Peixe Assexuado da Amaz√īnia sobrevive h√° pelo menos 500 mil gera√ß√Ķes

88

Manaus ‚Äď A reprodu√ß√£o assexuada dos peixes molin√©sia da Amaz√īnia est√° chamando aten√ß√£o de pesquisadores da Universidade de W√ľrzburg que publicaram um estudo na revista Nature Ecology and Evolution sobre o caso, de acordo com o site da BBC Brasil.

Peixe da Amaz√īnia que se reproduz sem sexo √© estudado na Europa / Foto : Divulga√ß√£o
Peixe da Amaz√īnia que se reproduz sem sexo √© estudado na Europa / Foto : Divulga√ß√£o

A teoria da evolu√ß√£o sugere que as esp√©cies que se reproduzem de forma assexuada tendem a desaparecer rapidamente, uma vez que seu genoma acumula muta√ß√Ķes mortais ao longo do tempo, o que n√£o aconteceu com as molin√©sias.

Molin√©sia-amazona sobrevive h√° pelo menos 500 mil gera√ß√Ķes, muito mais do que a m√©dia observada em esp√©cies com reprodu√ß√£o assexuada | Foto: Science Photo Library
Molin√©sia-amazona sobrevive h√° pelo menos 500 mil gera√ß√Ķes, muito mais do que a m√©dia observada em esp√©cies com reprodu√ß√£o assexuada | Foto: Science Photo Library

Sobrevivente persistente

A molin√©sia-amazona sobrevive h√° cerca de meio milh√£o de gera√ß√Ķes – muito al√©m do que a teoria sugeria.

Mas n√£o foi s√≥ isso. Quando os cientistas procuraram ind√≠cios de decad√™ncia gen√īmica a longo prazo, havia muito poucos, como o professor Schartl explicou:

“O que encontramos √© que esse peixe preservou seu genoma h√≠brido e o que sabemos da cria√ß√£o de plantas ou animais √© que, quando tentamos fazer algo melhor, criamos um h√≠brido”.

E ele acha que √© esse “vigor h√≠brido” que sustenta a sobreviv√™ncia persistente da molin√©sia-amazona.

“O que a natureza tem feito √© criar desde o in√≠cio um bom h√≠brido, que prosperou”.

“√Č claro que h√° muta√ß√Ķes, mas o que sentimos e que n√£o foi levado em considera√ß√£o √© que a evolu√ß√£o eliminar√° as muta√ß√Ķes delet√©rias e somente aqueles que se tornam melhores, com boas muta√ß√Ķes, prosperar√£o”.

Ao comentar o trabalho, Laurence Loewe, professor assistente no Instituto para a Descoberta de Wisconsin, da Universidade de Wisconsin-Madison, disse à BBC:

“Normalmente, as esp√©cies sem recombina√ß√£o regular n√£o s√£o muito duradouras na forma evolutiva. No entanto, a molin√©sia-amazona parece ter encontrado uma maneira de sobreviver por um tempo surpreendentemente longo sem acumular sinais de decomposi√ß√£o gen√īmica”.

“Para descobrir como isso ocorre, provavelmente teremos que combinar muitos dos grandes avan√ßos na gen√©tica evolutiva dos √ļltimos 100 anos”.

Coment√°rios