Home Notícias Brasil Sem oxigênio no AM, Governo Federal recorre de suspensão do Enem no Amazonas: “Dano irreparável para os estudantes”

Sem oxigênio no AM, Governo Federal recorre de suspensão do Enem no Amazonas: “Dano irreparável para os estudantes”

1 minutos lido
37

Nesta quinta-feira, 14, o Governo Federal, por meio da Advocacia-Geral da União (AGU), recorreu da decisão da Justiça Federal do Amazonas (AM) de suspender a aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no estado. Juiz definiu pela suspensão nessa quarta-feira, 13, devido à situação da Covid-19, que avança fortemente em solo amazonense. A AGU aponta que a não realização das provas causará “danos irreparáveis aos estudantes” e disse ainda que é possível que outras unidades da federação suspendam o exame, em um “efeito cascata”.

“Qualquer decisão que afete os procedimentos referentes ao cronograma do Enem refletirá nos cronogramas do Sisu, do Fies e do Prouni, resultando, necessariamente, em graves danos ao candidatos, a todas as instituições públicas e privadas envolvidas, e ao interesse público como um todo”, pontuou a AGU. As informações são do portal G1 Amazonas.

Na ação que suspendeu o Enem no AM, procuradores da República afirmam que a realização do exame no presente cenário seria o equivalente a aumentar a circulação do vírus causador da Covid-19, bem como “colocar os estudantes e suas famílias em risco aumentado”. O texto argumenta ainda que a manutenção da prova nos dias 17 e 24 de janeiro é uma atitude “ilícita” que contribui “para a sobrecarga e o colapso do já insuficiente sistema de saúde local”.

Juiz estipulou ainda uma multa no valor de R$ 100 mil por dia em caso do descumprimento da medida. O pedido foi aceito pelo juiz plantonista, magistrado Ricardo Augusto de Sales, segundo informações do Estadão e exige que a aplicação das provas no Amazonas fique suspensa até o término do estado de calamidade pública determinado pelo governador amazonense, Wilson Lima (PSC).

Covid-19 no Amazonas
O estado do Amazonas vive um cenário brutal diante da pandemia de Covid-19. Nos nove primeiros dias de janeiro, foram contabilizadas 1.542 internações pela doença, número que supera o total de hospitalizações registradas durante todo o mês de dezembro de 2020, quando 1.371 foram internadas com a doença. De acordo com o Ministério Público do estado, as unidades de atendimento à saúde já sinalizam um colapso do sistema, diante da grande demanda.

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Marcus Pessoa
Carregar Mais Em Brasil

Deixe uma resposta

Leia Também

Ministro do Meio Ambiente bate boca com com Anitta em rede social

Nesta quarta-feira (21), o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, discutiu com Anitta …