O Amazonês

20370

Cada vez mais deixamos de usar nossa rica língua amazonense, expressões que caem no esquecimento ou por pavulagem ou por pura piema de ensinar para os mirins. Uns ousam dizer que essas palavras são do tempo do ronca sem ao mesmo saber o que isso significa.

Se conhece bem o amazonês então não terá dificuldades de entender todas as expressões dessa bolsa em amazonês. Entendeu do rocha ou tu é só agá?

Bolsa Magrela em Amazonês
Bolsa Magrela em Amazonês

Expressões e termos usados no Amazonas


O AUTOR

Sérgio Augusto Freire de Souza é amazonense de Manaus, professor da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Mestre em Letras pela própria UFAM e Doutor em Lingüística pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Publicou dois livros. O primeiro, em co-autoria, foi a série Citizen 2000, pela Editora Novo Tempo. A série didática foi utilizada por anos pelos alunos do ensino médio da rede pública do Amazonas, tendo sido reformulada em 2004 e rebatizada de New Citizen. O segundo livro, Conhecendo Análise de Discurso: linguagem, sociedade e ideologia, apresenta uma introdução à área de Análise de Discurso e foi publicado pela Editora Valer.

O autor tem publicado artigos em vários periódicos impressos e on-line e apresentado trabalho em encontros e congressos, além de proferir palestras em várias instituições. Suas áreas de interesse na linguística são a Análise de Discurso, Produção de Material Didático, Aquisição de Linguagem e Informática e Ensino de Línguas. Mais recentemente ampliou seu interesse por Gestão da Educação Pública.

É casado com Fabiana Eid e pai de Ana Clara e de Marina. Em seu site pessoal (www.sergiofreire.com.br) podem ser encontradas mais informações e outros textos do autor, como suas crônicas, muitas publicadas em jornais locais.

Já à venda nas livrarias Saraiva,Valer, Nobel e LUA.

Dicionário de Amazonês

A COMO? : Quanto custa?

A LA VONTÉ : Como queira.

A PERIGO: Sem dinheiro; estar há muito tempo sem manter relações sexuais.

A PRÓPRIA: A tal, a boa, a melhor.

A PULSO: Forçado, obrigado, na marra.

A RETALHO: No varejo.

ABACABA; BACABA: Palmeira que dá frutos oleosos e comestíveis para vinho ou mingau; mentira.

ABACABEIRO; BACABEIRO: Mentiroso.

ABACATADA : Vitamina de abacate.

ABAFAR; ABISCOITAR: Apropriar-se de bens alheios, afanar.

ABANCAR-SE: Sentar.

ABARROTADO : Cheio demais.

ABESTADO; ABESTALHADO; ABIROBADO;ATULEIMADO;BOCÓ: Imbecil.

ABIO;ABIU: Fruto arredondado de casca amarela, polpa gelatinosa, translúcida ou ligeiramente brancacenta, com sabor adocicado e de grande delicadeza. Encontrado em grande número em estado silvestre na Amazônia. Após comê-lo, os lábios ficam grudentos.

ABOBRINHA: Besteira, coisa sem importância.

ABRICÓ : Fruta de origem oriental do tamanho de uma manga grande, redondo, sabor ácido-adocicado, lembra mesmo os abricós do Oriente, de onde veio no século XVIII.

ABUSO : Nojo.

AÇAÍ : Palmeira altamente ornamental, de múltiplos troncos de até 5 m de altura, levemente curva e apresentando raízes visíveis na base, caule liso. Seus frutos nascem em cachos em número de três a oito por planta. Sua freqüência no Baixo Amazonas chega a tal ordem que produz populações homogêneas. Sua regeneração é extraordinariamente grande mesmo sendo abatida vorazmente pela indústria de palmito. Floresce quase o ano inteiro, porém predominando de setembro a janeiro. A maturação de seus frutos verifica-se durante a maior parte do ano, com maior intensidade nos meses de julho-dezembro. Altamente energético.

ACESUME; ATIRAMENTO; ENXERIMENTO: Assanhamento.

ACHAR GRAÇA Rir, sorrir.

ACHO É BOM! : Bem-feito!.

AÇO : Bebida alcoólica.

ACOCHAR : Agarrar alguém com intenções sexuais; Cobrar.

ACOITAR: Encobrir namoro de um casal.

ACONTECIDO: Fato..

ACREANA: Mulher fogosa.

-AÇU : Sufixo de composição que significa de grande porte.

ACUAR: Recolher-se sem chance de defesa.

ACUNHAR: Envolver-se amorosamente.

ADUBAR: Bajular com alguma intenção.

AFOBADO: Apressado, impaciente.

AFOLOSADO: Frouxo, largo.

AFRONTADO: Satisfeito, cheio, empanzinado, empanturrado.

AGÁ: Arranque, falso propósito.

AGARRO: Namorar despudoradamente.

AGONIADO: Nervoso, inquieto.

AGORINHA: Há pouquíssimo tempo.

AGUAPÉ: Vinho ralo, com adição de água.

AJUNTAR: Apanhar o que está no chão. .

AJUNTAR-SE; AMANCEBAR-SE; AMASIAR-SE; AMIGAR-SE: Viver junto,sem ser casado.

ALCOVITAR: Encobrir namoro de um casal.

ALCOVITEIRO; CUVITEIRO: Aquele que encobre um casal de namorados.

ALEGAR: Dar algo a alguém e depois humilhá-lo.

ALGUIDAR : Vaso de barro ou de metal, baixo, em forma de tronco de cone invertido, e com diversos usos domésticos, inclusive armazenagem e na fabricação do tucupi.

ALMENO: Pelo menos.

ALOCÉ: Distraído.

ALOPRADO: Exagerado.

ALPERCATA: Sandália.

ALTEAR: Aumentar o volume.

ALUÁ: Bebida fermentada, feita a partir do arroz, do milho ou do abacaxi.

ALUADO: Chateado, emburrado.

ALUMIAR: Iluminar.

AMARELO EMPOMBADO: Indivíduo fraco, de aparência frágil.

AMO-DO-BOI: Cantador de toada no Boi-Bumbá.

AMUADO: Emburrado, mal-humorado.

ANDAR NA PINDAÍBA; DURO; LISO: Sem dinheiro.

ANDIROBA: Árvore cuja madeira é resistente e da qual se extrai o óleo (cruz-de-andiroba, carma pesado).

ANEL DE COURO;TOBA: Cu.

ANGU : Confusão.

ANHANGÁ : Diabo, espírito do mal.

APARAR : Cortar; pegar o papagaio no ar, após cortar.

APERREADO: Apressado, muito nervoso, sem saber o que fazer diante de uma situação difícil.

APERREAR; APORRINHAR: Chatear.

APLUMAR : Arrumar.

APODERAR-SE: Apossar-se de algo sem permissão.

APOFIAR: Apostar.

APRESENTADO: Metido a besta.

APROCHEGAR-SE: Aproximar-se.

ARAÇÁ-BOI: Fruta com cheiro adocicado . Com sua polpa amarelada é possível preparar sucos e doces deliciosos. O araçá-boi é da mesma família da goiaba e frutifica precocemente, já aos dois anos. As sementes apresentam dormência natural, demorando várias semanas para germinar.

ARAPUCA: Armadilha para caçar feita de madeira, em forma de pirâmide.

ARDOROSO: Ardido.

ARENGAR: Implicar, brigar..

ARIAR: Lavar a louça com palha de aço ou areia.

ARIGÓ: Cearense.

ARISCA : Pessoa difícil de envolver nos planos.“

ARMADOR: Gancho para pendurar a rede de dormir.

ARMAR: Paquerar.

ARRAIAL: Comércio de comidas típicas e atividades sócio-culturais para promover um evento ou uma causa.

ARRANCA-TOCO: Valentão.

ARRANQUE; GOGÓ: Blefe..

ARRASTAR ASA: Paquerar, dar em cima de alguém.

ARREDAR: Deslocar-se, mover-se para o lado para abrir espaço.

ARREGAÇAR: Detonar, destruir.

ARREMEDAR: Imitar jocosamente.

ARRENTE: A gente, nós..

ARRIAR: Pôr uma carga pesada no chão.

ARROMBADO: Muito bom.

ARRUDEAR: Dar a volta.

ARRUMAÇÃO: Invenção desnecessária.

ARUÁ : Ingênuo.

ASA DURA: Avião.

ASSANHAR: Bagunçar, despentear o cabelo; mexer com o que está quieto.

ASSEAR: Limpar, tomar banho.

ASSUNTAR: Ficar atento à conversa alheia.

ATAR: Pendurar a rede de dormir no armador..

ATARRANCADO: Sujeito baixo, forte e maceta.

ATÉ O TUCUPI;ATÉ O TALO;ATÉ O TOCO;ATÉ O TCHOCO: Até o máximo possível.

