Home Notícias Polícia Segurança nas penitenciárias do Amazonas será reforçada e presos não terão visitas de fim de ano

Segurança nas penitenciárias do Amazonas será reforçada e presos não terão visitas de fim de ano

1 min - tempo de leitura
18

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) retomou a “Operação Cerberus” como forma de prevenir rebeliões e evitar tumultos nos presídios durante o período festivo de fim de ano. Após dois anos do segundo maior massacre do país, que aconteceu no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e deixou 56 mortos na virada de 2016 para 2017, a Secretaria mantém ainda o esquema de reforço.

A Seap retoma a "Operação Cerberus" como forma de prevenir rebeliões e evitar tumultos nos presídios durante o período festivo de fim de ano. / Foto: Divulgação/Seap
A Secretaria de Administração Penitenciária retoma a “Operação Cerberus” como forma de prevenir rebeliões e evitar tumultos nos presídios durante o período festivo de fim de ano. / Foto: Divulgação/Seap

Os presos não irão receber visita no Natal e Reveillón e os detentos no Compaj estão em cumprimento de castigo, devido ao assassinato de um agente de socialização dentro da unidade. A operação está sendo realizada em conjunto com a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Polícia Militar (PM-AM) e Polícia Civil (PC-AM).

Operação surgiu em 2017
A “Operação Cerberus” foi criada em 2017 e tem se repetido em conjunto com a SSP-AM. Segundo o Secretário Executivo Adjunto da Seap, Major Lima Júnior, os presídios passam a contar com policiamento terrestre mais intenso, fluvial e monitoramento aéreo com sobrevoos diários de helicópteros, no qual as imagens são compartilhadas com o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC).

Fonte: Portal A Crítica

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Nickson Maciel
Carregar Mais Em Polícia

Deixe uma resposta

Leia Também

Família de João Alberto, morto no Carrefour, recusa 1ª proposta da loja por achar pouco o valor

Em novembro do ano passado João Alberto Silveira Freitas, cliente negro, morreu no estacio…