Prefeitura entra contra o Governo na disputa de quem deve jogar lama asf√°ltica nas v√©speras das elei√ß√Ķes

445

A t√°tica √© a nova. Sempre que as elei√ß√Ķes se aproximam, a popula√ß√£o recebe asfalto de p√©ssima qualidade para que seja tudo maquiado e passe a falsa impress√£o de que a m√°quina p√ļblica est√° trabalhando a favor do povo. Foi assim em 2014, foi assim em 2016, e est√° sendo assim em 2018. O problema, por√©m, √© que a m√°quina da Prefeitura, est√° apoiando o candidato governador Omar Aziz, e a m√°quina do governo est√° apoiando a reelei√ß√£o do Governador Amazonino Mendes. No meio disso tudo, est√° o povo, o verdadeiro dono das m√°quinas.

Nesta nesta quinta-feira (30), a Prefeitura Municipal de Manaus por meio da Procuradoria Geral do Município (PGM) entrou com um pedido de medida cautelar no Tribunal de Contas do Estado (TCE) contra o Governo do Estado do Amazonas tentando dar um chega pra lá nos serviços de recapeamento das ruas da cidade que seria executado pelo Estado, com apoio, inclusive, do ex-vice-prefeito Marcos Rotta.

Na representa√ß√£o a PGM diz que h√° uma m√° gest√£o financeira por parte do governo, pois eles estariam fazendo os servi√ßos onde a prefeitura j√° fez. ‚ÄúEm linhas gerais, a Representante pede, cautelarmente, que seja determinado ao Estado do Amazonas que se abstenha de executar obras em sobreposi√ß√£o √†quelas j√° contratadas e executadas pelo Poder P√ļblico Municipal, visando a preserva√ß√£o do er√°rio e coibir a pr√°tica de novos atos de m√°-gest√£o‚ÄĚ, trecho da representa√ß√£o.

A representação foi aceita pela presidente do TCE-AM Yara Lins, e o despacho publicado no Diário Oficial do TCE nesta quinta-feira (30), que deu o prazo de cinco dias para que o governo do Estado de manifeste. Abaixo é possível ver o despacho.

O povo dar√° o troco na urna. Assim esperamos.

Coment√°rios