Presidente da Aleam cobra medidas de prevenção para diminuir consequências das cheias no AM

125
O deputado afirmou que se houvesse um planejamento, o Governo do Estado e as prefeituras poderiam tomar a√ß√Ķes que reduziriam os problemas que v√£o desde a falta de abrigo a preju√≠zos da produ√ß√£o agr√≠cola. – Imagem: Divulga√ß√£o

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), deputado estadual Josu√© Neto (PSD), cobrou na √ļltima segunda-feira (25), medidas que minimizem as consequ√™ncias das cheias nos munic√≠pios do interior do Amazonas.

Segundo o parlamentar, se houvesse um planejamento, o Governo do Estado e as prefeituras poderiam tomar a√ß√Ķes que reduziriam os problemas que v√£o desde a falta de abrigo a preju√≠zos da produ√ß√£o agr√≠cola.

Os munic√≠pios de Guajar√°, Ipixuna, Boca do Acre e Eirunep√© decretaram estado de emerg√™ncia na √ļltima sexta-feira (22), segundo dados da Defesa Civil do Amazonas. As cheias t√™m deixado fam√≠lias desabrigadas e Humait√° est√° em estado de alerta.

‚ÄúNosso Estado tem essa caracter√≠stica das cheias e das secas, todos os anos os nossos irm√£os do interior sofrem com a enchente ou com a seca. O que quero enfatizar √© a falta de programa√ß√£o, uma vez que esse trabalho de preven√ß√£o pode ser feito de forma antecipada. Ano passado n√≥s apresentamos uma PEC nesta Casa que foi aprovada e j√° √© lei, ela concede √† Defesa Civil autonomia or√ßament√°ria, ela precisa ser executada‚ÄĚ, pontuou Josu√©.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) é a 05/2014, que acrescenta o artigo 117-A ao Capítulo VIII da Constituição do Estado do Amazonas e tem a finalidade de conferir à Secretaria de Defesa Civil autonomia orçamentária e financeira para gerir os recursos e as despesas da Defesa Civil. Além disso, a proposta garante o estabelecimento de medidas permanentes de proteção da população, visando minimizar os efeitos de desastres no Estado.

Requerimento

Josué Neto cobra medidas de prevenção para diminuir consequências das cheias no interior

O presidente, por meio de requerimento encaminhado ao secretário executivo da Defesa Civil, tenente coronel Francisco Máximo, enfatizou o alerta da subida das águas dos rios e colocou a Casa Legislativa à disposição para qualquer necessidade que tenha o objetivo de minimizar o sofrimento das famílias.

Josu√© tamb√©m falou sobre a preocupa√ß√£o com a produ√ß√£o agr√≠cola dos munic√≠pios. Em comunidades de Manaquiri, pelo menos 200 toneladas de jerimum est√£o comprometidas devido √†s cheias. Na Calha do Madeira, agricultores j√° perderam planta√ß√Ķes, como no interior de Manicor√©. O parlamentar enfatizou que a Ag√™ncia de Desenvolvimento Sustent√°vel (ADS) tem intermediado a venda de produtos para supermercados, restaurantes, agroind√ļstrias e feirantes para evitar perdas.

‚ÄúA Proposta de minha autoria que foi aprovada por unanimidade na Assembleia ano passado tem a finalidade de dar autonomia √† Defesa Civil e outros √≥rg√£os e estarei acompanhando de perto a situa√ß√£o da enchente. N√≥s queremos saber o que est√° sendo feito, saber de que forma essa Casa pode ajudar n√£o s√≥ cobrando, n√£o s√≥ orientando, n√£o s√≥ pedindo, mas tamb√©m atuando e at√© participando de uma campanha de doa√ß√£o de donativos, por exemplo‚ÄĚ, explicou.

Outros deputados como Wilker Barreto (PHS), Adjuto Afonso (PP), Joanna D’Arc (PR), Belarmino Lins (PP) e Dermilson Chagas (PP) se manifestaram sobre o assunto, defendendo a prática de previsibilidade com base no Orçamento do Estado para que as cheias não prejudiquem todos os anos os moradores do interior e parabenizaram o presidente pela abordagem do tema.

Por: Assessoria do Deputado

Coment√°rios