ATÉ PARECE: Indica dúvida, incredulidade.

ATENTADO: Muito danado, inquieto, levado.

ATENTAR: Perturbar.

ATOCHAR; Fazer entrar à força, encher demais.

ATOLADO: Em dificuldades.

ATRÁS DE :Em busca de, à procura de.

AVALIE :Quanto mais.

AVIAR: Apressar.

AVOADO: Disperso, desconcentrado..

AZARAR Ficar, namorar, paquerar.

AZUNHAR Arranhar com as unhas.

BABÃO; BABA-OVO: Puxa-saco.

BABAU; SABACU: Punição que um grupo confere a alguém por um malfeito. Todos batem com as mãos, ao mesmo tempo, na cabeça do indivíduo. “Fez besteira. Vai levar um babau por isso!” .Prejuízo total, perda irrecuperável de alguma coisa.

BABITA: Dinheiro.

BABUGEM : Resto de comida.

BACIO: Penico.

BACULEJO: Batida policial com revista geral.

BACURAU: Pássaro noturno.

BACURI : Fruta de polpa branco-amarelada e perfumada que oferece um dos sabores mais sutis e originais da Amazônia. Dificilmente encontrável in natura fora da região, mas encontrável em polpa em conserva para sucos e doçaria. Porquinho pequeno. Menino.

BAFAFÁ; BADERNA; ROLO: Confusão.

BAGACEIRA: Noitada.

BAIACU: Pessoa gorda.

BAIÃO-DE-DOIS : Arroz e feijão-de-praia com peixe frito.

BAITOLA; BOIOLA: Viado.

BAIXA-DA-ÉGUA: Lugar para onde se manda quem está chateando. Lugar distante.

BAIXAR O SARRAFO: Açoitar violentamente, surrar.

BAJARA: Canoa.

BALA DA VIDA: Muito chateado.

BALA: Bombom. Guloseima de confeitaria, em geral de chocolate, contendo, às vezes, recheio de cupuaçu ou castanha.

BALADEIRA: Estilingue feito com forquilhas de goiabeira e tiras de borracha de câmara de ar. “ Rede de dormir.

BALDEAR : Lavar algo usando um balde para transportar a água. Vomitar.

BALSA : Embarcação de aço que serve para fazer a travessia de um lado a outro do rio.

BANDAR : Dividir ao meio.

BANHO: Balneário.

BANHO TECHO: Banho rápido, em que só se lava as partes íntimas.

BANHO-DE-CUIA: Gíria futebolística: lençol, situação em que o jogador, com um leve toque, passa a bola sobre o corpo do adversário e pega do outro lado. Banho com o auxílio de uma cuia feita de cabaça-do-mato (árvore que produz cabaças).

BANZEIRO: Pequena onda que se forma nos rios amazônicos por causa do movimento dos barcos semelhante à onda do mar.

BAQUE: Jeito.

BAQUEADO: Doente, fora do normal.

BAR DO BOI: Festa organizada pelos bumbas em Manaus para arrecadar dinheiro para o Festival de Parintins.

BARCA : O povo, todo mundo.

BARGUILHA: Braguilha, zíper.

BARRA-BANDEIRA: Brincadeira infantil em que dois grupos disputam uma bandeira ou outro objeto.

BATE-BOCA : Discussão acalorada.

BATE-FOFO; FURÃO: Aquele que falta a um compromisso ou não cumpre um acordo.

BATELÃO: Barco de madeira para transporte de passageiros e cargas.

BATENDO BIELA: Com defeito; exausto.

BATER À MÁQUINA: Datilografar.

BATER CAIXINHA : Ajudar alguém a conquistar uma pessoa.

BATER PERNA: Andar muito.

BATORÉ: Baixinho.

BEIJU: Biscoito chato, leve e fino feito com a massa da mandioca.

BEIRADEIRO: Habitante das margens do rio.

BEM-FEITA: Diz-se da pessoa com um corpo bonito.

BEM-MANDADO: Obediente, submisso, disciplinado.

BENÇA: Bênção.

BENZEDURA: Modo de curar “quebranto” ou “mau-olhados” através de orações.

BERADEIRO;BEIRADÃO: Gente do interior.

BERIMBELO: Objeto que não tem nome e que balança.

BIBOCA : Lugar esquisito, de difícil acesso.

BICÃO : Penetra.

BICHEIRA: Ferida causada pelo parasitismo de insetos.

BICHEIRENTO : Sujeito a bicheiras.

BICHO: Animal ; muito bom.

BICO: Serviço temporário informal.

BICUDO: Amuado, zangado.

BILHA: Objeto de barro feito para guardar água.

BILORA;PASSAMENTO: Desmaio, mal-estar.

BILOTO : Botão. Saliência carnosa, verruga.

BIQUEIRA: Próximo, perto de.

BIRIBUTES: Coisas penduradas.

BIRRENTO: Aquele que implica à-toa com outras pessoas.

BOBÓ: Carne do pulmão de boi.

BODADO: Com muito sono, cansado. Bêbado. Chateado.

BODÓ: Peixe cascudo, bom para caldeirada.

BODOZAL: Bairro pobre, periferia.

BOI : Festa realizada em Parintins em que se enfrentam dois bois, o Garantido (Vermelho) e o Caprichoso (Azul). Em Manaus, nos meses que antecedem o Festival, que acontece no fim de junho, há os ensaios conhecidos como Currais do Boi.

BOITATÁ: Mito amazônico cujo nome significa “coisa de fogo”, em tupi. O Boitatá é um gênio protetor dos campos: mata quem os destrói, pelo fogo ou pelo medo. Aparece sob a forma de enorme serpente de fogo, na realidade o fogo-fátuo, ou santelmo, do qual emana fosfato de hidrogênio pela decomposição de substâncias animais.

BOIÚNA : Mito amazônico da Cobra Grande. Entidade escura, em forma de uma sucuri, que faz virar as embarcações e engole pessoas.

BOLA : Rotatória,balão,retorno.

BOLADA : Usado para referir-se ao fato de um papagaio (pipa) enroscar-se em outro.

BOLE-BOLE : Brinquedo com uma pedra amarrada na extremidade de uma linha, com o qual se disputa com o adversário para ver quem consegue romper a linha do outro.

BOLO PODRE: Bolo feito de mandioca ralada.

BOMBOM: Pequena guloseima de consistência firme, feita com calda de açúcar aromatizada e acrescida de corantes, ou de ingredientes com sabores diversos.

BONITO PRA TUA CARA! : Usado no sentido de “Tu não tens vergonha do que fizeste, não?”

BORA: Vamos.

BORA VER: Seja o que Deus quiser.

BORBOLETA : Catraca de ônibus, de cinema etc..

BORDUNA: Cassetete.

BORIMBORA: Vamos embora.

BOTAR BANCA: Se fazer de importante.

BOTIJA : Botijão de gás.

BOTO: Cetáceo dos rios amazônicos. Conhecido por lendas que dizem ser o “boto” o responsável pela gravidez das garotas ribeirinhas. Expressão usada quando não se conhece o sujeito de uma ação: “Foi o boto…”.

BRABO: Valente, muito forte.

BREAR: Colar.

BRECHA : Chance.

BRECHAR: Olhar pela brecha, espionar.

BRECHEIRO: Quem gosta de brechar. Voyeur.

BREGUEÇO: Objeto imprestável ou de uso duvidoso.

BRIBA : Pequena lagartixa caseira.

BRINCANTE: Folião do Boi-Bumbá.

BROCA: Fome. .

BROCADO: Pessoa com fome.

BRONHA: Punheta.

BUCHO: Vísceras de peixe, mamíferos e répteis. Mulher feia.

BUCHUDA: Grávida.

BUFA: Peido silencioso.

BUFUNFA : Dinheiro, grana.

BULIADO: Arredondado.

BULUFAS: Coisa nenhuma.

BURITI : O buritizeiro é uma das mais vistosas e bonitas palmeiras da flora amazônica. Uma planta adulta chega a produzir mais de 600 frutos em cada cacho. Os frutos são colocados de molho por 4 horas pra soltarem a película cor-de-vinho que os envolve e então a polpa, de coloração amarela, pode ser utilizada para a confecção do “vinho de buriti”, bebida altamente energética. Com a polpa prepara-se também sorvetes e doces.

CABA: Espécie de vespa cuja ferroada produz dor e febre.

CABAÇA: Recipiente usado para armazenar ou transportar água.

CABAÇO: Hímen.

CABAÇUDA: Virgem.

CABEÇA-DURA: Teimoso, que ninguém consegue fazer mudar de opinião.

CABIDELA: Cozido de galinha feito com o sangue da ave, dissolvido em vinagre.

CABIMENTO: Sentido..

CABOCA: Mulher.

CABOCÃO: Alguém que não se comporta direito.

CABOCO: Homem.

