Home Colunas Marcus Pessoa Saiba quais são as principais diferenças históricas entre o Largo São Sebastião e o Calçadão de Copacabana e não erre mais!

Saiba quais são as principais diferenças históricas entre o Largo São Sebastião e o Calçadão de Copacabana e não erre mais!

2 min - tempo de leitura
248

E aí pessoal, tudo bem? Por anos os amazonenses se sentiram confrontados por cariocas que acreditam terem sido os primeiros a colocar calçadas em zig-zag sem nem conhecer a história. Nessa publicação, contextualizo e explico sobre as principais diferenças entre o Largo São Sebastião em Manaus e o Calçadão de Copacabana no Rio de Janeiro!

Antes de tudo, é preciso considerarmos que durante muitos anos as calçadas portuguesas foram marco de beleza e riqueza no mundo inteiro. Uma marca registrada da expansão portuguesa! Na cidade de Lisboa, por exemplo, existe a Praça de D. Pedro IV, mais conhecida por Praça do Rossio e o maior charme dessa praça é justamente as pedras em forma de zig-zag entre um claro e um escuro. Seu desenho foi escolhido para homenagear o encontro das águas doces do Rio Tejo com o Oceano Atlântico.

A calçada Portuguesa teve o seu início em meados do século XIX. Com uma tecnologia de construção e uma herança histórica semelhante aos mosaicos Romanos, a calçada é o tipo de pavimento mais usado em espaços públicos e principalmente em passeios, não só em Portugal mas também em países lusófonos (ex-colónias portuguesas).

Com a popularidade e o aperfeiçoamento, outros países lusófonos, como o Brasil, trouxeram essas formas para cá. Existem várias cidades que possuem, porém, focarei apenas na calçada manauara e na calçada carioca.

Praça do Rossio / Divulgação

Quando chega no Brasil, muitas das vezes tem quem diga que “Manaus copiou o Rio de Janeiro”. Isso não é verdade. Muitas das vezes as pessoas que falam isso, não falam por maldade, mas por pura ignorância.

É preciso esclarecer que durante o auge do ciclo econômico da borracha, Manaus se transformou em uma cidade moderna, com as mesmas benfeitorias que chegavam ao Rio de Janeiro, a então capital federal. Entre as benfeitorias, a calçada portuguesa que compõe o Largo São Sebastião.

A mesma conotação de encontro das águas aplicada em Lisboa é aplicada à Manaus, simbolizando o encontro dos rios Negro e Solimões. No Rio de Janeiro, a história é que a calçada de Copacabana faz referência às ondas do mar.

Em Manaus, a calçada do Largo São Sebastião foi finalizada em 1901, mas já estava planejada desde a década de 1880. O calçadão da orla da Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, foi inaugurado em 1905, portanto quatro anos depois do pavimento manauara.

Outra coisa é que no início, os desenhos eram diferentes, porém, na década de 1920, as águas do mar invadiram a orla e a calçada carioca foi destruída. Assim, o passeio foi reformado e redecorado, seguindo o modelo amazonense.

Então, sempre que você ver alguém falar que Manaus copiou o Rio de Janeiro, diga-o que isso não existe, além disso, por tratar-se e um estilo arquitetônico ‘da moda’, na época, hoje estes calçadões são pontos turísticos nas duas cidades “encontro das águas” ou “ondas do mar”‘ e dão o ar nostálgico e ao mesmo tempo contemporâneo a quem o passeia e sente esta similaridade.

Largo São Sebastião e Calçadão de Copacabana / Divulgação

Fonte : Marcus Pessoa

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Marcus Pessoa
Carregar Mais Em Marcus Pessoa

Deixe uma resposta

Leia Também

Pantanal está pegando fogo em proporções nunca registradas! Uma verdadeira tragédia pro Brasil e o mundo!

Nos primeiros sete meses deste ano, o principal rio do Pantanal, o rio Paraguai, atingiu o…