Os VampiroS AmazonenseS Em: Deuzilagem a Curica Fuleragem

758

Conde Dr√°cula Catinguento √© solicitado em uma confer√™ncia na Transilv√Ęnia, por esse motivo se ausentar√° de Manaus e faz uma visita inesperada aos Vampiros Amazonenses:

Conde Drácula Catinguento:_ Vou viajar, por esse motivo vocês ficarão na responsabilidade da Curica Deuzilagem.

Bod√≥salmorado:O qu√™eeee? Vou ficar com uma curica que eu nem conhe√ßo, feito um curumim barrigudo, e outra coisa….

Neste instante a Curica Deuzilagem adentra o recinto (acompanhe a cena com um fundo musical de Berg Guerra.. Mi vidaaa teee queroooo), com a sua penugem esvoa√ßante, desfilando como um pav√£o, de repente transformasse em uma linda morena, dos cabelos negros, olhos puxados, bumbum arrebitado trajando uma mini saia e uma camiseta escrita: ‚Äė‚ÄôEsplanada Muito Mais Facilidades Pra voc√™‚Äô‚Äô…

Bod√≥salmorado quase babando, continua: Como eu estava dizendo, o Senhor pode ir desanuviado, pois prometo me comportar. N√© Ticapac√ļ? ( E da um cutuc√£o no irm√£o!)

Ticapac√ļ faz gestos com a cabe√ßa afirmando que sim e com os olhos entramelados continua a olhar Deuzilagem. Fica imaginando eles dois passeando de m√£os dadas pela Bola do Coroado, tomando sorvete na Ponta Negra, comendo churrasquinho de gato na Cachoeirinha… √ī caboquinha aplumada!

Deuzilagem:_ Esses são os dois que o Senhor havia me falado? O Senhor pode viajar sossegado, que a salada agora é comigo.

Conde Dr√°cula Catinguento:_Vamos deixar de embuan√ßa. S√≥ tenho um pedido a fazer, n√£o mexam em nada, principalmente nas f√≥rmulas vampirescas…Ah, vou deixar uma babita aqui para voc√™s se virarem at√© eu voltar ( Entregou o dinheiro na m√£o da Curica e sumiu no ar feito uma mizura).

Deuzilagem:_ √Č o seguinte seu bando de leso, t√ī pegando o beco, campinado e vazando. Volto antes do Conde Dr√°cula Catinguento voltar, e quem me dedurar pra ele, vou bandar as fu√ßas! T√ī indo pro Beer.com., curtir a noite ao som de Berg Guerra e Xiado da Xinela. N√£o ousem me seguir. Fui!!!

Ticapac√ļ:_ Mano eu tava at√© afim dessa caboca, mas peguei abuso da cara dela, tamo tudo lascado, Vamos ficar na letra ‚Äė‚ÄôF‚Äô‚Äô e n√£o vai ser de Feliz..

Bod√≥salmorado:_ Mano, ela √© t√£o teteinha… Que at√© perdoaria ela!

Ticapac√ļ j√° sem paci√™ncia, segura firme o irm√£o e diz: Para com a tua leseira, e deixa de acesume, que a parada ficou s√©ria, a songa-monga deu o guedes, vamos passar maior perrengue at√© o Conde Dr√°cula voltar…. E tu ai com leseira bar√©. Esquece aquela sujeitinha baixa!

Bodósalmorado:_ Ah, pra quê encher a pança, o meu amor por ela me dá sustança!

Ticapac√ļ:_ Ta falando isso agora, deixa bater a larica, e teu ‚Äė‚Äôimbigo‚Äô‚Äô colar nas costas, s√≥ quero ver se esse amor ainda vai durar… Vai ficar s√≥ o p√≥ da gaita. ¬†

Ticapac√ļ, passou a noite em claro, ou melhor no escuro pois vampiros n√£o gostam de luz. Quando: ‚Äė‚ÄôAh, olha o que eu encontrei no ba√ļ do Conde Dr√°cula Catinguento… A suposta cura para Bere-bere r√≥i-r√≥i ‚Äô‚Äô Nisso Bod√≥salmorado d√° um pulo e diz: ‚Äė‚ÄôTelez√©? Ta batendo a biela? S√£o tr√™s da matina e tu ai fazendo escarsel?‚Äô‚Äô

