Projeto viabiliza o uso de aparelho celular no processo de aprendizagem, em Humait√°

114

O celular tornou-se uma ferramenta indispens√°vel para as pessoas nos dias de hoje, onde atrav√©s da internet, est√£o conectadas umas as outras. O aparelho tem sido a base de um projeto desenvolvido no interior do Amazonas, que utiliza o instrumento como ferramenta pedag√≥gica. O trabalho √© realizado na Escola Estadual de Tempo Integral √Ālvaro Maia, no munic√≠pio de Humait√° (696 quil√īmetros de Manaus).

O projeto é desenvolvido por meio do Programa Ciência na Escola (PCE), edição 2018, realizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) em parceria com a Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc) e Secretaria Municipal de Educação (Semed).

Como forma de conscientização quanto à dependência dos alunos com relação ao celular, a proposta do trabalho é de viabilizar o uso do aparelho no processo de aprendizagem. / Foto: Divulgação/Fapeam
Como forma de conscientização quanto à dependência dos alunos com relação ao celular, a proposta do trabalho é de viabilizar o uso do aparelho no processo de aprendizagem. / Foto: Divulgação/Fapeam

O coordenador do projeto, Marcos Ant√īnio Oliveira, disse que decidiu realizar o trabalho na escola devido o celular fazer parte da vida di√°ria dos alunos o que causa tamb√©m depend√™ncia em seu uso. Ele afirma que a aus√™ncia do aparelho chega at√© mesmo a provocar transtornos psicol√≥gicos nos alunos. As regras impostas pela fam√≠lia e institui√ß√Ķes escolares na tentativa de impedir o uso em sala de aula tem sido ineficiente.

‚ÄúO objetivo desse trabalho √© viabilizar o celular como uma op√ß√£o a mais de pesquisa escolar funcionando como um ambiente virtual dispon√≠vel aos alunos 24 horas‚ÄĚ, contou.

Professor de Hist√≥ria na escola, Oliveira explicou que os slides trabalhados em sala de aula s√£o postados no grupo de um aplicativo para smartphone, que √© administrado pelo professor coordenador e a gestora da escola. Antes de cada avalia√ß√£o √© cedido em torno de 10 minutos para que os alunos possam consultar os slides enviados, os quais cont√™m os conte√ļdos que ser√£o cobrados nas avalia√ß√Ķes.

‚ÄúPara permitir que os alunos que n√£o possuem celulares sejam beneficiados pela produ√ß√£o de conhecimento obtido no grupo s√£o efetuados debates em sala aula com os membros participantes com foco nos materiais postados‚ÄĚ, disse.

Comportamento dos Alunos
Conforme o professor, os livros tamb√©m s√£o usados durante as aulas, mas o efeito produzido por meio do projeto no processo de ensino aprendizagem aumentou com a leitura dos conte√ļdos digitais.

‚ÄúA maioria dos estudantes, seja por desinteresse ou pelo peso dos livros, n√£o levam os mesmos para a sala de aula. Quando isso acontece, h√° uma prioridade para os livros de portugu√™s e matem√°tica. Mas, quase todos possuem aparelhos celulares de √ļltima gera√ß√£o e os transportam diariamente √†s escola em seus bolsos ou bolsas escolares. O que se percebe com rela√ß√£o aos celulares utilizados pelos alunos √© que a qualidade e custo dos mesmos muitas vezes √© maior daqueles utilizados pelos professores‚ÄĚ, detalhou.

Outro ponto positivo do projeto √© que nas aulas os alunos demonstram interesse em discutir determinados trechos de textos ou imagens postadas aumentando o desempenho durante as avalia√ß√Ķes.

BeFunky-collage
Para aluna e bolsista do PCE, La√≠s Ferreira dos Santos, 3¬į ano do Ensino M√©dio, o projeto √© importante por tornar os conte√ļdos debatidos em sala de aula atrativos e digitais.

‚Äú√Č algo que nos ajuda n√£o apenas na aprendizagem em sala de aula, mas tamb√©m nos auxilia como preparat√≥rio para prestarmos o vestibular, pois os conte√ļdos postados tamb√©m s√£o relacionados a estes temas‚ÄĚ, informou.

A estudante, Thalia Aparecida dos Santos, do 2¬ļ ano do Ensino M√©dio, conta que a atividade proporciona estudar hist√≥ria de maneira diferente.

‚ÄúS√£o postados no grupo materiais que refor√ßam o estudo em sala de aula, tais como textos, imagem, v√≠deos e o pr√≥prio slide que o professor usa em sala de aula e faz com que o aluno adquira mais conhecimento por conta do celular est√° presente na vida dos jovens 24h por dia‚ÄĚ, disse.

J√° para Radyjia de Lima, do 2¬ļ ano do Ensino M√©dio, o projeto atrai os alunos por envolver a tecnologia no ensino. A estudante conta ainda que como alguns materiais s√£o enviados pelo celular quando n√£o est√° pr√≥xima dos livros fica mais f√°cil de ter o conte√ļdo a um toque da m√£o.

‚ÄúEsse projeto nos ajuda a estudar em v√°rios lugares diferentes, na escola, em casa. Com temos acesso mais f√°cil ao celular n√≥s podemos levar para v√°rios lugares e facilita o nosso aprendizado no dia a dia‚ÄĚ, contou.

Programa Ciência na Escola
O Programa Ci√™ncia na Escola (PCE) apoia a participa√ß√£o de professores e estudantes do 5¬ļ ao 9¬ļ ano do ensino fundamental, da 1¬™ √† 3¬™ s√©rie do ensino m√©dio e suas modalidades: Educa√ß√£o de Jovens e Adultos, Educa√ß√£o Escolar Ind√≠gena, Atendimento Educacional Espec√≠fico e Projeto Avan√ßar, em projetos de pesquisa a serem desenvolvidos em escolas p√ļblicas estaduais sediadas no Amazonas e municipal.

Lan√ßado no m√™s de mar√ßo, o programa conta com investimento de quase R$2,5 milh√Ķes para incentivar a aproxima√ß√£o da ci√™ncia no ambiente escolar, visando √† participa√ß√£o de professores e estudantes, por meio de projetos de Inicia√ß√£o Cient√≠fica Junior (ICT/JR).

Fonte: Departamento de Difus√£o do Conhecimento ‚Äď Decon

Coment√°rios