Proprietário da Ilha da Macacada esclarece que o grupo não compactua com a disseminação de conteúdo +18 e afirma já estar tomando atitudes para coibir o compartilhamento do vídeo

1438

Na manhã desta sexta-feira (13), sites nacionais compartilharam matérias repudiando a divulgação de um vídeo no qual uma menina de 12 anos aparece nua, dançando funk em um banheiro.

O vídeo ganhou notoriedade após ser compartilhado em grupos de Whatsapp e Facebook chamado “Baile no Aurora”.

Brasil Urgente / Reprodução

Rapidamente, o vídeo como um viral, passou para outro grupo muito popular no Facebook, o “Ilha da Macacada Aberta” e acabou se alastrando na madrugada desta sexta-feira.

Em contato com a redação, Samuel Rehbein, proprietário do grupo, informou que o grupo não tolera nenhum tipo de preconceito e conteúdo +18 e sempre buscam atender ainda mais as necessidades do grupo quanto ao convívio, buscando sempre o melhor para os frequentadores do grupo.

Samuel esclareceu também que a Ilha da Macacada foi criada em 2013 com o intuito de unir o público gamer. Entretanto, com o passar dos anos o grupo obteve um crescimento exponencial, acabando por misturar pessoas de vários estados, vários países e com gostos diferentes, além dos games.

Hoje em dia o foco do grupo é a interação entre os membros, compartilhando memes, pedindo conselhos, pautando e discutindo assuntos corriqueiros, etc.

Somando os 2 grupos principais  e mais os paralelos, já passa de 2 milhões e 500 mil pessoas o número de membros e atualmente há uma equipe de 31 pessoas administrando.

Proprietário da Ilha da Macacada esclarece que o grupo não compactua com a disseminação de conteúdo +18 e afirma já estar tomando atitudes para coibir o compartilhamento do vídeo
Usuários disseminaram o link do dropbox com o material contido.

A Ilha sempre teve regras de convívio justamente pra inibir comportamentos como esse.
É simples: quem desrespeita uma regra é banido e a postagem/compartilhamento/comentário que causou seu banimento é deletado automaticamente.

Infelizmente, nesse breve escopo entre a postagem fora das regras surgir e um staff apagar, as pessoas acabam presenciando o conteúdo da postagem e tiram uma conclusão equivocada do grupo.

Rehbein salientou ainda que os moderadores estão tendo trabalho redobrado nesse momento pra poder oprimir totalmente o compartilhamento desse vídeo em específico e que não irão parar até que isso termine por completo.

Ele acredita ainda que os responsáveis pelo Baile do Aurora também estão fazendo o mesmo.

Comentários