Home Notícias Política Nova Lei do Gás Natural é aprovada na Câmara Federal e Amazonas segue sem nova regulamentação do setor

Nova Lei do Gás Natural é aprovada na Câmara Federal e Amazonas segue sem nova regulamentação do setor

2 minutos lido
128
Foto: Reprodução

Com 351 votos à favor e 101 contra, o Projeto de Lei (PL) 6407/2013 da Comissão de Minas e Energia (CME) da Câmara dos Deputados, conhecida como a Nova Lei do Gás do Brasil foi aprovado nesta terça-feira (1º), no entanto, o Estado do Amazonas ainda não tem uma nova legislação para quebrar o monópolio da Companhia de Gás do Amazonas (Cigás). O texto do PL vai agora para análise do Senado Federal.

O texto foi aprovado conforme o Substitutivo que já tinha sido aprovado na CME no ano passado. As sugestões de alterações (que foram feitas pelas distribuidoras, tentando manter o monopólio) foram rejeitadas.

De acordo com o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado Josué Neto (PRTB), a aprovação da Nova Lei do Gás na Câmara dos Deputados é uma vitória para o Governo Federal, ao presidente Jair Bolsonaro, Ministérios de Minas e Energia, e Economia, e do povo brasileiro. Segundo o parlamentar, a proposta vai elevar a renda média, diminuir a pobreza, diminuir o custo do gás, ganho de royalties, possibilitará aumento da oferta e redução do custo do produto e atrair investimentos de mais de R$ 43 bilhões para o Brasil nos próximos anos.

“O Assembleia Legislativa do Amazonas está esperando uma nova lei do gás do Governo do Amazonas. Temos que quebrar esse monópolio de gás para atrair multinacionais e empresas nacionais”, disse Josué, lembrando que 16 blocos exploratórios de gás no Estado do Amazonas estão aptos para serem explorados, no entanto, o Amazonas não tem uma nova norma.

Em abril deste ano, Josué Neto criou o Projeto de Lei (PL) 153/2020, conhecido como a “Nova Lei do Gás do Amazonas”, que foi aprovado na Assembleia Legislativa do Amazonas e vetado pelo Governo do Amazonas, argumentou haver inconstitucionalidades na proposta. O Executivo criou uma Comissão para elaborar uma nova proposta, mas ainda não enviou ao Parlamento.

História
Durante a campanha para o Governo do Estado de 2018, Wilson Lima prometeu que abriria o Mercado de Gás. Em 2019, durante a Mensagem Governamental no plenário Ruy Araújo e em uma reunião da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Lima também fez a promessa de quebrar o monópolio do mercado do gás no Amazonas. No último dia 10 de agosto deste ano, Wilson Lima prometeu, que em um mês enviaria uma lei do gás. O prazo vence no dia 10 de setembro.

Novo Mercado de Gás
A Nova de Lei de Gás aprovada na Câmara dos Deputados está alinhada ao Programa Novo Mercado de Gás, do Governo Federal, que visa um mercado de gás natural aberto, dinâmico e competitivo, promovendo condições para redução do seu preço, e com isso contribuir para o desenvolvimento econômico do país.

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Roger Siqueira
Carregar Mais Em Política

Deixe uma resposta

Leia Também

Comissão de Ética da ALEAM pode cassar mandato de Joana Darc

O relatório da matéria que analisa ação contra a deputada Joana Darc (PL), está agora sob …