O que você faria se estivesse doente ou com dor e o seu médico não falasse a sua língua?

406

O que voc√™ faria se estivesse doente ou com dor e o seu m√©dico n√£o falasse a sua l√≠ngua? As #FORCASARMADAS superam esse tipo de barreira frequentemente… VOC√ä SABE DIZER COMO?

For√ßas Armadas realizam atendimentos m√©dicos e odontol√≥gicos na regi√£o Amaz√īnia #AGATA7
For√ßas Armadas realizam atendimentos m√©dicos e odontol√≥gicos na regi√£o Amaz√īnia #AGATA7

O que você faria se estivesse doente ou com dor e o seu médico não falasse a sua língua?
√£√£√£√£√£???

Hoje conversando com uma colega e enquanto troc√°vamos informa√ß√Ķes, ela me passou essas imagens. Como venho acompanhando essa imposi√ß√£o do governo brasileiro na importa√ß√£o de m√©dicos cubanos, preciso escrever sobre o que sei e vejo. ¬†As imagens s√£o da For√ßa A√©rea Brasileira [Aeron√°utica].

For√ßas Armadas realizam atendimentos m√©dicos e odontol√≥gicos na regi√£o Amaz√īnia #AGATA7
For√ßas Armadas realizam atendimentos m√©dicos e odontol√≥gicos na regi√£o Amaz√īnia #AGATA7

Em cada uma dessas imagens h√° a descri√ß√£o do tipo de atendimento. Pois bem, n√£o acredito ser papel das For√ßas Armadas o ‚Äúatendimento de civis‚ÄĚ, ¬†(civis, qualquer cidad√£o brasileiro, n√£o militar) de comunidades ribeirinhas do interior do Amazonas e muito menos ¬†‚Äútrabalho social‚Äô, bem como outros tipos de atendimento m√©dico/odontol√≥gico. Apesar da coopera√ß√£o social constar como miss√£o constitucional, isso est√° errado e precisa ser modificado. Em pa√≠ses desenvolvidos isso s√≥ acontece em caso de guerra ou calamidade.

No Brasil at√© para seguran√ßa nas elei√ß√Ķes ou para impor medo aos bandidos as For√ßas Armadas s√£o chamadas. ¬†Acredito n√£o ser novidade para o povo brasileiro, talvez n√£o haja a publica√ß√£o do que realmente as For√ßas Armadas vem ‚Äėtapando furos‚Äô e colocando sob seus ombros algo que deveria ser saneado pelo pr√≥prio governo na sa√ļde publica.

as For√ßas Armadas vem ‚Äėtapando furos‚Äô e colocando sob seus ombros algo que deveria ser saneado pelo pr√≥prio governo na sa√ļde publica.
as For√ßas Armadas vem ‚Äėtapando furos‚Äô e colocando sob seus ombros algo que deveria ser saneado pelo pr√≥prio governo na sa√ļde publica.

O quadro do sucateamento da sa√ļde p√ļblica n√£o √© novidade nenhuma,¬† √© publico e not√≥rio mas usar profissionais das For√ßas Armadas os quais n√£o recebem um √ļnico centavo a mais para tal trabalho √© fazer ‚Äúcaridade com o chap√©u‚ÄĚ dos outros.

O Brasil √© o √ļnico pa√≠s do mundo a fazer isso. No meio militar chamam de ACISO (o conjunto de atividades desenvolvidas, normalmente em car√°ter tempor√°rio, com a finalidade de auxiliar as comunidades a solucionar os seus problemas mais prementes, desenvolvendo o esp√≠rito c√≠vico e comunit√°rio do cidad√£o.) Acontece que algu√©m inventou isso e tornou-se rotina…

Ningu√©m vai amar mais sua p√°tria por ter sido atendido por militares, mas em alguns momentos esses militares tem sido os ‚ÄúSalvadores da P√°tria‚ÄĚ, para quem n√£o tem condi√ß√Ķes de enfrentar longas viagens e permanecerem em locais para tratamentos cont√≠nuos, ¬†acabam morrendo pela falta de atendimento e acompanhamento m√©dico hospitalar.

