Novo Airão

1234

Novo Airão está localizada a mais ou menos 200 km de Manaus, agora chegar a cidade ficou muito fácil através da Ponte Rio Negro, que também se tornou um ponto turístico, eliminando o antigo sistema de balsas e as desgastantes horas de espera nas filas que existia nos finais de semana. Você também pode optar de ir de ônibus saindo em diversos horários da rodoviária de Manaus.

Novo Airão
Novo Airão

Uma das maiores atrações turísticas de Novo Airão é o encontro e a interação com os botos (golfinhos da água doce) que aparecem constantemente na margem da cidade e principalmente no flutuante da Dona Marilda. Há alguns anos, essa senhora e as suas filhas começaram a alimentar os botos que de vez em quando chegavam próximo às margens do rio, os botos gostaram tanto do agrado que passaram a voltar constantemente. Hoje em dia, vários turistas visitam regularmente Novo Airão para alimentar e ver de perto esse animal tão lindo e exótico da fauna amazônica. A entrada no flutuante custa R$10,00 por pessoa.

Além dos botos, Novo Airão possui outros atrativos turísticos como o Parque Nacional de Anavilhanas e o Parque Nacional do Jaú, além do balneário do Mato-Grosso localizado antes da cidade.

Aspectos Históricos

As penetrações de estrangeiros no Rio Negro começaram em 1645, com a bandeira de Bartolomeu Barreiros de Ataíde, que traziam instruções do Governador Luiz Magalhães de descobrir o “rio do ouro”.
Há, todavia, duas versões sobre a origem do primeiro núcleo de povoamento em terras do município de Airão, as quais eram habitadas primitivamente pelos índios Uaimiri, Atroaí, Crichanã, Carabinari e Jauaperi.
A primeira versão diz que numa das bandeiras dos Jesuítas, saídas do Maranhão, a primeira em 1657 e a segunda no ano seguinte, foi fundada a “missão dos Tarumãs, que, depois de passar por vários incidentes transmudou-se na missão da Foz do Jaú, sob a proteção de Santo Elias”.

A segunda versão informa que Pedro da Costa Favela, no comando de uma tropa de resgate e o Frei Teodósio da Veiga, da ordem dos Mercês, vieram ao Rio Negro guiados pelos Aroquis que habitavam o rio Urubu e fundaram em 1668, nas proximidades do riacho Aruim, uma povoação que anos depois, foi transferida para a Foz do Rio Jaú, com a denominação de Santo Elias do Jaú.

Como se vê, ambas as versões, dão como o primeiro núcleo do povoamento a Missão de Santo Elias do Jaú. Divergem, no entanto, quanto à primitiva localização e sobre a data da fundação.
Tudo indica que haja sido a missão ou a aldeia de Santo Elias do Jaú o segundo ou terceiro núcleo de povoamento organizado pelos portugueses em terras amazonenses.

Em 1759, a aldeia de Santo Elias do Jaú foi elevada à categoria de Lugar, com a denominação de Airão, por Joaquim de Melo Póvoas, primeiro Governador da Capitania de São José do Rio Negro.

A denominação de Jaú originava-se do rio do mesmo nome, próximo a cuja foz está situada a localidade; a de Airão foi aplicada em observância à política iniciada por Mendonça Furtado de dar às povoações amazonenses nomes portugueses. Assim, aconteceu, também, por exemplo, com as aldeias de Abacaxis (atual Itacoatiara) e Saracá, que na mesma época passaram a denominar-se Serpa e Silves, respectivamente.

Em 1833, quando da criação da Comarca do Alto Amazonas, figura Airão, como Freguesia ou Colégio Eleitoral pertencente ao Termo de Manaus.

A Lei Provincial nº 92, de 06 de novembro de 1858, reduziu o número de freguesias da Província, excluindo alguns, dentre eles a de Airão.