CABREIRO: Desconfiado. .

CABROCHA : Mulher de raça cruzada e cabelos lisos.

CACARECO: Coisa velha.

CACETE (ê): Maçante, importuno.

CACHINGAR: Puxar de uma perna.

CACHOLA: Cabeça.

CACHULETA;PLETS: Peteleco dado com o dedo na orelha de alguém.

CACIMBA: Poço de pouca profundidade, em que a água mina de uma fonte próxima.

CACOETE: Mania.

CACURI : Armadilha de pesca.

CADÊ:; QUEDE?: Onde está?

CADILHO: Tigela que recebe a seiva da seringueira.

CADUCAR: Acariciar criança nova com carinho.

CAGADO: Sortudo.

CAGAR O PAU: Fazer algo mal- feito, estragar tudo, colocar alguma coisa a perder, dar mancada.

CAGA-RAIVA: Neurastênico, estourado.

CAIR NA BURAQUEIRA: Cair na gandaia, ir para a farra.

CAIR PRA TRÁS: Ficar perplexo e surpreso.

CAITITU: Pequeno porco-do-mato. Peça principal do aparelho de ralar mandioca: um cilindro de madeira ao longo do qual se adaptam serrilhas metálicas, com uma das extremidades conformada em roldana de gorne para a passagem da correia ou corda que imprime a rotação; rodete.

CAIXA-PREGO: Lugar distante.

CAJÁ;TABEREBÁ : Fruta tropical, aromática, muito suculenta, de sabor acido-adocicado pronunciado, própria para refrescos, caipirinhas, confeitaria.

CALAFATE: Profissional que veda ou fabrica embarcações de madeira.

CALAFETAR: Vedar com estopa alcatroada as junturas, buracos ou fendas de uma embarcação.

CALDEIRADA: Prato regional feito com peixe, ervas, legumes, temperos e condimentos.

CALDO DE CARIDADE: Caldo feito com farinha branca, ovos, pimenta-do-reino e sal para dar sustança ou tirar ressaca.

CALIBRADO: Embriagado, turbinado.

CALOMBO;CATOMBO: Galo, protuberância inflamada, hematoma.

CALUNDU: Mau-humor, zanga.

CAMARADA: Pessoa, cara.

CAMBADA: Bando.

CAMBOTA: Pessoa que tem os pés para dentro ou as pernas arqueadas.

CAMIRANGA: Urubu.

CAMISA DE MEIA: Blusa de malha.

CAMU-CAMU: Arbusto de pequeno porte, podendo atingir até três metros de altura, caule com casca lisa. Folhas avermelhadas quando jovens e verdes posteriormente, lisas e brilhantes. Flores brancas, aromáticas, aglomeradas em grupos de três a quatro. O fruto é arredondado, de coloração avermelhada quando jovem e roxo-escura quando maduro. Polpa aquosa envolvendo a semente de coloração esverdeada. Frutifica de novembro a março. Aparece predominantemente ao longo das margens de rios e lagos, com a parte inferior do caule freqüentemente submersa.

CANARANA: Capim de beira de rio ou lago.

CANCELA: Portão simples, geralmente com um pedaço de madeira que sobe e desce.

CANDIRU: Peixe que se entranha nos orifícios humanos, erigindo as espinhas nas suas guelras e de lá saindo só após muito esforço ou ação de bisturi.

CANGAPÉ: Brinquedo feito com um pedaço de cabo de vassoura e um prego com a cabeça lixada no asfalto na ponta que se joga no barro como um dardo.

CANGOTE: Parte posterior do pescoço.

CANGULA : Desengonçado . Pipa torta.

CANHÃO : Mulher feia.

CANOA: Embarcação para transporte nos rios.

CANOEIRO: Quem faz ou comanda a canoa no rio.

CANTO: Esquina.

CAPACHO: Pessoal servil.

CAPAR O GATO: Ir embora, sair.

CAPAZ! : Até parece!

CAPINA! LAVA! SACA! : Cai fora!

CAPITÃO: Bolinho de comida amassada,que é comido com a mão.

CAPOTE: Vencer num jogo com grande margem.

CAPRICHOSO: Boi-bumbá de Parintins. O Azul.

CAQUEADO: Um jeito especial de fazer alguma coisa, know-how.

CARA DE TACHO: Desapontado.

CARA-DURA: Na cara-de-pau.

CARAMBOLA : Fruta de sabor agridoce, cor variando do verde ao amarelo, dependendo do grau de maturação, rica em sais minerais (cálcio, fósforo e ferro) e contendo vitaminas A , C e do complexo B, a carambola é considerada uma fruta febrífuga (que serve para combater a febre), antiescorbútica (que serve para curar a doença escorbuto -carência de vitamina C, e que se caracteriza pela tendência a hemorragias) e, devido à grande quantidade de ácido oxálico, estimulador do apetite, sendo ainda usada pela medicina popular no tratamento de afecções renais. Seu suco, além de possuir um delicioso sabor, é usado para tirar manchas de ferro, de tintas e ainda limpar metais. Sua casca, por possuir alto teor de tanino, cujo poder adstringente pode prender o intestino, é utilizada como anti-desintérico.

CARAMINGUÁ: Dinheiro miúdo.

CARÃO: Esporro, bronca.

CARAPANÃ: Pernilongo.

CARITÓ: Lugar onde ficam as solteironas.

CARNE DE TETÉU: Qualquer alimento não macio, que foi pouco cozido. Pessoa difícil, travosa.

CARNE MAGOADA: Músculo dolorido.

CARNEGÃO: O olho do furúnculo.

CARREGAR: Roubar.

CARTAR: Exibir-se, ostentando arrogância. .

CARTAZ: Renome, fama, notoriedade.

CARTEIRA: Mesa escolar.. Maço de cigarros.

CASA DO SEM JEITO: Caso perdido.

CASCALHO: Beiju.

CASCAVIAR: Procurar a fundo.

CASCUDO;COCOROTE;COQUE: Forte pancada na cabeça de alguém (quase sempre em crianças), com o dedo médio dobrado.

CASQUETA: Pequeno papagaio (pipa).

CASQUINHA: Proveito, no sentido sexual.

CATAR,TIRAR PIOLHO: Movimentar a pipa para cima e para baixo até que ele suba até a altura que se deseja.

CATARACA: Meleca.

CATINGA: Cheiro forte..

CATINGAR: Feder.

CATRAIA: Pequena embarcação usada para fazer travessia em riachos urbanos.

CAUXI : Planta esponjosa que causa coceira.

CEMITÉRIO: Jogo de queimada.

CERCA-LOURENÇO: Conversa mole, falar sem ir direto ao assunto..

CEROL: Vidro moído aplicado com cola nas linhas dos papagaios com o intuito de cortar o adversário.

CEROTO: Acúmulo de sujeira na pele por falta de banho.

CHAGÃO;DRIBLE DA VACA: Drible rápido e desconcertante no futebol.

CHAPADO: Cheirando mal por falta de desodorante ou de banho. Bêbado ou drogado.

CHECHO: Calote.

CHEGA EU… :Que eu até.

CHEIO DE CAQUEADO: Cheio de invenção, cheio de presepada,coisa desnecessária.

CHEIRO-VERDE: Maço de coentro e cebolinha.

CHIBATA;MACETA;PORRETA: Coisa muito boa.

CHIBÉ: Mistura de farinha, água e açúcar.

CHILIQUE : Histeria em público.

CHINFRA: Sujeito afetado, metido a gostoso.

CHIRRADO: Bêbado.

CHISPAR: Fugir, correr.

CHOVE-NÃO-MOLHA : Indecisão.

CIPOADA : Chibatada com cipó.

CISMADO: Desconfiado.

COBRINHA: Fila.

COÇA :P ISA;PEIA;CIPOADA: SURRA .

COCORUTO: O alto da cabeça.

COLHER (ô): Recolher a linha quando se está empinando papagaio.

COLORAU: Pó vermelho feito de urucum para dor cor à comida.

COM BORRA E TUDO: Com tudo. Expressão de exagero e alopro.

COMBUSTOL: Óleo diesel.

COMER ABIO/ABIU: Ficar calado quando a situação é inconveniente ou desagradável.

COMER COQUINHO: Ficar burro.

COMO JÁ ENTÃO?!: Expressão de espanto.

CONTRÁRIO: Denominação dada ao boi adversário e a seus torcedores no Festival de Parintins.

COPAÍBA: Árvore da qual se extrai um óleo com propriedades medicinais. A copaíba fornece o bálsamo ou óleo de copaíba, um líquido transparente e terapêutico, que é a seiva extraída mediante a aplicação de furos no tronco da árvore até atingir o cerne. O óleo da copaíba é um líquido transparente, viscoso e fluido, de sabor amargo com uma cor entre amarelo até marrom claro dourado. O uso mais comum é o medicinal, sendo empregado como anti-inflamatório natural. Pelas propriedades químicas e medicinais, o óleo de copaíba é bastante procurado nos mercados regional, nacional e internacional.

