Parlamentares saem em defesa de Marcelo Serafim (PSB) contra processo do Sinetram

255

Nesta quarta-feira (3/4) o vereador Marcelo Serafim (PSB), líder do partido na Câmara, lamentou o fato de estar sendo processado pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas – SINETRAM por causa de seus discursos contra o transporte público da capital.

VEREADOR MARCELO SERAFIM (PSB) DISCURSA NA SESSÃO PLENÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS (CMM).
FOTO:TIAGO CORREA/CMM.

Indignado, Marcelo distribuiu um texto nas redes sociais no qual se sente injustiçado e diz que o processo, para ele, é um atestado de boa conduta:

Loading...

“Nada mais sagrado em um parlamento do que o direito inviolável de um representante da sociedade de denunciar e se pronunciar a respeito de crimes e afrontas contra a população. Ontem recebi notificação da íntegra justiça do meu estado de processo judicial do Sinetran contra mim em decorrência dos meus constantes discursos e denúncias contra a “Máfia do Diesel”. Ser processado por essa gente não me constrange, intimida e cala, pelo contrário me dá mais forças para continuar lutando contra as Máfias que existem em nossa cidade. Se achavam que iam me amedrontar, erraram!!!! Não me envergonho de ser processado pelo Sinetran por ter feito denúncias duras e pesadas críticas contra eles, pois na condição de homem público isso é um atestado de boa conduta. O ruim é ser taxado de amigo e parceiro dessa gente”.

Parlamentares saem em defesa de Marcelo Serafim

O presidente da Câmara, Wilker Barreto (PHS), assegurou que o Poder Legislativo Municipal vai se posicionar em defesa do vereador Marcelo Serafim (PSB). “É deplorável o posicionamento do Sinetram em querer cercear o que é mais sagrado de um parlamentar, que é sua legitimidade de usar a tribuna e se expressar”, disse o presidente ao reafirmar o compromisso com a legitimidade dos vereadores no exercício do mandato.

Wilker Barreto ressaltou que vai usar todos os instrumentos jurídicos para garantir a prerrogativa inviolável do parlamentar. Segundo o presidente, o que recai sobre os vereadores é o gesto político de querer afrontar esse parlamento.

De acordo com Marcelo Serafim, os empresários do sistema de transporte coletivo querem intimidá-lo diante das denúncias e dos absurdos que ocorrem no sistema. Ele disse que mantém as acusações contra o que ele chama de “Máfia dos Combustíveis” e que não tem medo de notificações.

Chico Preto (PMN) se disse constrangido e que apesar de vários mandatos não lembra de algum dia um sindicato ter por meio do Poder Judiciário, intimidado um vereador por causa de seu discurso da tribuna. “Ele (sindicato) extrapola a sua competência”, disse ao afirmar que não aceita essa postura do Sinetram.

Plínio Valério (PSDB) também se mostrou inconformado e disse que a atitude mostra que o Sinetram está fazendo isso por apostar que não vai dar em nada.

O Cel. Gilvandro Mota (PTC) também reprovou a conduta do SINETRAM. Segundo ele, caso a SMTU não apresente o resultado da Sindicância, que os vereadores assinem a CPI.

Líder do Governo Municipal, o vereador Marcel Alexandre (PMDB), acredita que ao denunciar o caso, o vereador Marcelo Serafim está dando sua contribuição para a cidade de Manaus. “Penso que o poder público deve ser protegido e todos se unam para melhor prestação de serviço, com preço justo para a população”. Segundo ele, a Prefeitura acertou em instaurar a sindicância e agora é aguardar o resultado.

Cláudio Proença (PR) repudiou a postura do SINETRAM, mas acredita que o coronel Audo Albuquerque, da SMTU, não tem interesse de prejudicar ninguém.

O vereador Hiram Nicolau (PSD) se disse insultado. “No segundo período da faculdade de direito já se estuda a competência dos poderes. Ouvi os discursos dos vereadores e não consegui outra definição senão afronta a este Poder. Não sou eu o interpelado, mas é como se estivesse o meu nome. A interpelação é ao Poder, aos 41 representantes”, disse, ao propor uma reunião de todos os vereadores para que a Casa tome uma posição firme contra o SINETRAM.

Dr. Ewerton Wanderley (PPL), além da solidariedade ao vereador e repúdio à atitude do SINETRAM, sugeriu aos vereadores que uma resposta aos insultos dos empresários seria a assinatura da Comissão Parlamentar de Inquérito do Óleo Diesel.

Reizo Castelo Brando (PTB) que também presidia a sessão, disse não ter dúvidas de que a Mesa tomaria todas às providencias sobre essa falta de respeito com a Casa.

MANAUS, 02/05/17 PLENARIO ADRIANO JORGE, CAMARA DOS VEREADORES DE MANAUS. FOTO: TIAGO CORREA / CMM
PLENARIO ADRIANO JORGE, CÂMARA DOS VEREADORES DE MANAUS.
FOTO: TIAGO CORREA / CMM

 

Comentários

comentários

Curte nosso conteúdo?!

Receba as notícias diretamente no seu e-mail: