Prefeito Artur Neto falta debate da Rede Tiradentes e Ronaldo Tiradentes taca-lhe o pau

11

Na manhã desta sexta-feira (07/10) ,  deveria ocorrer o  primeiro debate do segundo turno, organizado pela Rede Tiradentes e que seria transmitido pela rádio e TV do grupo de comunicação entre os prefeituráveis de Manaus  ao segundo turno : Arthur Virgílio Neto (PSDB) x Marcelo Ramos Rodrigues (PR). Porém o prefeito de Manaus, candidato à reeleição, não compareceu.

Em nota, Arthur explicou que não era privilégio da Rede Tiradentes, levar um bolo dele, mas de todas as emissoras e meios de comunicação que não tenham isenção.

Com isso, o radialista Ronaldo Tiradentes ficou nervoso e tacou-lhe o pau, chegou a afirmar, inclusive, que Arthur ficou com medo do debate e “de ser questionado cara-a-cara sobre a polêmica e controvertida aliança com o senador Eduardo Braga (PMDB-AM), a quem chamava de ‘maior corrupto do Amazonas e maior inimigo de Manaus’”.

Confira a nota de Arthur Neto na íntegra:

Prezado radialista Ronaldo Tiradentes, antes de tudo formulo votos de muita felicidade pessoal a todos os seus.

Registro, então, que considero verdadeiro avanço civilizatório um órgão de comunicação optar por uma candidatura. Isso acontece frequentemente nos Estados Unidos, através de manifestações de veículos como Washington Post, New York Times e outros do mesmo peso e tradição de respeitabilidade.

Isso, ao invés de significar parcialidade e falta de isenção, leva a uma necessária postura de equilíbrio no trato do espaço e do convívio com candidaturas contrárias ao pensamento da direção do órgão. Eis porque deixo de comparecer ao debate proposto pela Rede Tiradentes, que visivelmente apoia, desde o primeiro turno, o postulante ora oposto a mim nesta etapa decisiva: pesquisas equivocadas; cobertura não adequada até mesmo no próprio dia da eleição de 2 de outubro último.

Sucessivos movimentos a favor de uma candidatura não oficialmente assumida. Postura visivelmente contrária à postulação que encarno, representando o pensamento de forte parcela da população manauara. Afinal, luto por uma reeleição que permita o prosseguimento da redenção da nossa cidade, trilhando um combate que precisa ser efetivamente democrático, sempre por caminhos efetivamente seguros e responsáveis.

Asseguro-lhe que esta decisão não se aplica apenas a sua rede. É aplicável a quem mais não se esteja pautando pela isenção tão necessária ao amadurecimento da democracia brasileira.

Saiba, aliás, que campanha eleitoral não é suficiente para abalar o apreço que lhe dedico e a sua família, a começar pelo amigo Rui. Sigo apenas o caminho que me parece mais adequado para expor minhas ideias, prestações de contas e propostas, num clima que seja, pura e simplesmente, isento e propício a uma aferição justa pelos eleitores da cidade que todos amamos. Cidade pela qual abandonei a carreira diplomática, trocando, com enorme convicção, uma vida no exterior, pela honra de amar, sorrir, chorar, sorrir, sofrer e vencer nesta terra e ao lado deste povo.

Cordiais saudações.
Artur Virgílio Neto

Nota de Ronaldo Tiradentes, publicada no perfil dele no Facebook:

Com medo de Marcelo, Artur foge do debate

O candidato à reeleição Artur Neto, expressou nitidamente o medo que tem de discutir os problemas de Manaus com o adversário Marcelo Ramos, ao se ausentar do debate promovido pela REDE TIRADENTES, na manhã de hoje.
A assessoria de Artur compareceu em todas as reuniões preparatórias, definindo as regras do debate que tinha a proposta de ser livre e sem temas pré-estabelecidos, nos moldes dos debates americanos onde os candidatos perguntam aos outros candidatos.

Artur não veio porque ficou com medo de ser questionado cara-a-cara sobre a polêmica e controvertida aliança com o senador Eduardo Braga (PMDB-AM), a quem chamava de “maior corrupto do Amazonas e maior inimigo de Manaus”
às vésperas das convenções, referindo-se aos escândalos que dominaram o governo do aliado atual e às manobras perpetradas em Brasília para impedir a liberação de verbas federais prometidas pela então presidente Dilma Roussef.