COROCA; CADUCO: Idoso.

CORONEL-DE-BARRANCO: Homem que manda na região.

CORTAR A CURICA: Matar a intenção no nascedouro.

CORTAR E APARAR: Humilhar ou diminuir de certa forma.

CORTAR: Falar mal de alguém.

CORTE;FAZENDA: Pedaço de tecido para fazer roupa.

COSCA : Cócega. .

COTÓ: Faltando um pedaço.

COTÔCO: Gesto de xingamento que envolve fechar a mão e esticar o dedo médio.

COURO DE PICA: Expressão que indica alguma coisa que não se resolve, não ata nem desata.

COURO QUENTE: Surrado.

CRENTE QUE TÁ ABAFANDO: Expressão que indica que alguém acha que está chamando a atenção e não está.

CRICRI: Pessoa muito chata.

CRUVIANA : Ventinho forte na madrugada, mesmo em noites quentes.

CRUZETA;GANCHO: Cabide. Falcatrua.

CU DOCE: Pessoa que se faz de muito difícil, gente besta, pedante.

CUÍ: Farinha seca peneirada.

CUIA: Fruta cuja casca dura serve de recipiente para líquidos.

CUIDAR: Apressar-se.

CUIRÃO; CURUMIM: Menino.

CUNHÃ: Mulher.

CUNHANTÃ: Garota.

CUNHÃ-PORANGA: Mulher bonita. Parte do imaginário do Boi-bumbá de Parintins.

CUPUAÇU: As sementes de cupuaçu, por seu alto teor de gordura, prestam-se à fabricação de chocolate e já foram utilizadas para esse fim, em lugar das sementes de cacau. Por esse emprego, o cupuaçu recebeu no passado nomes como Cacau-do-Peru e Cacau-de-Caracas. Pertencente à família das esterculiáceas e ao mesmo gênero do cacau-verdadeiro, o cupuaçu é uma árvore de porte médio, nativa da Amazônia, que passou a ser cultivada em quase todo o Brasil, exceto no Sul. Os galhos são longos e grossos, mas flexíveis. As folhas, muito grandes, chegam às vezes a 50 cm de comprimento. É comum encontrar o suco e o creme de cupuaçu.

CURERA: A massa de mandioca mole que, ao sair do espremedor (tipiti), por ser dura e embolada, não foi coada. É imprópria para a fabricação da farinha. Alguns aproveitam para fazer mingau.

CURIAR: Bisbilhotar, xeretar.

CURIBOCA : Mestiço de branco com índio.

CURICA: Espécie de papagaio (pipa) pequeno e sem tala (palitos da armação).

CURIMATÃ; PAPA-TERRA: Peixe que se nutre de vegetais e lodo.

CURITE; DIN-DIN;FLAU; TOTÓ;VIP;MIAU: Suco congelado no saquinho.

CURRIOLA: Turma de amigos.

CURUBA: Ferida.

CURUMIM: Garoto, menino.

CURUPIRA: Ser fantástico que, segundo a crença popular, habita as florestas e é o protetor das plantas e dos animais. Referido desde o século XVI, o Curupira é descrito como tendo a estatura de um menino, pele escura e os pés ao contrário, isto é, com os calcanhares para frente; suas pegadas enganam os caçadores e seringueiros, que se perdem nas florestas. O curupira também faz as pessoas se perderam imitando gritos humanos. Para não serem incomodados, os seringueiros e caçadores, adaptando um costume indígena, fazem oferendas de pinga e fumo.

CUSPIR: Espanar a rosca, o parafuso.

CUTUCAR: Bater, tocar com a ponta de qualquer objeto.

CUVÃO : Buraco feito no chão para que se possa pôr lixo e aterrar.

DADAU;GAGAU: Mingau de mamadeira.

DADO: Alguém de fácil trato.

DANADO: Endiabrado, mal-comportado.

DANÇA DE RATO E SAPATEADO DE CATITA Enrolar, postergar algo.

DAR A CARA A BOFETE: Apostar..

DAR AS CARAS: Aparecer.

DAR BOLO EM CATITA: Ser esperto.

DAR CABO: Dar sumiço.

DAR CORDA: Dar confiança.

DAR DE…: Começar a…

DAR DE COM FORÇA: Atacar.

DAR DE MIL: Ser muito superior.

DAR FÉ : Dar-se conta.

DAR NO PIRA; SE MANDAR: Ir embora.

DAR O BALÃO: Fazer o retorno com o automóvel.

DAR O BIZU: Avisar.

DAR O GRAU: Fazer bem-feito, caprichar, arrumar, dar o toque final.

DAR O MAIOR VALOR: Gostar muito.

DAR O PINO: Sair sem pagar a conta.

DAR PREGO: Quebrar, escangalhar, enguiçar.

DAR SINAL: Dar seta no carro, indicando que vai fazer a curva. Mandar notícia.

DAR TRELA; DAR CORDA: Dar atenção, dar confiança.

DAR UM CHAGÃO: Esquivar-se.

DAR UM PULO: Ir rapidinho em um lugar.

DAR UMA CARREIRA: Correr.

DE BODE: Menstruada.

DE COCA: De cócoras.

DE COM BORRA; DE COM FORÇA: Expressa intensidade.

DE LASCAR: Indica algo ruim em intensidade.

DE LAVADA: Com grande vantagem.

DE MALA E CUIA: Transferir-se para outro lugar com todos os pertences.

DE MUTUCA: Ligado na conversa alheia, de ouvidos bem atentos.

DE PIRUADA: Distribuir alguma coisa jogando para o alto, estilo quem pegar, pegou.

DE PRIMEIRO: Antigamente, antes.

DE REPENTE: Indica um curto espaço de tempo.

DE ROCHA: Com certeza.

DE VEZ: Fruta quase madura. Pra sempre.

DEBOCHAR: Escarnecer, zombar.

DEDADA: Ato de cutucar a bunda de alguém com o dedo.

DENGO: Faceirice.

DENTRO DA GARAGEM: No rego da bunda.

DERRADEIRO: O último.

DESBOCADA: Que fala muito palavrão.

DESCABAÇAR: Desvirginar.

DESCAIR: Soltar a linha quando se está empinando papagaio.

DESCANSAR: Ter neném, parir.

DESCAPELAR Cair a pele.

DESCARADO: Cara-de-pau, cínico.

DESCARGA: Escapamento de moto.

DESCONFORME: Grande, demais, em excesso.

DESCULPA ESFARRAPADA: Desculpa mal- fundamentada.

DESEMBESTADO: Descontrolado.

DESMENTIR: Deslocar, luxar, desconjuntar, destroncar.

DESMILINGÜIDO: Sem graça, desarrumado, desajeitado.

DESONERADO: Com diarréia.

DESPLANAVIADO: Desatento, desmotivado..

DESTROCAR: Trocar o dinheiro em notas menores.

DISQUE: Contração de diz-se que. Consta-se, conta-se,ao que parece.

DISTIORADO: Deteriorado, acabado.

DJÚCU: Caboco.

DO MEU TOP: Do meu tamanho, da minha altura.

DO TEMPO DO RONCA: Muito velho.

DO TRISCA: Sensível.

DOR DE VEADO: Dor desviada. Cólica no baço.

DOS BRINCA: De brincadeira, apostar sem valer.

DOS VERA: De verdade.

DRAGA: Comilão.

…É APELIDO: É pouco.

…E MEIA!: Mais do que..
.
E EU LÁ SABIA? :Expressão para eximir-se de culpa.

É FOGO!: Muito bom ou muito ruim.

E OLHE OLHE! :E olhe lá.

Ê, CAROÇO!: Usada quando alguém se safa por pouco de uma situação complicada.

ÉGUA! : Interjeição que pode ser usado em várias situações: susto,não-compreensão de algo; situação estapafúrdia. A entonação faz parte do sentido.

EITA PAU! ;EITA PORRA! Expressão de espanto, admiração.

EMBANANADO: Atrapalhado. .

EMBIOCAR: Descer. Cair o papagaio em parafuso.

EMBORCAR: Virar de ponta a cabeça. .

EMBRENHAR: Meter-se no meio de.

EMBUÁ: Piolho-de-cobra.

EMPACHADO; EMPANZINADO : Cheio, estufado.

EMPAIAR: Atrasar.

EMPATA-FODA: Pessoa que atrapalha os planos dos outros.

EMPERIQUITADO Enfeitado, arrumado.

EMPINAR: Fazer subir.

EMPINGE; IMPINGE; PIRA: Mancha no corpo. Micose.

EMPOLADO: Cheio de calombos, caroços, com a pele irritada.

EMPOMBADO: Cheio de orgulho.

