Na faixa azul, aposentada morre após ser atropelada por ônibus articulado.

42316

Mais uma vida é ceifada na Avenida Constantino Nery, há quem diga que essa terceira morte não signifique nada e que poderia ter sido em qualquer canto, há quem tenha o bom senso e saiba que de fato é mais uma vítima de um sistema de transporte falido e culpa de uma prefeitura omissa à população e que deverá pagar caro em ano de reeleição.

Mais quantas vidas serão levadas até que o Prefeito de Manaus tenha humildade de admitir que esse sistema é inviável no momento e que além de atrapalhar 90% dos usuários de transporte coletivo, afinal só beneficia alguns usuários de transporte coletivo, ele foi implantado de modo incoerente e inconsequente.

Abaixo a matéria do D24AM

Conforme a Cicom, o veículo articulado da linha 500 pertencente à empresa Eucatur, trafegava na Faixa Azul e não conseguiu frear a tempo. Foto: Jair Araújo
Conforme a Cicom, o veículo articulado da linha 500 pertencente à empresa Eucatur, trafegava na Faixa Azul e não conseguiu frear a tempo. Foto: Jair Araújo
Loading...

Manaus – Um ônibus articulado atropelou e matou, na tarde deste domingo (29), a aposentada Maria Núbia Silva Lima, de 75 anos. O acidente, segundo informações da 22ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), ocorreu enquanto a aposentada atravessava a faixa de pedestres, na Avenida Constantino Nery, em frente à Escola Estadual Sólon de Lucena.

Conforme a Cicom, o veículo articulado da linha 500 pertencente à empresa Eucatur, trafegava na Faixa Azul e não conseguiu frear a tempo. Maria Núbia é a terceira pedestre atropelada na Avenida Constantino Nery desde a implantação da Faixa Azul.

Com suspeita de traumatismo, segundo o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), Maria Núbia foi encaminhada para o Pronto-Socorro Dr. João Lucio, na zona leste da capital.

Conforme informações da assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Saúde (Susam), Maria Núbia chegou ao hospital com vida, mas bastante machucada. Por volta das 17h, a assessoria comunicou a morte da aposentada.

O condutor do ônibus, Lindomar Ijuna da Rocha, de 32 anos, segundo informações da tenente da 22ª Cicom, Danielle Marinho, foi encaminhado à delegacia da área para prestar esclarecimentos.

“Segundo o motorista e algumas testemunhas que estavam no local, o sinal estava verde para os veículos, mas um carro havia parado dando passagem para a senhora. Quando o motorista do ônibus percebeu não teve tempo para frear completamente e atingiu ela”, informou a tenente.

Segundo uma das testemunhas do acidente, o vigilante Natanael Santana, de 53 anos, a aposentada foi arremessada a uma distância de cinco metros da faixa de pedestres.

Atropelamentos

Até fevereiro deste ano, 31 pessoas morreram atropeladas, em Manaus. Em média, uma vítima fatal a cada dois dias. De acordo com os dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP), o número é superior a todo o ano de 2013, quando foram registrados 21 casos de vítimas fatais; e representa 38% das vítimas de atropelamento registradas no ano passado (82).

Somente neste ano, duas pessoas já morreram após serem atropeladas na Avenida que possui a Faixa Azul, entre eles o aposentado Orinaldo Ferreira Lima, 59 que foi atropelado por um ônibus do Bus Rapid System (BRS) de placa OAB 5615. O aposentado foi a segunda vítima fatal atropelada na faixa exclusiva.

O médico urologista João Leandro de Oliveira, de 69 anos, também morreu após ser  atropelado na mesma via, mas desta vez o acidente ocorreu em frente ao Empório Santa Fé. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Na época, um táxi modelo Idea, de placa OAA-6768, estava envolvido no acidente, mas o motorista alegou que o responsável pelo atropelamento guiava outro veículo.

A SSP também realiza o registro de acidentes não fatais, em que a vítima do atropelamento sofreu apenas lesões corporais. Conforme os dados do órgão, até fevereiro 2015, 41 pedestres ficaram lesionados após colidirem com veículos na capital. Em todo ano passado, 283 pessoas ficaram na mesma situação.

Faixa Azul

Após os dois primeiros acidentes, o corredor exclusivo de ônibus na Avenida Constantino Nery passou a ter a velocidade máxima de 50 quilômetros por hora. De acordo com o Instituto Municial de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) a medida é específica na Faixa Azul e “visa garantir mais segurança viária”.

Texto: Gisele Rodrigues e Jucélio Paiva

Comentários

comentários