Ticapac√ļ diz: Mano, mano… Pelos meus c√°lculos( U2*3D+50 CENT- NX0= Cura de Bere-Bere R√≥i- R√≥i+Protetor Solar fator 100) eu descobri a cura para Bere-Bere R√≥i-R√≥i, e al√©m de curar serve como protetor solar. S√≥ precisamos sair e achar os ingredientes.
*Bere- Bere Rói-Rói é uma doença que ataca alguns amazonenses e se não curada transforma-se em algo mais sério: Beri-Beri Galopante e seu estágio final é Escambrilose Cifose e por fim a morte*

Bod√≥salmorado diz: Tu j√° ta com lenda, n√©? Seu lend√°rio…

Ticapac√ļ: Ent√£o Pronto! Aproveita e te alevanta e vamos atr√°s dessa suposta cura… Anda maninho, cuida logo…

Os vampiros sa√≠ram para procurar os ingredientes antes que o dia amanhecesse. Eram ingredientes dif√≠ceis de encontrar ( Urucu amanhecido, rabo de cutia, Mijo de macaco prego, Baba de matamat√°, unha de tucandeira, pelo de aranha- chicote, pestana de minhoca branca, carta do pombo- correio e Caf√© com mari-mari). J√° amanhecendo Chegaram os dois desmilinguido, amarelo empambado e dando passamento de fome… Mas tinham que guardar for√ßas para fazer os cremes, a suposta cura do bere-bere r√≥-r√≥i mas teriam que esperar at√© a boca da noite para sair e tentar vender o produto. At√© que Bod√≥salmorado tem uma brilhante ideia:

Ticapac√ļ,¬† Ticapac√ļ, que tu acha de antes de vendermos experimentarmos esse creme que segundo os seus c√°lculos serve como¬† protetor solar fator 100…

Ticapac√ļ:_ Putitanga! N√£o tinha pensado nisso! Caboquinho arrombado!

E assim Ticapac√ļ passou o creme inteirinho no corpo do seu irm√£o. Em alguns minutos Bod√≥salmorado come√ßa a ter um tremelique, mas √© de fome. Ticapac√ļ pede que seu irm√£o v√° l√° fora, para ver se o creme funciona. Mais vigie!! Bod√≥salmorado n√£o quer ir nem a pau, e fica aluado.¬† Ticapac√ļ empurrou seu irm√£o e ficou olhando a arruma√ß√£o. N√£o aconteceu nada! Vivaaa!! Sua f√≥rmula deu certo. Ent√£o ele se entupiu de creme e foi experimentar a sensa√ß√£o de poder sair a luz do dia! Deu o nome de P.V.T.B FATOR 100 (Prote√ß√£o Vampiresca¬† Ticapac√ļ e Bod√≥salmorado). Sa√≠ram tudo aplumado, com a cara e o corpo at√© o tucupi de creme e foram vender seus cremes l√° na Pra√ßa ‚Äė‚ÄôTerreiro‚Äô‚Äô Aranha. Quando venderam o ultimo frasco de creme eles encontram a Curica Deuzilagem entrando no Atacad√£o Tropical eles sa√≠ram nas carreiras atr√°s dela. Quando eles finalmente conseguiram pegar ela, passavam dois gamb√©s e viram a arruma√ß√£o e deram voz de pris√£o, pois os eles achavam que os vampiros queriam assaltar a Curica Deuzilagem, e a mesma se fez de v√≠tima chorando dizendo que estava sendo perseguida pelos dois. E n√£o teve chore minha nega n√£o, os dois foram encaminhados para a Delegacia e presos. Bod√≥salmorado diz: ‚Äė‚ÄôFelicidade de pobre dura pouco… e come√ßa a cantar: ‚Äė‚ÄôS√≥ vejo o sol nascer quadrado cora√ß√£o vive apertado…‚Äô‚Äô

Ticapac√ļ diz: Quando o Conde Dr√°cula Chegar vou botar no toco, n√£o vou dispensar a Curica n√£o… Ela vai se lascar! Ao menos vamos comer nessa jo√ßa…