O Brasil √© o √ļnico pa√≠s do mundo a fazer ACISO
O Brasil √© o √ļnico pa√≠s do mundo a fazer ACISO

N√≥s n√£o precisamos de m√©dicos cubanos que passam quatro anos em uma universidade, n√£o somos cobaias, somos humanos . E aqui mesmo no Amazonas em muitos hospitais e consult√≥rios e em regi√Ķes ribeirinhas, por mais de uma d√ļzia de vezes j√° conheci e fui atendido por m√©dicos que se defendiam no ‚Äėportunhol‚Äô. N√£o averiguei, e fiquei constrangido em perguntar sobre a ‚Äėrevalida√ß√£o do diploma de medicina‚Äô ao m√©dico, confio [como todo e qualquer brasileiro] que algu√©m esteja cuidando dessa parte como o CRM/AM (Conselho Regional de Medicina do Amazonas) foi meio dif√≠cil e complicado nosso di√°logo.

Já ouvi relatos de pacientes, das cidades mais distantes de Manaus, quando os médicos aparecem dão o diagnostico e medicamentos e mesmo assim os pacientes queixam-se de não terem entendido o que esses médicos disseram e acabam não fazendo o tratamento.

N√£o sou contra a vinda de outros profissionais para atuarem na √°rea de sa√ļde, sou contra a essa imposi√ß√£o e do destino desses profissionais escolhidos, porque Cuba? Por que outros pa√≠ses ainda n√£o fizeram o mesmo? ¬†Pesquise no site da Embaixada do Canad√° e veja quais tipos profissionais o Canad√° est√° de portas abertas a receber e a dar incentivos.

Nós não precisamos de médicos cubanos que passam quatro anos em uma universidade, não somos cobaias, somos humanos
Nós não precisamos de médicos cubanos que passam quatro anos em uma universidade, não somos cobaias, somos humanos

Acredito que temos outros meios para resolver esse tipo de quest√£o, a come√ßar por nossas Universidades Federais, que tal profissionais formados em medicina atuarem por dois anos nessas mesmas √°rea, seria como um ‚Äėpagamento simb√≥lico‚Äô pelos cinco anos estudando em Universidades Publicas, isso sim desenvolveria um esp√≠rito c√≠vico e comunit√°rio dessas f√°bricas de m√©dicos brasileiro. O que √© conquistado com esfor√ßo tem sabor diferente do que recebemos sem sacrif√≠cio, tudo isso nos torna mais humanos, solid√°rios…

De que adiantam colocar um m√©dico em uma regi√£o onde muitas vezes n√£o se usam os meios de transportes ABC (Avi√£o… Barco e Canoa), s√≥ andando e andando muito, escrevo n√£o porque algu√©m me contou, escrevo pois j√° o fiz. Algu√©m me contou e eu fui atr√°s saber se era verdade.¬† Chorei quando descobri que n√£o estavam mentindo. H√° diversos concursos e tipos de contrata√ß√Ķes que pagam mais de vinte mil reais [Aqui no Amazonas] e n√£o aparece um √ļnico candidato, ningu√©m quer perder a vida, pois √© o que vai acontecer quando um m√©dico sozinho em uma comunidade ribeirinha ou em uma aldeia ind√≠gena n√£o tiver meios, aparelhagem e medicamentos para realizar o mais simples atendimento, n√£o vai haver dialogo.

os pacientes queixam-se de não terem entendido o que esses médicos disseram e acabam não fazendo o tratamento.
os pacientes queixam-se de não terem entendido o que esses médicos disseram e acabam não fazendo o tratamento.

Por muitas vezes no mais claro portugu√™s n√£o tem entendimento, imaginem algu√©m falando ou tentando se expressar em outro idioma. Poderia me alongar e trazer mais dados sobre outros pa√≠ses e suas maneiras de forma√ß√£o para profissionais na √°rea de sa√ļde. Talvez mais alguns dias eu volte a escrever sobre isso. No momento quero deixar registrado o nosso apoio e agradecimento as For√ßas Armadas, em especial a Aeron√°utica pelo excelente trabalho e dedica√ß√£o para com nossos ribeirinhos, voc√™s sim s√£o nossos her√≥is. Mas lembrem-se tamb√©m, de seus familiares das dificuldades que tem sido sobreviver h√° mais de uma d√©cada sem um aumento salarial significativo para desenvolverem com dignidade suas fun√ß√Ķes e poder sair e retornar de seus lares tranquilos, pois sabem que h√° uma fam√≠lia (esposas e filhos) que tamb√©m passam por necessidades que a sociedade brasileira desconhece.

Vocês juraram morrer pela Pátria, não de fome.

#FORCAS ARMADAS realizam atendimentos m√©dicos e odontol√≥gicos na regi√£o Amaz√īnia #AGATA7 #acoescivico-sociais
#FORCAS ARMADAS realizam atendimentos m√©dicos e odontol√≥gicos na regi√£o Amaz√īnia #AGATA7 #acoescivico-sociais

 

Coment√°rios