ENCANGADA: Pessoa que anda agarrada com outra o tempo todo.

ENCASQUETADO: Impressionado.

ENCOSTO: Pessoa pegajosa.

ENCRUADO : Travado, trancado, que não anda ou não cresce.

ENFEZADO: Chateado.

ENFIADA: Quantidade de peixe vendida junta num fio.

ENGANCHAR: Engatar.

ENGILHADO: Enrugado.

ENGÜIAR: Ter ânsia de vômito.

ENJOADO: Metido a besta.

ENTÃO PRONTO!: Expressão que indica fim de argumentação.

ENTOJO: Enjôo, nojo.

ENXERIDO: Intrometido.

ENXERIMENTO: Intromissão, atrevimento, gabolice.

ENXERIR: Meter-se. Aparecer.

ERAS…: Usado para momentos de perplexidade.

ÉRASTE, MANINHO! : Expressão de surpresa.

ERRADO: Embaraçado, sem jeito.

ESBANDALHAR: Quebrar.

ESCABREADO: Desconfiado.

ESCALADO: Aquele que foi convidado.

ESCALDADO: Esperto.

ESCAMBAU: E o resto. Expressão de indignação.

ESCANCARAR: Abrir o jogo,falar ou agir às claras.

ESCANGALHADO; ESCULHAMBADO: Quebrado, sem funcionamento.

ESCROTO:– Malvado, chato. Quando falada arrastada, a palavra tem sentido positivo, de elogio, de algo ou alguém muito bom.

ESCULACHO: Esporro, bronca,esculhambação, ralho.

ESGALAMIDO: Guloso, comilão.

ESPAÇOSO; ESTICADO: Confiado, enxerido, atrevido, petulante, pessoa invasiva.
.
ESPAGUETE: Esticado.

ESPIA SÓ!: Interjeição que antecede algum comunicado. Usada para chamar a atenção do interlocutor.

ESPIAR: Olhar.

ESPOCAR DE RIR: Rir até não agüentar, rir muito.

ESPOCAR: Estourar, arrebentar com ruído, estalar.

ESPORA: Pessoa ruim, malvada ou insensível.

ESTAQUEADO: Cabelo repicado.

ESTE UM: Modo de se referir a alguém cujo nome é desconhecido ou que se quer denotar desprezo.

ESTIRÃO: Caminho cumprido.

ESTOFADO: Sofá.

ESTREPAR: Ferir, se dar mal.

ESTROMPADO: Aloprado.

EXTRATO: Perfume.

FACADA: Pedido de dinheiro.

FACHO: Animação.

FACULTÁRIO: Quem faz faculdade.

FALAR DE BARRIGA CHEIA: Falar sem razão.

FALSIPAR: Malária muito violenta.

FANTA: Sem graça, fraco.

FARDA: Uniforme.

FARINHA: Raiz da mandioca triturada e secada até fazer grão ou farinha grosseira.Come-se com tudo.

FARINHA-D’ÁGUA: Tipo de farinha fina.

FAROFA: Farinha preparada com manteiga, gordura ou, às vezes, ovos.

FAROFA-DO-CASCO: Farinha-d’água assada no casco da tartaruga após a retirada dos ovos, vísceras e carne.

FAROFEIRO: Contador de histórias.

FAZER A CAVEIRA Falar mal de alguém.

FAZER HORA: Passar o tempo.

FAZER INFERNO: Fofocar, fuxicar.

FAZER MAL: Desvirginar uma moça.

FAZER MEUÃ: Fazer careta, cara feia, geralmente para intimidar.

FAZER PEZINHO: Fazer embaixadinhas.

FECHICLER : Zíper, fecho éclair.

FEZ FOI É: O que ele/ela fez foi.

FÊMEA: Mulher, especialmente disponível para o sexo.

FERRADO: Sujeito que se deu ou vai se dar mal de alguma forma.

FERRO DE ENGOMAR: Esquina com bifurcação triangular.

FICAR DE BUBUIA; FICAR NA PORRONCA: Ficar sem fazer nada, ficar flutuando na água.

FICAR DE MAL: Ficar sem falar com alguém.

FICAR SENTIDO: Magoar-se.

FILÉ: Pessoa bonita, desejável.

FILHO DE UMA ÉGUA: Xingamento.

FININHA : Diarréia.

FLECHAR: Ato de catar o papagaio em linha reta.

FOFOBIRA: Coceira na vagina.

FOI MAL! : Utilizada para pedir desculpas por algo não intencional.

FOI?: Pergunta que pede confirmação devido a certa incredulidade.

FOLÓ; FOLOTE: Frouxo. .

FOMINHA: Egoísta.

FONAS! :Utilizada no jogo de bola de gude. Quando o sujeito quer ser o último a jogar, grita: “Fonas!”

FORA A PARTE: A mais, em separado.

FORMAR: Menstruar pela primeira vez.”

FORROBODÓ: Encontro para dançar. .

FRESCAR: Encher a paciência, encher o saco.

FUÇA : Rosto, cara.

FUÇAR: Mexer, tirar de ordem.

FULEIRAGEM: Porcaria, coisa ruim.

FULEIRO : Ordinário, ruim. Pessoa muito irreverente, brincalhona”.

FURO: Comunicação natural entre dois rios ou um rio e um lago. Transitável em época de cheia.

FURRECA: Coisa sem valor.

FURUNFAR: Transar.

FUTRICAR: Mexer, investigar, fazer confusão.

FUXICAR: Fofocar.

FUXIQUEIRO: Fofoqueiro.

GABOLA: Esnobe.

GABOLICE: Orgulho besta.

GAITADA: Risada.

GALA: Esperma.

GALALAU: Menino ou rapaz muito alto.

GALERA: Grupo de maus elementos que atacam em bando. Também significa a torcida do Boi-Bumbá de Parintins.

GALEROSO: Membro de galera.

GAMBÃO; MEGANHA: Soldado, militar.

GAMBIARRA; GATILHO: Remendo, serviço improvisado.

GAMBITO: Perna fina.

GANHAR O MUNDO Sair para passear.

GARANTIDO: Boi-Bumbá de Parintins. O vermelho.

GARITÉ: Canoa.

GARRAFADA: Pajelança feita por curandeiros em que se mistura ervas e essências medicinais com o objetivo de curar doenças e descarregar maus fluidos.

GASGUITA: Esganiçado.

GASTURA: Enjôo.

GATIADO: Olho puxado.

GATO: Ligação clandestina de energia elétrica ou outro serviço pago. .

GAZETAR: Matar aula.

GIGOLETE: Tiara.

GITO: GITINHO: Pequeno.

GORAR: Dar errado.

GORGULHO: Pedra pequena de leito de rio. Caruncho de grãos de arroz, feijão, etc.

GORÓ: Bebida alcoólica.

GOROROBA: Comida improvisada, misturada.

GRAFITE: Lapiseira. .

GRANDES COISA!: Expressão de desdém.

GUAÍPECA: Baixinho.

GUARAMIRANGA: Barco que nunca chegou.

GUARANÁ: Fruto usado como estimulante e revigorante. Hoje em dia o uso da semente do Guaraná se alastrou como fitoterápico rico em cafeína e estimulante do sistema nervoso central. Além da cafeína, a semente do Guaraná contém amido, óleo fixo, ácidos cafeo-tânico e matérias aromáticas, resinosas e pépticas. O Guaraná também é usado como tônico geral e no combate ao estresse.

GUARIBA: Espécie de macaco.

GUARIBAR: Dar uma melhorada disfarçando os defeitos de alguma coisa.

GUEGUETE: Mulher, moça, garota.

GUENZO: Desajeitado.

GUGUENTO: Pessoa cheia de marcas na pele.

GUISAR: Destruir, destroçar uma pipa.

GURUPEMA: Peneira.

HAVERA: Haveria.

HILÉIA: Denominação dada à Floresta Amazônica pelos naturalistas Alexander Von Humboldt e Aimé Goujaud Bonpland.

IACÁ: Quelônio da família das tartarugas.

IGAPÓ: Floresta pantanosa, encharcada e sombreada pelo mato.

IGARA-AÇU: Canoa grande.

IGARA-MIRIM: Canoa pequena.

IGARAPÉ: Pequeno rio, riacho, arroio.

IGARITÉ: Canoa grande e forte.

IGUALZINHO: Muito semelhante. .

ILHARGA: Ao lado.

IMPLICAR: Incitar discussão.

INCANDIADO: Ofuscado pelo brilho.

ÍNGUA: Caroço embaixo do braço que indica que o corpo está sofrendo uma inflamação. Gânglio.

INHACA: Cheiro forte e ruim.

INVOCADO: Difícil de entender, de fazer, etc.

IPADU: Mingau feito com pouca água, consistente e grosso.

IR PRAS BARCAS: Sair para curtir.