Permaneceu Airão mais de um século sem nenhuma alteração em sua história e sem, também, apresentar quase nenhum progresso, quando em 1938, foi transformada em sede de distrito do mesmo nome, integrada no município de Manaus pela Lei Estadual nº 96, o distrito de Airão é desmembrado de Manaus, passando a constituir o município Autônomo de Novo Airão e sendo sua sede elevada à categoria de Cidade.
Em 10.12.1981, pela Emenda Constitucional nº 12, Novo Airão perde partes de seu território em favor dos novos municípios de Moura e Presidente Figueiredo.

Limites

  • Município de Presidente Figueiredo
  • Município de Manaus
  • Município de Iranduba
  • Município de Manacapuru
  • Município de Caapiranga
  • Município de Codajás
  • Município de Barcelos
  • Estado de Roraima

Localização: 7º Sub-Região – Região do Rio Negro – Solimões

Altitude: 40 m acima do nível do mar.

Área Territorial: 38.706 Km²

Temperatura Média: 26º C

Acesso: Via Fluvial
Via Terrestre

Distância

  • Em linha reta entre Novo Airão e a Capital do Estado, 115 Km.
  • Por via fluvial entre Novo Airão e a Capital do Estado, 143 Km. (8h)
  • Por via terrestre entre Novo Airão e a Capital do Estado, 180 Km. (5h)

Atividades Econômicas

  • Setor Primário

Agricultura: incipiente, com predominância para as culturas temporárias onde destacam-se a mandioca, vindo a seguir arroz, feijão, cana-de-açúcar, malva e sorva. Dentre as culturas permanentes destacam-se mamão, abacate, laranja, tangerina, limão, cupuaçu, graviola, cacau, coco, tucumã, melancia e pupunha.
Pecuária: com a criação de bovinos e suínos, mas não possui representatividade na formação econômica do setor.
Pesca: é praticada em escala relativamente grande, dentre as espécies existentes destacam-se: jaraqui, tucunaré e o pirarucu, tartaruga e jacaré.
Avicultura: resume-se ao criatório doméstico de galinhas, cuja produção é voltada para o consumo familiar.
Extrativismo Vegetal: mantém o setor primário e se processa através da exploração de seringa, madeira, sorva e castanha, abundantes na região. Merecem citação também as gomas não elásticas.

  • Setor Secundário

Indústrias: estaleiros, serrarias, olaria e padarias.

  • Setor Terciário

– Comércio: varejista e atacadistas
– Serviço: hotel e pensões.

Eventos

  • Festejos de Santo Ângelo – Padroeiro da Cidade (27.04 à 25.05)
  • Festival de Música Popular Airãoense (29 à 30 de agosto)
  • Festival do Peixe-Boi (último final de semana do mês de outubro)
  • Festival de Verão (17 de novembro)
  • Aniversário do Município (19 de dezembro)
  • Festa de São Sebastião (19 de janeiro)
  • Festa de São Pedro (29 de junho)
  • Festival da Canção (julho – data móvel).
  • Festival Ecológico (data móvel)
  • Festa do Peixe-boi outubro (data móvel).
  • Festival Folclórico (junho)

Riquezas Naturais

• A flora, embora não tão rica como na maioria dos municípios amazonenses, destacam-se: seringueira (hevea brasiliensis) e castanha-do-pará (Bertholletia excelsa). A sua fauna também é relativamente importante, principalmente a aquática, com peixes de várias espécies, destacando-se o pirarucu (podocnemis expensa); e quelônios, como tartarugas (Podocnemis unifilis) e tracajás.

Atrativos Turísticos

  • Como atrativos turísticos naturais destacam-se os rios: Negro, Jaú, Jauaperi, Carabinani; os lagos e Igarapés: constituem opções de lazer habituais, nas modalidades de passeios e piqueniques; cachoeira: no Rio Carabinani e Formação de Rochosas da Fazendinha; praias: Praia Grande e do Meio.
  • Como atrativo cultural histórico, Novo Airão apresenta sua antiga sede administrativa referida como velho Airão ou Airão velho, encontram-se ruínas do final do século XIX e um construção religiosa , em pedra, dedicada a Santo Elias do Jaú.

 

Recomendo a visita nesses 2 links a seguir : Conhecendo Novo Airão e Conhecendo Novo Airão parte 2

Comentários

comentários

Loading...