Segurança nas penitenciárias do Amazonas será reforçada e presos não terão visitas de fim de ano

151

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) retomou a “Operação Cerberus” como forma de prevenir rebeliões e evitar tumultos nos presídios durante o período festivo de fim de ano. Após dois anos do segundo maior massacre do país, que aconteceu no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e deixou 56 mortos na virada de 2016 para 2017, a Secretaria mantém ainda o esquema de reforço.

A Seap retoma a "Operação Cerberus" como forma de prevenir rebeliões e evitar tumultos nos presídios durante o período festivo de fim de ano. / Foto: Divulgação/Seap
A Secretaria de Administração Penitenciária retoma a “Operação Cerberus” como forma de prevenir rebeliões e evitar tumultos nos presídios durante o período festivo de fim de ano. / Foto: Divulgação/Seap

Os presos não irão receber visita no Natal e Reveillón e os detentos no Compaj estão em cumprimento de castigo, devido ao assassinato de um agente de socialização dentro da unidade. A operação está sendo realizada em conjunto com a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Polícia Militar (PM-AM) e Polícia Civil (PC-AM).

Operação surgiu em 2017
A “Operação Cerberus” foi criada em 2017 e tem se repetido em conjunto com a SSP-AM. Segundo o Secretário Executivo Adjunto da Seap, Major Lima Júnior, os presídios passam a contar com policiamento terrestre mais intenso, fluvial e monitoramento aéreo com sobrevoos diários de helicópteros, no qual as imagens são compartilhadas com o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC).

Fonte: Portal A Crítica

Comentários