Home Notícias Política Novo pedido Impeachment contra Wilson Lima e vice Carlos Almeida é apresentado por improbidade

Novo pedido Impeachment contra Wilson Lima e vice Carlos Almeida é apresentado por improbidade

5 min - tempo de leitura
82

Após revelações de depoimentos no âmbito da Operação Sangria 2, em outubro, apontando a participação direta do governador do Estado, Wilson Lima (PSC) na compra superfaturada de respiradores para pacientes de Covid-19, o presidente do Conselho Regional de Administração do Amazonas (CRA-AM), Inácio Guedes Borges, e o presidente do Conselho Regional de Economia do Amazonas (Corecon-AM), Francisco de Assis Mourão Junior ingressaram, nesta terça-feira (17), com uma denúncia com pedido de impeachment do governador na Assembleia Legislativa do Estado (ALE).

Governador do Amazonas, Wilson Lima, e vice, Carlos Almeida- Imagem: Divulgação

A informação foi publicada nesta quarta-feira pelo jornal Diário do Amazonas. O presidente do Corecon, Francisco Mourão Junior, disse que a denúncia apresentada terça-feira, reforça outro pedido de impeachment protocolado em maio. “Acrescentamos novas informações reveladas com a deflagração da Operação Sangria 2, em outubro”, explicou.

Com base nas declarações, os representes dos conselhos defendem o afastamento do chefe do Executivo. “É incontestável os fatos apresentados e a permanência do governador no cargo de Chefe do Executivo Estadual do Amazonas é algo impensável e insustentável mediante todas as acusações e provas. O Amazonas agoniza na mão de gestores corruptos, inescrupulosos. Os cidadãos desta terra não conseguem mais conviver com tamanha falta de seriedade, honestidade e comprometimento”, afirmam no documento.

O pedido de impeachment de Wilson Lima cita o depoimento dado ao delegado da Polícia Federal (PF) Alexandre Montenegro de Albuquerque, da Delegacia de Repressão a Corrupção e Crimes Financeiros, pelo ex-secretário Rodrigo Tobias, revelando que, em 3 de abril (à noite), ele se encontrou com o governador no Aeroporto de Manaus para receber uma carga de respiradores vindo do Rio de Janeiro.

O CRA-AM e o Corecon pedem a instauração do processo de impeachment do governador em razão da “farta comprovação da prática de crime de responsabilidade e improbidade administrativa”.

“Ao final, sendo respeitado o amplo direito de defesa e contraditório, que seja o Excelentíssimo Senhor Governador do Estado do Amazonas, Wilson Miranda Lima condenado, politicamente, sendo declarado seu necessário impeachment para continuar exercendo a Chefia do Executivo do Estado do Amazonas, reconhecendo-se, assim, os comprovados motivos apontados nesta inicial, para o efeito de colocar fim a situação caótica, vexatória, vergonhosa em que se encontra o Estado que deixa todos os cidadãos descrentes em relação aos poderes que regem a Republica Brasileira, que a tão sonhada justiça seja feita e que o Estado do Amazonas saia da lama em que está afundado e que essa Casa, que representa os anseios da população do Amazonas, possa dar a resposta que a sociedade espera!”, diz o documento.

Em agosto, a Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE) arquivou, por 12 votos a favor, 6 votos contra e 5 abstenções o pedido de impeachment do governador do Estado Wilson Lima (PSC) e do vice-governador Carlos Almeida Filho. Um parlamentar não participou da sessão.

Votaram CONTRA O IMPEACHMENT:

Abdala Fraxe

Adjuto Afonso

Dr. Gomes

Alessandra Campelo

Augusto Ferraz

Belarmino Lins

Cabo Maciel

Carlinhos Bessa

Joana Darc

Roberto Cidade

Saulo Vianna

Terezinha Ruiz

Votaram a FAVOR DO IMPEACHMENT:

Alvaro Campelo

Dermilson Chagas

Josué Neto

Serafim Corrêa

Wilker Barreto

Delegado Péricles

Se ABSTIVERAM DE VOTAR:

Fausto Junior

Felipe Souza

João Luiz

Sinésio Campos

Ricardo Nicolau

AUSENTE:

Mayara Pinheiro

Fonte: 18horas.com.br

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por No Amazonas é Assim
Carregar Mais Em Política

Deixe uma resposta

Leia Também

Deputados estaduais do AM emitem nota de repúdio sobre acusações da Deputada Joana D´Arc

Nesta sexta-feira (4/12), 16 Deputados estaduais do Amazonas emitiram nota repudiando as d…