Eles ficaram na mesma cela que o Ladr√£o de Picanha ( quem lembra dele? O cara √© um verdadeiro lord, at√© pra roubar tem educa√ß√£o rsrs). Os Vampiros fazem amizade com o dito cujo e conversa vai, abacaba vem, Ticapac√ļ diz: _ O que voc√™ est√° fazendo aqui? Lord, ladr√£o de Picanha responde:_ Em primeiro lugar, bom dia, admiro muito voc√™s, porque voc√™s s√£o elegantes.Eu n√£o vou mentir pros senhores n√£o eu ‚Äė‚Äôtava‚Äô‚Äô furtando mesmo. √Č melhor admitir do que ta falando uma coisa que n√£o √©, entendeu? √Č o crime 55 √© afian√ß√°vel, eu sei meus direitos. Eu tenho um advogado bom ele me tira r√°pido Mas e voc√™s que me parecem ser bons sujeitos, o que fazem aqui? E o que √© esse tro√ßo branco na cara de voc√™s.
Ticapac√ļ diz: Ah, √© uma longa hist√≥ria. Uma Curica Fuleragem nos roubou e n√≥s √© que ficamos engaiolados. Esse tro√ßo branco √© um creme fabricado por ‚Äė‚Äôn√≥s mermo‚Äô‚Äô.
No mesmo instante o policial diz que os Dois Vampiros tem direito a um telefonema e retira os dois da cela. Eles conseguem falar com Conde Drácula Catinguento que fica puto da vida ao descobrir que os dois mexeram nas fórmulas que 90% delas nem foram testadas ainda.
Conde Dr√°cula:_ Seus maluvidos, o que eu disse em rela√ß√£o a n√£o mexerem nas minhas f√≥rmulas? Digam-me quais ingredientes, assim eu saberei qual f√≥rmula voc√™s usaram… Os vampiros disseram os ingredientes…

Conde Dr√°cula:_ Essa f√≥rmula ai, n√£o √© a Cura para Beri-Beri R√≥i-R√≥i, eu anotei o nome errado essa √© a F√≥rmula para Envelhecimento Precoce. A sorte de voc√™s √© que s√≥ dura uns 90 dias, depois a pele volta ao normal. Mas voc√™s n√£o usaram essa f√≥rmula, usaram?? T√ļ, tu, t√ļ. Neste instante a liga√ß√£o cai…
Bod√≥salmorado d√° um pulo de l√° e sai gritando: Pelo amor do amor, eu j√° sou feio, sou seco feito um chassi de grilo, meus dentes parecem um enxada¬†¬† e agora vou ficar todo engilhado parecendo um filhote de cruz-credo… Bu√°aa, Bu√°aa… √Č tudo culpa sua Ticapac√ļ…

Ticapac√ļ diz: √Č culpa do Conde Dr√°cula que deu o dinheiro todo na m√£o da Deuzilagem. Tenho culpa eu, se no ato do desespero e da fome tenha pensado que aquela f√≥rmula seria a cura do Beri-Beri R√≥i-R√≥i? Aquela Fuleragem da Deuzilagem vai me pagar o novo e o velho…

Os Vampiros come√ßam a sentir formigamento, suar sem parar e quando se olham no reflexo da √°gua do vaso sanit√°rio estavam com o rosto mais engilhado que maracuj√° de gaveta… Opa, perainda. Vampiros n√£o tem reflexo! Devido aos cremes milagrosos eles passaram a ter, pelo menos por 90 dias…. Eles esperaram o Lord Ladr√£o de Picanha dormir e transformaram-se em morcegos e voaram entre as grades, mas antes de chegarem na porta de sa√≠da encontraram um policial que fazia ronda e quando viu aquelas duas coisas brancas ( devido aos cremes quando eles se transformaram em morcegos ficaram branquinhos), gritou, Putaquiupariu dois filhotes de Urubu… Bala neles!! O policial saiu atirando nos dois que sa√≠ram mais que zarpado de l√°… Quando chegaram no¬† Igarap√© do Mestre Chico, tiveram uma grande surpresa. Deuzilagem estava sentada e Conde Dr√°cula com uma cara maceta que parecia de um gato macho… Antes mesmo que eles come√ßassem a falar, Conde Dr√°cula lan√ßou um feiti√ßo nos dois Vampiros e os transformou em duas ‚Äė‚ÄôP√Ķe- Mesas falantes‚Äô‚Äô. E sumiu junto com a Deuzilagem! Quando um olhou para o outro se espocaram de rir… Bod√≥salmorado: _Olha tua perna parece um cambito hahaha… Ticapac√ļ:_ E olha a tua parece uma pia√ßava hahahha… Debocharam um do outro at√© adormecerem de fome, os coitadinhos essa noite v√£o sonhar com as almas!

Lord, Ladr√£o de Picanha:

escrito por Yana Bentes
Os VampiroS AmazonenseS em: Deuzialgem a Curica Fuleragem
Os VampiroS AmazonenseS em: Deuzialgem a Curica Fuleragem

Coment√°rios