Outro tema temido pelo prefeito Artur Neto é a suposta agressão física praticada por ele contra sua ex-mulher Goreth Garcia e muito comentado nas redes sociais, durante o primeiro turno. Embora Goreth tenha desmentido a agressão (vários dias depois que a denúncia veio a público), o fato nunca foi investigado pela Delegacia da Mulher, pelo Ministério Público ou pela Vara Maria da Penha, mesmo que o fato seja tipificado como crime de ação pública incondicionada, previsto na Lei Maria da Penha. No Rio de Janeiro, um dos temas centrais da campanha foi uma agressão física que teria sido praticada pelo candidato Pedro Paulo (PMDB), contra sua ex-mulher. Mesmo apoiado pelo prefeito Eduardo Paes – que surfa nas obras da Olimpíadas, Pedro Paulo sofreu forte resistência do eleitorado carioca, sobretudo das mulheres. Não foi nem para o segundo turno.

Artur ficou com medo de debater sobre as promessas feitas na campanha passada e nunca cumpridas. Prometeu 110 creches e fez apenas 2. Prometeu resolver o problema do transporte coletivo de Manaus em 100 dias. Não colocou sequer um ônibus novo na frota e deu de presente para a cidade a famigerada Faixa Azul que dispensa comentários.
Artur não veio para não ser confrontado e ser questionado sobre o abandono da periferia e pela falta de respeito aos manauaras que buscam ajuda nos postos de saúde.

Preferiu a alegação vergonhosa e mentirosa de que a REDE TIRADENTES “assumiu uma outra candidatura e errou na pesquisa eleitoral do primeiro turno”. Não teve coragem de dizer que arregou, que estava morrendo de medo de ser constrangido publicamente pelo adversário Marcelo Ramos.

A REDE TIRADENTES acertou quase na mosca nas pesquisas em relação ao candidato Artur Neto. Nossa última pesquisa, publicada na sexta-feira, dia 30.09, indicou que Artur teria 34% dos votos. Artur terminou a eleição com 35%.

A REDE TIRADENTES acertou todos os outros candidatos, à exceção de Marcelo Ramos, a quem se atribuiu 2,5% acima dos votos efetivamente conquistados, fato que em nada comprometeu o resultado do primeiro turno. A DMP pesquisas identificou no início da campanha que a eleição teria 2 turnos, enquanto outros institutos preferiram esconder essa possibilidade e Artur bradava pelos nos regabofes que promovia nos restaurantes de Manaus, que venceria no primeiro turno. “Faltam apenas 3 por cento para vencer no primeiro turno” – dizia o prefeito boquirroto.

Artur esconde que o IBOPE sempre lhe atribuiu 44% dos votos, 9 pontos percentuais acima daquilo efetivamente conquistado nas urnas. A Rede Amazônica e o IBOPE deram graciosamente 9 pontos para Artur. Sobre isso ele não fala. Certamente, por isonomia, deixará de comparecer ao debate promovido pela afiliada da Globo em Manaus.

Demonstrando menosprezo ao povo de Manaus e aos compromissos assumidos por sua assessoria com a REDE TIRADENTES, ao invés de se preparar para o debate, Artur preferiu ficar a tarde toda de ontem, bebendo champanhe francesa (que o salário de prefeito não comporta) e se refestelando com amigos e assessores num sofisticado restaurante de Manaus, na avenida Efigênio Sales. Aliás, o prefeito é uma das figuras mais cativas nos restaurantes. Os garçons, obrigados a amanhecer o dia para atender o gosto refinado do prefeito, são testemunhas.

Sem argumento para justificar sua ausência, Artur preferiu a desculpa esfarrapada.

É um arregão!

PS: Depois de fugir do debate da RT, Artur Virgílio publicou no Facebook que vai ao debate da TV BAND onde terá “equilíbrio e isenção”. Lá na BAND, Artur terá campo neutro. Ele só esconde que o dono da TV, o empresário Francisco Garcia é o presidente do Partido Progressista que está na mesma coligação dele. Lá na BAND, com certeza há muita “isenção “.

Artur NetoArtur Neto
Artur Neto (PSDB)

Curte nosso conteúdo?!

Receba as notícias diretamente no seu e-mail:

COMPARTILHAR

Comentários