Reaprendendo a falar amazonês

722

Uma ONG amazonense desenvolve um projeto nas escolas amazonenses que leva ribeirinhos para a sala de aula com o objetivo de ensinar o vocabul√°rio amazonense para alunos de cinco (5) at√© quinze (15) anos de idade. O representante da ONG, o senhor Carlos Jorge afirma que a id√©ia de ensinar amazon√™s para os alunos das escolas p√ļblicas amazonenses veio quando seu filho mais velho, que tem dez (10) anos acabou de ver um filme e disse que o filme era massa.

Reaprendendo a falar amazonês
Reaprendendo a falar amazonês

“Esse filme √© massa v√©i! Eu fiquei cabrera, meu filho fala que nem um bossal do sudeste. Eu falei mermo, bonito pra tua cara n√©, tamanho um curuminz√£o, fica com essas marmotas de fora. Eu n√£o podia dar uma cipoada no menino n√©, ent√£o percebi que n√£o era s√≥ ele que falava assim. O povo da nova Manaux s√≥ quer ser o sulista, falar que nem o povo do sudeste, passar as f√©rias no nordeste. Ent√£o decidi criar esse projeto e levar ribeirinhos, aqueles bem cabuc√Ķes mermo. Temos que dar valor para as nossas origens, para a nossa cultura” – Completou Carlos.

Apenas os munic√≠pios de Manacapuru, Tabatinga e Parintins s√£o parceiros do projeto. Em Manaus a √ļnica escola parceira √© a Escola Estadual Maria Rodrigues Tapaj√≥s, que fica no bairro da Reden√ß√£o.

Mais informa√ß√Ķes acesse a p√°gina da ONG no facebook ou mande um email para: [email protected]

Coment√°rios