Reviravolta no caso Pesseghini : Parentes querem reabrir na OEA caso de garoto que matou a família

5466

No Brasil é assim, alguns casos policiais ficam tão famosos que viram notícia por vários dias ou até mesmo meses.

As pessoas ficam indignadas com alguns fatos que acontecem e o assunto mexe com a cabeça das pessoas. Um dos assuntos mais polêmicos das últimas décadas, o caso do garoto que foi acusado de matar o seus pais policiais, voltou à tona e está intrigando as pessoas. O suposto crime é nominado como o Caso Pesseghini e chocou o país inteiro.

Uma família de policiais foi encontrada sem vida na casa onde moravam na Vila Brasilândia, Zona Norte de São Paulo. Marcelo Pesseghini era o nome do garoto, que também foi encontrado morto, porém em outro lugar.

Loading...

Marcelo Pesseghini era o principal suspeito da morte da sua família toda. Segundo as autoridades, a melhor explicação para esse caso era que o garoto matou os seus familiares e depois se matou. Mas parece que tudo mudou.

Família Pesseghini / Divulgação
Família Pesseghini / Divulgação

 

Depois de 4 anos, o caso Pesseghini tem uma reviravolta

Já faz 4 anos que a família Pesseghini foi encontrada morta na Zona Norte de São Paulo e a dúvida sobre a culpa do menino nessa história ainda persiste. Muitas pessoas acreditam que Marcelo possa ser inocente, já outras pessoas acreditam que ele tem culpa de tudo. Os avós paternos não acreditam na possibilidade do garoto ser culpado e querem que ele seja inocentado de todas as acusações.

Decididos a mudar a imagem do garoto, eles resolveram levar o caso para a uma Organização dos Estados Americanos. A equipe americana descobriu que todos os vídeos que foram divulgados pelos policiais, na época, foram editados.

Os avós querem fazer justiça e vão lutar para provar a inocência do garoto.

Parentes querem reabrir na OEA caso de garoto que matou a família em 2013 / Divulgação
Parentes querem reabrir na OEA caso de garoto que matou a família em 2013 / Divulgação

Outros policiais poderiam ter matado os pais de Marcelo Perseghini

Segundo os peritos americanos, o vídeo que os policiais usaram para incriminar Marcelo foi modificado e uma parte das imagens teria desaparecido. O que eles levam em consideração é que poderia haver alguém no local na parte do vídeo que desapareceu. Ainda, segundo os peritos americanos, cerca de 42 segundos do vídeo foram removidos e esses segundos são o suficiente para alguém aparecer no vídeo.

O documento, revela que sumiram frames das filmagens que mostram Marcelo saindo do carro da mãe a caminho da escola. Além da ausência de alguns quadros, há ainda a repetição de outros. Em resumo: o relógio da câmera de segurança para durante um tempo e depois volta a funcionar.

Depois dessa reviravolta, a principal hipótese é que o menino pode ser inocente e que o verdadeiro culpado pelo crime é alguém que queria matar toda a família de Marcelo. Outra hipótese levantada é que esse alguém queria incriminar o garoto para se livrar da cadeia. No local onde a família foi morta, os moradores comentam que policiais podem ser os culpados.

O relatório foi feito por um perito particular norte-americano a pedido da advogada dos avós paternos do estudante, chamado de Marcelinho, que não acreditam que o neto matou a família e se suicidou.

Simulação da Família Pesseghini morta / Divulgação
Simulação da Família Pesseghini morta / Divulgação

Fontes : Blasting News / G1

Comentários

comentários