ITAMARACÁ: A zona do baixo meretrício em Manaus.

IXE! :Expressão de estranhamento, tédio ou repugnância.

JABÁ: Charque.

JABURU: Pessoa feia.

JACINTA : Libélula.

JACUBA: Pirão feito com água, farinha e açúcar ou mel.

JACUMÃ: Direção da canoa com o remo de mão numa das extremidades.

JARAQUI: O peixe mais popular de Manaus.

JERIMUM: Abóbora.

JIQUITAIA: Pequena formiga de picada dolorosa.

JIRAU: Pia rústica e improvisada. A fonte de água, na maioria dos casos, é um balde com água do igarapé. Serve para tratar o peixe, lavar mãos etc..

JOGAR NO MATO: Jogar fora.

JUNTAR OS PANOS: Ir morar junto.

JUNTAR: Catar, pegar no chão.

JURURU: Cabisbaixo, tristonho, abatido.

KAMIRANGA: Urubu.

KETCHBACK : Um lance amoroso, rolo.

KIKÃO: Cachorro-quente.

LÁ VAI!: Expressão equivalente a “Lá vem você falar nisso de novo”.

LÁBIA: Papo, conversa.

LAMBANÇA: Gabolice, bazófia, fanfarronice.

LAMBUJA: Vantagem, bônus.

LAMPARINA: Pequeno candeeiro feito de lata de cerveja ou leite em pó, com um pavio de algodão embebido em querosene.

LAMPARINADA: Uma dose de cachaça.

LANCHE: Lanchonete.

LANTERNAGEM: Funilaria de veículos.

LANTERNEIRO: Funileiro de veículos, aquele que conserta lataria.

LAPA: Grande, imenso, desproporcional.

LAPISEIRA: Caneta esferográfica.

LATEJAR: Pulsar.

LAVADA: Vantagem.

LAVAR A ÉGUA; LAVAR A BURRINHA: Levar vantagem, gozar um momento de felicidade, ganhar com sorte algo ou algum prêmio.

LAVAR DA ÁREA: Ir embora com rapidez.

LAVAR URUBU: Estar desempregado.

LAVOURA: Ganhar tudo no jogo de bola de gude.

LAZARENTO:Infeliz.

LEGUELHÉ: João-Ninguém.

LENGA-LENGA: Enrolação, indecisão.

LEPROSO: Pessoa que desagrada de alguma forma.

LESO; LESEIRA: Leso é alguém que sofre de leseira, um abestalhamento momentâneo. Se a leseira for uma característica, a pessoa tem Leseira Baré,causada pelo sol quente na cabeça, que queima alguns neurônios. Dizem que todos os amazonenses têm três minutos diários de leseira.

LEVANTADOR DE TOADA: Cantor de toada de boi.

LEVAR UMA QUEDA: Cair, levar um tombo. .

LIBRINAR: Chuviscar.

LIGA: Elástico de amarrar dinheiro.

LOMBRA: Sono de bêbado ou drogado. Coisa indefinida.

LOMBRADO: Bêbado, fora de si.

LOROTA: Mentira.

MACACA : Jogo de Amarelinha.

MAÇARANDUBA: Árvore da familia dos ébanos, que produz madeira de lei de cores avermelhado até vermelho escuro.

MACAXEIRA: Mandioca comestível, aipim.

MACETA;PORRUDO: Grande, imenso, de proporções anormais.

MÃE-DÁGUA: Entidade mítica que habita os rios.

MAIOR PALHA: Muito ruim.

MALEITA: Febre, malária.

MAL-ENCARADO: Pessoa suspeita ou estranha.

MALINAR: Reinar, fazer malvadeza gratuita.

MALOCA: Aldeamento de índios.

MALUVIDO: Mal-comportado.

MAMADA: Mamadeira de leite.

MANCADA: Equívoco lamentável.

MANCHETE: Na vista.

MANDIOCA; MACAXEIRA: A grossa raiz comestível da maniva.

MANDUQUINHA: Camburão.

MANEIRO: Leve, fácil de manobrar. Muito legal.
.
MANGAR: Fazer pouco de alguém.

MANGARATAIA: Gengibre.

MANJA: Brincadeira infantil.

MANO; MANINHO: Tratamento carinhoso entre conhecidos ou não.

MANTEIGA DE TARTARUGA: Feita com gordura extraída dos ovos da tartaruga.

MANTEIGA-DERRETIDA: Pessoa chorona.

MÃOZADA: Tapa.

MAPINGUARI: Entidade que habita a floresta com forma de um grande macaco cabeludo com um olho só na testa. Segundo a lenda, é um terrível inimigo do homem, de quem devora só a cabeça.

MARMANJO: Adulto.

MARMOTA: Invenção, arrumação, trapaça.

MAROMBA : Jirau elevado, feito com troncos ou madeira, para deixar a salvo animais domésticos, plantas e pertences dos ribeirinhos, durante as enchentes.

MÁRRAPÁ!: O mesmo que “Olha já!” .

MARRETEIRO: Vendedor ambulante.

MAS!:Pronuncia-se “Mách):. Interjeição de ênfase.

MASSA FINA: Pão de leite.

MASSA GROSSA: Pão francês.

MATEIRO:Aquele que é habituado a meter-se no mato ou lá passar parte do dia.

MATUPÁ: Barranco dos rios com vegetação desenraizada que fica boiando conforme o nível do rio.

MEIGA;MEIGALINHA: Mulher fácil.

MEMBECA: Espécie de grama que se desenvolve as margens dos igarapés, lagos e rios.

MENINO BARRIGUDO: Aquele que só faz besteira.

MERENDA: Lanche.

MERENDAR: Lanchar.

MERMO; MESMO: Exprime dúvida ou confirmação.

MERRECA: Muito pouca coisa, sobretudo dinheiro, mixaria.

MERUÍM: Inseto de picada dolorosa. Transmite a filariose.

METER O PAU: Falar mal de alguém..

METIDO: Boçal.

MEU GRANDE: Tratamento para desconhecidos.

MEXER: Chamar alguém que vai passando. Manter relações sexuais.

MIJACÃO: Bolhas de água.

MILHITO: Salgadinho de saquinho. Seu uso foi estendido a partir do salgadinho da marca Milhitos Jack’s, de fabricação local.

MINGAU: Preparado rico em carboidratos à base de arroz, milho, banana ou farinha de tapioca extraída da macaxeira.

MIOLO-DE-POTE: Conversa fiada.

MIRAÇÃO: Alucinação.

MIRATINGA: Árvore cujo ramo tem forma de um pênis.

MOCORONGO: Desajeitado. Natural de Santarém (PA).

MOFINEZA: Fraqueza, indisposição, mal-estar.

MOFINO: Fraco, indisposto, sem resistência física.

MONDRONGO: Inchação, tumor subcutâneo, calombo, protuberância grande e esquisita.

MONTE: Bastante.

MOTOR: Barco movido a diesel com grande capacidade de carga.

MUCUIM: Parasita minúsculo que se alimenta de sangue e que vive no capinzal. Gente pequena.

MUCURA: Espécie de gambá que come frango.

MUNGUNZÁ: Mingau de milho.

MUQUE: Braço, força.

MURA: Pessoa invocada, fechada.

MURUPI: Pimenta amarela extremamente forte.

MUTUCA: Observação.

NÃO BATER BEM: Ser amalucado.

NÃO É PÃO!: Claro que sim!

NÃO FAZER NEM AMARRADO PELO CHINELO PRETO; NEM QUE A VACA TUSSA; NÃO VEM QUE NÃO TEM; NECA DE PITIBIRIBA:De jeito nenhum

NÉ NÃO!: Não é não..

NEM COM NOJO; NEM COM O PITIU (DO BODÓ); TEM MIL! ;TEM CEM!;MAS QUANDO?: Expressam indignação.

NHACA PURA! :Fedorento.

NO BALDE, NO MUNDO;QUE SÓ; PRA CARAMBA: Expressam intensidade ou quantidade.

NO CABRESTO: Na linha dura, sem folga, preso.

NO OLHO: Expressão utilizada para indicar que alguém recebeu uma resposta certeira.

NO TEMPO DO RONCA: Há muito tempo.

NÓ-CEGO: Uma pessoa esperta,que finge que faz, mas não faz e sempre se sai bem.

NOME FEIO: Palavrão. “Mãe! O Chico tá chamando nome feio!”

O BICHO: Algo muito bom, de boa qualidade.

O QUE ERA MAIS? Expressão usada por vendedores no sentido de “Mais alguma coisa?”

OLHA JÁ ENTÃO: Mas que abuso!

OLHOS DE PETECA: Olhos grandes e claros.

OSGA; BRIBA: Lagartixa branca com os olhos pretos, que anda pelas paredes da casa e come insetos.

OVADA:PRENHE: Grávida.

