O que é Ayahuasca?

1836
Ayahuasca leva você para o mundo espiritual e orienta-o, às vezes bem, às vezes chocante, mas sempre muito sinceramente a níveis mais profundos de consciência, e das coisas deste mundo e outros. pintura de : Don Pablo Amaringo
Ayahuasca leva você para o mundo espiritual e orienta-o, às vezes bem, às vezes chocante, mas sempre muito sinceramente a níveis mais profundos de consciência, e das coisas deste mundo e outros.
pintura de : Don Pablo Amaringo

Ayahuasca é uma bebiba conhecida que pode ser traduzida como “vinho da alma”. Na língua quechua aya significa espírito, ancestral, enquanto huasca significa vinho. A bebiba é um chá feito do cipó Banistereopsis Caapi e, geralmente, também com folhas de Psychotria Viridis (chacrona). O produto é usado desde épocas remotas por povos nativos da região, incluindo os Incas, não somente com efeitos medicinais mas como agente de iluminação espiritual em seus rituais religiosos. Os pajés utilizam a ayahuasca (que significa “cipó da alma”) em cerimônias religiosas de cura, para diagnosticar e tratar doenças, para encontrar com espíritos e adivinhar o futuro.

Os dois componentes da bebida
Os dois componentes da bebida

A ayahuasca e um erva que induz estados alterados de percepção. A ingestão do líquido costuma provocar vômitos e diarréia, mesmo em usuários de longa data. De acordo com depoimentos des adeptos, depois da ‘limpeza do organismo’ atinge-se um estágio chamado de miração. Segundo os daimistas, é quando se entra em contato com o Espírito Santo e tem início um processo de autoconhecimento e melhor compreensão do mundo. O objeto mais antigo do uso da ayahuasca é uma taça cerimonial feita de pedra, com ornamentação gravada, encontrada na cultura Pastaza da Amazônia equatorial datando de 500ac a 50ad (museu Etnológico da Universidade Central em Quito, Equador). Isto mostra que o uso deste chá remonta cerca de pelo menos 2500 anos

Ayahuasca sendo preparada
Ayahuasca sendo preparada

Os principais compostos da ayahuasca tem uma estrutura comum que através de certos mecanismos que influenciam determinadas funções do sistema nervoso central. O fator relevante é a similaridade bioquímica destes compostos com a serotonina neurotransmissora (5-HT). Os alcalóides presentes na ayahuasca, principalmente a harmina e a tetrahidroharmina, inibem a enzima neuronal monoamine oxidase (MAO). Triptaminas (especificamente a n,n-dimetiltripamina = DMT) são derivadas das folhas da chacrona. Inibidores MAO são largamente utilizados na medicina ocidental como anti-depressivos.

A planta ayahuasca já rendeu uma patente (US 5751P concedida em 1986) em nome do empresário californiano Loren Miller, da International Plant Medicine Corporation dos EUA. Loren a chamou de “Da Vine”. Consta na descrição da patente que a planta foi descoberta num quintal doméstico na Amazônia. O detentor da patente reivindicou que Da Vine representava uma nova e distinta variedade de B. caapi, principalmente por causa da cor da flor. Em março de 1999 a CIEL – Center for International Environmental Law, em nome da Coordenação das Organizações Indígenas da Bacia Amazônica (COICA) e da Coalisão Amazônica (Amazon Coalition), depositou um pedido de reexame desta patente em nome de entidades vinculadas a defesa dos interesses de povos indígenes da Amazônia, alegando tratar-se da apropriação de uma planta sagrada para muitas comunidades e utilizada em suas cerimônias religiosas e de cura. Em novembro de 1999 o USPTO divulgou decisão rejeitando a patente, aceitando o argumento de que a matéria depositada não revelava uma variedade nova de planta. O argumento de Miller era de que a planta por ele depositada se distinguia da ayahuasca porque suas folhas eram inicialmente rosas e tornavam-se brancas com o envelhecimento da planta, argumento contestado pela CIEL que alega que a ayahuasca também possuía esta característica de descoloração.

Ayahuasca sendo cozida
Ayahuasca sendo cozida

Povos Indígenas continuam protestando contra esta patente. BENKI ASHANINKA, representante do povo ASHANINKA levantou o assunto no workshop internacional “Cultivando Diversidade” em maio de 2002 em Rio Branco, Acre: “… isto mostra a falta de consciência e respeito para outras culturas” . Segundo o líder indígena Marcos Terena: “a ayahuasca é um exemplo de um patrimônio indígena da Amazônia peruana/brasileira que alguém, dos Estados Unidos, resolveu patentear com o selo dele. Isto não podemos mais admitir. Mas a gente não consegue fazer nada se não compartilhar essas preocupações com o meio científico. O meio científico é quem vai produzir esse tipo de material. Nós não temos capacidade para produzir uma pílula, uma injeção, mas o homem branco tem. baseado em que ? baseado na sabedoria indígena.”

O uso da Ayahuasca vem se espalhando pelo mundo através do “Santo Daime” e da “União do Vegetal”, religiões fundadas no século passado no Brasil. Até pouco tempo atrás, nos Estados Unidos, a bebida estava classificada como sustância ilegal, porque ela contém o alucinógeno dimethyltriptamin (DMT). Desde agosto 2002, a bebida está liberada nos EUA para o uso religioso. Desde então, o comércio do chamado “Caapi Vine” vem crescendo. O interessante nesse fato, é que já existem plantações com fins comerciais nos EUA e no Hawaii.

Após 18 anos de estudos, o Conselho Nacional de Políticas Sobre Drogas do Brasil retirou, em 23 de novembro de 2006, a ayahuasca da lista de drogas alucinógenas definitivamente. A ayahuasca já havia sido excluída desta lista em caráter provisório desde setembro de 1987. Em 26 de janeiro de 2010, o Governo Brasileiro dispôs a regulamentação de seu uso para fins religiosos, tendo vetado o seu comércio e propagandas além de coibir seu uso em conjunto com outras drogas e em eventos de turismo. O cadastramento das entidades que utilizam a ayahuasca é facultativo

Abaixo outras pinturas do Don Pablo Amaringo sobre as viagens causadas pela Ayahuasca

pintura SOBRE A Ayahuasca de : Don Pablo Amaringo
pintura SOBRE A Ayahuasca de : Don Pablo Amaringo
pintura SOBRE A Ayahuasca de : Don Pablo Amaringo
pintura SOBRE A Ayahuasca de : Don Pablo Amaringo
Ayahuasca leva você para o mundo espiritual e orienta-o, às vezes bem, às vezes chocante, mas sempre muito sinceramente a níveis mais profundos de consciência, e das coisas deste mundo e outros. pintura SOBRE A Ayahuasca de : Don Pablo Amaringo
pintura SOBRE A Ayahuasca de : Don Pablo Amaringo
pintura SOBRE A Ayahuasca de : Don Pablo Amaringo
pintura SOBRE A Ayahuasca de : Don Pablo Amaringo
pintura SOBRE A Ayahuasca de : Don Pablo Amaringo
pintura SOBRE A Ayahuasca de : Don Pablo Amaringo

Comentários

comentários

Loading...