolitana Angela Dias fez uma postagem em seu perfil no Facebook denunciando a agress√£o que sofreu de seu ex-marido, Val√©rio Ant√īnio Alves, em Rondon√≥polis (a 218 km de Cuiab√°). O homem¬† chegou a ser preso em flagrante, mas acabou sendo solto por uma ju√≠za que teria argumentado que o suspeito ainda n√£o foi sentenciado. Revoltada, ela decidiu compartilhar a hist√≥ria. A Justi√ßa, no entanto, proibiu que o suspeito se aproxime da v√≠tima.

De acordo com Angela, a agressão aconteceu no dia 5 de março. Ela e o ex-marido já estavam separados há mais de 1 ano e 4 meses e então tiveram a discussão. A vítima disse que procurou a Polícia Civil e o agressor foi preso no mesmo dia.

Ela conta que, no entanto, um juiz decidiu pela soltura do ex-marido, argumentando que o homem não ameaçou a vítima. indignada, Angela ainda questionou a efetividade da lei Maria da Penha e disse estar revoltada com o Fórum de Rondonópolis.

‚ÄúMuitas vezes a sociedade diz q a mulher n√£o den√ļncia. Mas quando denunciamos o canalha, sai impune. Mas estou aqui porque eu quero justi√ßa e quero q voc√™s me ajudem na divulga√ß√£o pra colocar esse canalha na cadeia, j√° que o juiz de Rondon√≥polis soltou‚ÄĚ, diz a v√≠tima.

Ao final do texto Angela ainda aconselha as mulheres a n√£o terem medo e denunciarem as agress√Ķes que sofrerem. ‚ÄúVamos mostrar que podemos sim requerer Justi√ßa atrav√©s das redes sociais. Vamos compartilhar at√© a justi√ßa ser feita‚ÄĚ, desabafou.

A postagem já obteve mais de 460 compartilhamentos. Nos comentários os amigos de Angela também manifestaram sua revolta e seu apoio à vítima.

O suspeito Val√©rio Ant√īnio Alves passou por audi√™ncia de cust√≥dia no dia da pris√£o e a ju√≠za Maria Mazarelo Farias Pinto, da Vara Especializada de Viol√™ncia Dom√©stica e Familiar Contra a Mulher, concedeu liberdade provis√≥ria ao ex-marido da v√≠tima por n√£o encontrar ‚Äúfatos que demonstrem a necessidade do indiciado permanecer segregado para a garantia da ordem p√ļblica‚ÄĚ.

Na decis√£o a ju√≠za alega que ‚Äúa liberdade provis√≥ria √© a regra, sendo a pris√£o medida de exce√ß√£o, que deve ser aplicada com parcim√īnia‚ÄĚ e que o suspeito s√≥ deve ser preso ap√≥s a senten√ßa.

‚ÄúA pris√£o processual, por sua natureza necessariamente cautelar, n√£o pode ser determinada pela esp√©cie ou pela suposta gravidade do delito atribu√≠do ao indiciado, at√© porque a efetiva ocorr√™ncia do delito, por maior que seja a probabilidade desta ocorr√™ncia, s√≥ poder√° passar do terreno das hip√≥teses para o plano concreto quando da cogni√ß√£o definitiva do m√©rito, a ser feita no momento da senten√ßa‚ÄĚ.

No entanto, a juíza decidiu que Valério deve comparecer bimestralmente em Juízo, para justificar suas atividades e local de moradia, mas também está proibido de se aproximar da vítima, manter contato com a vítima ou frequentar a residência dela, de seus familiares, residência das testemunhas e o local de trabalho dela.

Val√©rio Ant√īnio Alves/ Reprodu√ß√£o Facebook
Val√©rio Ant√īnio Alves/ Reprodu√ß√£o Facebook

Coment√°rios