PACOVÃ: Banana comprida que é frita.

PACU: Peixe gordo.

PAGAR SAPO: Humilhar.

PAGAR: Caber.

PAJÉ: Curandeiro que usa tanto com os remédios da terra, além de feitiços e benzeduras.

PAGELA: Diário de classe.

PAI D’ÉGUA: Algo ou alguém muito bom, muito legal.

PAID’EGUÃO: Adulto, marmanjo.

PAJELANÇA : Ação do curandeiro amazônico.

PALHA : A palma das palmeiras. Uma decepção.

PALMINHA : Dois pedaços de madeira retangulares (itaúba ou sucupira) usados para marcar o ritmo das toadas de Boi-Bumbá.

PAMONHA;PANEMA: Babaca

PANAIR – Feira em Manaus.

PANELÃO: Dente que tem um buraco grande.

PANO DE BUNDA: Roupa íntima.

PANUVEIRO: Confusão.

PAPAGAIADO: Alguém ou alguma coisa extravagantemente colorido, lembrando um papagaio.

PAPAGAIO GUISADO: Pipa amassada, imprestável, normalmente disputada pelas crianças depois de cair.

PAPEIRA: Caxumba.

PAPELIM : Mulher que possui hímen, virgem.
PAPOCO: Confusão, barulho.

PARA O MÊS; PARA O ANO: Próximo ano ou mês.

PARADA: Ponto de ônibus.

PARANÁ : Braço de rio que contorna uma ilha.

PARDIOSO;PERREXÉ: Desconfiado.

PARENTE; MANO: Forma de tratamento usado para se falar com alguém.

PARRUDO: Forte, musculoso.

PARTINHA: Franja.

PASSAR FERRO Passar roupa. .

PASTA: Creme dental.

PASTORAR: Observar, ficar olhando,tomar conta.

PATUÁ: Palmeira que dá fruto semelhante ao açaí, rico em óleo vegetal.

PAU D’ÁGUA: Chuva forte.

PAVULAGEM, PAVOLAGEM, PAVOLICE ou PAVULICE: Empáfia, abestalhamento, orgulho besta.

PAXIÚBA: Espécie de palmeira cujas folhas servem para cobertura.

PEBADO: Lascado, ferrado.

PÉ-DE-MOLEQUE: Massa feita com farinha de mandioca, temperada e assada, que se come como pão.

PEDI, PEDI, PEDI:: Repetição rápida do verbo para enfatizar, dar intensidade a qualquer verbo.

PEDIR PENICO: Desistir de alguma coisa por falta de coragem ou força

PEGA, MOLEQUE!: Pega, otário!

PEGA-MARRECA: Calça curta demais.

PEGAR CORDA: Deixar-se influenciar.

PEGAR O BECO Ir embora..

PEIA: Sova, surra.

PELA MADRUGADA!:Expressão de espanto.

PELEJA:– Luta, batalha.

PENCA;CACHO: Muitos.

PENOSO: Avaro.

PENSEIRA: Compensador para balancear um papagaio penso.

PENSO: Torto, pendendo para o lado.

PER´AINDA: Forma sintetizada de “Espere ainda um pouco”.

PEREBA: Ferida. .

PERNADA: Caminhada.

PÉSSIMO;MALA SEM ALÇA;NÓ-CEGO: Pessoa pouco confiável.

PETECA: Bola de gude.

PIAÇAVA : Fibra da palmeira utilizada em vassoura.

PICADINHO: Carne moída.

PICHÉ: Cheiro ruim.

PICUINHA: Questiúncula irritante com que se azucrina os outros.

PIMBA: Pênis infantil.

PIMBADA: Ter relações sexuais, dar uma pimbada. “

PINCHA: Tampinha metálica de refrigerante. .

PINDAÍBA: Miséria, pobreza.

PINGUELO: Clitóris.

PINICAR; DAR BICADAS: Beliscar.

PINTA: Sinal.

PIPO: Chupeta de bebê.

PIRA: Ferida.

PIRACEMA: Época de desova dos peixes que sobem o rio, procurando o local ideal.

PIRACUÍ: Farinha de peixe.

PIRARUCU DE CASACA: Prato regional decorado a rigor, feito com farinha e banana.

PIRARUCU: O bacalhau amazônico. Peixe grande, de escamas, cuja língua serve de lixa.

PIRENTINHA: Menina com quem só se quer ter envolvimento sexual.

PIRIGUETE: Mulher fácil. Aglutinação de Piranha (ou Perigosa) com Gueguete

PIROCA; POMBA: Pênis.

PIROCAR: Perder ou cortar o cabelo.

PIRUADA : Jogar para cima alguma coisa para ser pego pelos demais.

PISA: Peia, surra.

PISSICA;PITACO: Opinião não solicitada, mau agouro.

PITIÚ;PIXÉ: Cheiro. Geralmente associado a peixe.

PIUM: Mosquito pequeno, que se alimenta de sangue, característico do verão, em local pouco habitado, com mato.

PIXAIM : Tipo de cabelo enrolado.

PÕE-MESA: Louva-Deus.

POMBA-LESA: Lento, lerdo, mole.

PORAQUÊ: Peixe-elétrico.

PORONGA: Lanterna ou lamparina.

PRA PORRA: Muito.

PREGUENTO: Grudento.

PRENHA ;PRENHE: Grávida.

PRESENÇA: Bonito, bem apessoado.

PRESEPADA: Palhaçada, confusão.

PROCURAÇÃO: Ato de procurar.

PROVOCAR: Vomitar.

PUPUNHA : – Fruta regional da família do pinhão, comida cozida.

PURO A :Com cheiro de, cheirando a. “

PUTATEBA; PUTIREBA; PUTITANGA: Expressam insatisfação.

PUXAR O DEDO: Puxa-se o dedo quando ele está destroncado próprio.

QUE DIGA: Melhor dizendo.

QUE DIRÁ: Imagine.

QUE NEM: Usada para fazer uma comparação.

QUEBRA-MOLA: Lombada.

QUEBRANTAR: Jogar mau-olhado de admiração ou inveja, Por quebranto.

QUEBRA-QUEIXO: Guloseima dura feita com amendoim

QUEDE.? ;CADÊ? QUE É DE?: Onde está?

QUEIDAR: Ato de derrubar o papagaio, por linha com cerol.

QUEIMAR: Bronzear-se.

QUEIMOSO: Com muita pimenta.

QUEIXAR: Ganhar no grito, ficar com algo de outra pessoa, ganhar na lábia.

QUER NÃO, NÉ?: Usa-se para oferecer algo quando não se quer dar.

QUERIDA: Denota certo sarcasmo ou ironia. Mulher amazonense odeia ser chamada de querida.

QUERO CESSO / NÃO DOU CESSO: Expressões que garantem acesso à comida que alguém está comendo. Se alguém chegar e disser “quero cesso”, quem está comendo tem de dar. Mas se o comedor se antecipar e disser “Não dou cesso”, aí o filador fica chances de beliscar.

RABETA: Motor de popa, de pouca potência e fácil manuseio,usado pelos ribeirinhos.

RABICHO: Extensão elétrica.

RABIOLA: Linha com tiras de papel, plástico ou pano que serve para dar estabilidade à pipa.

RABISSACA: Virar a cara para alguém em sinal de desprezo.

RACHID: Rachar,dividir despesas.

RÁDIO CIPÓ: A boca pequena, fofoca.

RALA-RALA: Gelo ralado colocado num copo e acrescido de xarope de vários sabores.

RALHAR: Dar bronca.

RANCHO: Cesta básica, compras do supermercado.

RAPAZ :Vocativo, usado para os dois gêneros.

RAPICHÉ: Rede de pesca.

RAPIDOLA: Muito rápido.

RASGA-MORTALHA: Ave de mau agouro. Diz a lenda que quando passa perto de alguma casa produzindo seu ruído característico de alguma coisa rasgando, alguém daquela casa morre.

RATADA: Mancada, pisada de bola.

REBARBA: Resto de qualquer coisa.

REBOJO: Movimento das águas no rio, redemoinho.

REBOLAR NO MATO: Jogar no lixo.

RECREIO: Barco de recreio.

REGATÃO: Mercador ambulante que em barco ou canoa percorre o interior parando de lugar em lugar.

REIMOSO/REMOSO: Comida que faz mal.

REINAR: Fazer carinhos apertados, efusivos, em crianças.

RELAR Tocar de leve em outra pessoa, na maioria das vezes com segundas intenções.

REMANSEAR: Enrolar, fazer corpo mole.

REMANSO: Pedaço do rio em que a topografia provoca um refluxo fluvial, diminuindo a correnteza.

REMELA: Secreção ocular.

REMENDAR: Imitar jocosamente.

RENDIDO: Impossibilitado de fazer algo por problemas de saúde.

REPARAR: Tomar conta.

