Home Notícias Amazonas Senhorinha recebe alta de Covid-19 em Hospital de Retaguarda da Nilton Lins

Senhorinha recebe alta de Covid-19 em Hospital de Retaguarda da Nilton Lins

3 min - tempo de leitura
377

A equipe médica do Hospital de Retaguarda da Nilton Lins concedeu, nesta terça-feira (21/04), a primeira alta médica para uma paciente de Covid-19 da unidade. A paciente, de 71 anos, foi a primeira a dar entrada no Hospital Nilton Lins na tarde do último sábado (18/04), encaminhada do SPA e Policlínica Danilo Corrêa. Após um total de 10 dias de tratamento, ela está recuperada e fora do período de transmissão do vírus.

“A paciente teve sete dias de tratamento em outra unidade e ficou mais três dias no Hospital Nilton Lins. Aqui ela ocupou inicialmente a sala de observação e depois um dos leitos clínicos. Todos os cuidados foram prestados, seguindo os devidos protocolos e o fluxo de atendimento”, destacou a subdiretora do Hospital de Retaguarda da Nilton Lins, tenente Adeagna Laborda.

O controle de pacientes que dão entrada no hospital é feito exclusivamente pelo Sistema de Regulação, que seleciona pacientes, por ordem de prioridade, para serem transferidos de outras unidades de saúde, como Unidades e Serviços de Pronto Atendimento (UPAs e SPAs).

“É importante enfatizar que somos um hospital de campanha e recebemos pacientes de média e alta complexidade. É feito o protocolo com cloroquina, eletrocardiograma e todos os procedimentos recomendados. Nossa intenção é sempre a recuperação do paciente, buscando desafogar, principalmente, os SPAs”, acrescentou a subdiretora.

Capacidade – A unidade começou a operar, inicialmente, com 66 leitos, sendo 16 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Atualmente 10 pacientes estão em leitos clínicos, dois estão na sala vermelha, quatro estão em observação na sala crítica e outros dois estão internados em leitos de UTI.

“O hospital está pronto para receber pacientes, conforme a demanda da regulação. Nossa maior preocupação nesse momento é que os pacientes que venham a ser transferidos estejam dentro dos critérios necessários e tenham condições de passar pelo procedimento de remoção, para garantir uma transferência segura”, frisou a subdiretora Adeagna Laborda.

O Governo do Estado continua o trabalho na busca de insumos e recursos humanos para alcançar a capacidade máxima da unidade, de 400 leitos.

FOTOS: Michell Mello / Secom

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Marcus Pessoa
Carregar Mais Em Amazonas

Deixe uma resposta

Leia Também

Passeata de Nicson Marreira em Tefé foi um circo do horror protagonizado por 5 mil pessoas entre elas, muitas crianças

No sábado (24), a cidade de Tefé, distante 523km de Manaus, testemunhou um verdadeiro circ…