REPIQUETE: Um súbito aumento no nível das águas no período em que o rio está baixando.

REQUENGUELO: Meio destruído, decadente, mal-vestido, sujo.

RESERVA: Pneu sobressalente, estepe.

RESPEITE! : Expressa admiração por alguma coisa.

RETALHO: Varejo.

RÓDO: Porto. Aportuguesamento de Roadway.

ROER UMA PUPUNHA: Passar por dificuldades.

ROLOS: Muitos.

RÓSEO: Cor de rosa.

ROTA : Ônibus para o Distrito Industrial.

RUEIRO: Pessoa que não gosta de ficar em casa e arruma motivo para sair.

RUMA: Indica grande quantidade.

SABIDO: Esperto, inteligente.

SACOPEMBA: Gorda.

SAFO: Esperto.

SALIENTE: Metida a conquistador.

SAMBADO: Objeto com muito uso.

SANDUBA: Sanduíche.

SAPECAR: Bater.

SARAMANDAIA: Antigo bordel de Manaus.

SARJAR: Tirar um tumor.

SARJETA: Meio-fio.

SARNAMBI: Originalmente pequena sobra de borracha que se forma durante o processo de defumação do látex;hoje é um bife difícil de cortar.

SARRAFO: Pancada.

SAÚVA: Formiga grande de ferrada dolorida.

SE ABRIR: Rir.

SE AGARRAR Namorar, ficar, principalmente quando há contato físico. .

SE ENXERIR; SE MENTIR Meter-se onde não é chamado. Querer aparecer.

SE MANCAR: Se tocar.

SE VER DE DOR: Sentir muita dor.

QUERO NÃO Inversão sintática que deixa o interlocutor na dúvida.

QUIRIRI: Deserto, silencioso, calmo. Tristeza.

SECO : Vazio.

SEGURAR VELA: Ser o terceiro além do casal.

SERINGUEIRA: Árvore que fornece o látex do qual se fabrica a borracha.

SERRINHA DE UNHA: Lixa de unha.

SESTA: Repouso após refeição.

SINAL: Semáforo.

SINCERA: Moça, garota.

SÓ O CUÍ: Muito magro.

SOLDADO DA BORRACHA: Nordestino que durante a II Guerra foi atraído pelo Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP) de Getúlio Vargas para colher látex na Amazônia.

SONGA-MONGA: Sonsa.

SOSSEGAR O FACHO Baixar a bola, se aquietar. “Pode sossegar o facho que não vai sair hoje não”.

SUA ALMA SUA PALMA SEU CORAÇÃO SUA PINDOBA: Expressão usada quando alguém teima em fazer alguma coisa reprovável, e assim está entregue à própria sorte.

SUCURI: Enorme cobra sem veneno, que mata apertando, sufocando e quebrando os ossos para depois engolir a vítima.

SUREMA : Passado,ou seja,comida ruim.

SUSTANÇA: Força, energia.

TÁ DE PORRE: Está bêbado.

TÁ BESTA!: Deixa de inventar, deixa de leseira.

TÁ PRA QUANTO?: Maneira de perguntar o preço de alguma coisa.

TÁ PUTO COM: Está com muita raiva de.

TÁ, CHEIROSO!: Não mesmo!

TABATINGA: Barro usado em artesanato.

TABEFE: Tapa.

TABERNA: Vendinha.

TACACÁ: Mingau quase líquido de goma de tapioca temperado com tucupi, jambu, camarão e pimenta.

TACANHOBA: Tanguinha.

TACAR: Jogar, arremessar.

TACHO: Vaso de metal ou de barro, largo e de pouca fundura, em geral com asas.

TAL DE: Expressão de desdém usada antes de nome próprio.

TALA : Fina varinha da parte externa do tronco das palmeiras. Usada na confecção de papagaios.

TAPADO: Sujeito que não enxerga as coisas, abestalhado.

TAPIOCA: Iguaria que se faz de mandioca. Pode ser de manteiga ou de coco.

TAPIRI: Casebre coberto com palha.

TAPURU: Verme.

TAREFA: Dever de casa.

TARRAFA: Pequena rede de pescaria.

TE MANCA! TE TOCA;CAI NA REAL: Veja como você está sendo abusado.

TE MANDA! ;CUIDA;CAPINA: Saia já daqui.

TE METE! Humilhou!

TÊCA: Pênis.

TEM UM PORÉM: Tem um detalhe.

TENHO PRA MIM: Na minha opinião.

TER UM PASSAMENTO; TER UMA BILORA; DAR UMA BILORA Desmaiar.

TERÇADO: Facão grande de cortar mato.

TESÃO DE MORMAÇO: Aumento da potência sexual devido ao sol quente.

TETÉIA: Mulher bonita, engraçadinha.

TICAR: Cortar o peixe para quebrar as espinhas. Furar alguém com faca numa briga.

TIGIBU;TRIBUFU: Mulher baixinha e gorda.

TIPITI: Utensílio que consiste numa espécie de cesto cilíndrico extensível, feito de palha, com uma abertura na parte superior e duas alças, usada pelos índios para extrair, por pressão, o ácido da mandioca brava.

TIQUIRA: Aguardente feita de mandioca.

TIRAR A HONRA: Deflorar, desvirginar.

TIRAR AS BRONCAS: Disfarçar, fingir que nada aconteceu.

TIRAR O COURO: Cobrar muito caro.

TIRAR: Comprar a prazo. .

TOADA: Música de Boi-Bumbá.

TODO ERRADO: Alguém constrangido,envergonhado.

TODO MOCINHA!: Usado pelos homens quando alguém não quer fazer o que é esperado dele.

TOLETE: Bolo de fezes.

TOLICE : Relativo a tolo.

TOLO:– Bobo, leso.

TOMA!: Aprende!

TOMAR DE CONTA: Tomar conta.

TOMAR TENÊNCIA: Tomar jeito. .

TOME TENTO! :Tenha juízo!

TONTON: Cangote.

TOPAR: Encontrar.

TORAR: Cortar rente à base. Transar.

TORÓ: Chuva forte com pingos grossos.

TRANCA: Pedaço de madeira que serve para fechar portas.

TRATAR: Preparar o peixe para cozinhar.

TRAVESSA: Tiara de cabelo.

TRAVOSO: Que tem cica, como caju verde. Pessoa difícil. .

TRELA : Conversa fiada. “Se der trela pra ela, ela fala a noite inteira”.

TRIPA: Homem que fica embaixo do boi na festa do Boi-Bumbá.

TRISCAR: Relar, tocar.

TROCADOR: Cobrador de ônibus.

TRONCHO: Pessoa torta do juízo.

TU JURA?: Verdade?

TUCANDEIRA: Formiga gigante que dá picadas muito doloridas.

TUCUNARÉ : Peixe amazônico de águas escuras.

TUCUPI : Molho feito do líquido extraído da mandioca.

TURÍTI: Acertar duas bolinhas em uma só jogada no jogo de gude.

TUXINA : Verme branco que aparece nas fezes e dá uma grande coceira; oxiuríase.

UARINI: Farinha amarela de grãos grandes.

UMA PORRADA: Muito.

UMENO: Ao menos; pelo menos.

URA: Berne.

URUBUSERVAR: Olhar atentamente.

URUCUBACA : Mau olhado, azar, falta de sorte.

URUCUM : Pigmento natural utilizado de várias formas

VAI TE LASCAR!: Interjeição de raiva ou de decepção.

VALÊNCIA: Algo ou alguém que serve para livrar a pessoa de uma situação adversa.

VARADO DE FOME: Com muita fome.

VARIAR: Sair do juízo normal.

VASURA: Criança graciosa.

VAZADO: Faminto. Sair rapidamente.

VENETA: Cabeça.

VERRUGA: Sinal que nasceu depois na pessoa.

VEXADO: Apressado, envergonhado..

VIRADO: Pessoa trabalhadora.

VISAGEM: Alma de outro mundo, assombração, fantasma.

VITAMINADA: Vitamina, alimento preparado no liquidificador com leite, açúcar e uma(s) fruta(s), normalmente banana.

VIXE MARIA! Expressão de espanto.

VOADEIRA: Lancha de alumínio com motor de popa.

VOU-TE!: Expressão de indignação.

X-CABOQUINHO: Sanduíche de pão com queijo e tucumã, fruta regional de carne alaranjada.

XIBIU: Buceta..

XODÓ: Favorito.

XUMBREGA: Sem valor, comum.

ZAGAIA: Tipo de arpão artesanal, lança.

ZAMBETA : Tonto.

ZERO-BALA: Renovado, pronto pra outra.

ZEZÃO: Abobado, besta, leso.

ZIMPADO: Rápido.

ZOADA: Barulho.

 

Agora você pode dizer que também fala amazonês

Eu Falo Amazonês
Eu Falo Amazonês

Comentários

comentários

Loading...