Startup de Manaus se destaca por ideia revolucionária e fica em 1º lugar em evento da ‘Universidade do Vale do Silício’

81

Enquanto o mundo muda e as tecnologias evoluem, algumas startups  estão pensando em formas amplas para salvar as espécies e encontrando a curva entre desenvolvimento e sustentabilidade.

Na noite do último (25), os jurados do Demoday Startup Founder Nanodegree, ficaram surpresos com a apresentação da ideia do biólogo Rafael Sousa, de Manaus (AM). Rafael apresentou seu projeto direcionado aos piscicultores brasileiros e faturou o prêmio do evento, que reuniu startups de alunos da Udacity, conhecida como a Universidade do Vale do Silício.

Com sua ideia fora do comum, Rafael ganhou uma viagem ao Vale do Silício, nos Estados Unidos.

Rafael Sousa da startup Oi Peixe / Foto : Divulgação
Rafael Sousa da startup Oi Peixe / Foto : Divulgação

Seu projeto, o Oi Peixe, trata-se de um biossensor, similar a um teste de gravidez, que identifica doenças em peixes sem a necessidade de sacrificá-los. O diagnóstico é instantâneo e os dados são salvos na nuvem do aplicativo da Oi Peixe. Além disso, por meio de processamento de imagem, o app mostra o que o peixe tem e sugere as melhores soluções para tratá-lo. O biossensor já está sendo desenvolvido em cima do mestrado do estudante, que analisa a espécie Tambaqui, a segunda mais cultivada no Brasil.

“Colocamos o biossensor no peixe e conseguimos identificar determinadas proteínas. Após o diagnóstico, por processamento de imagem, o aplicativo envia dados para a nuvem a fim de gerar soluções para o cultivo de peixes. Esses produtos (aplicativo e biossensor) levam bem-estar animal à espécie através do compartilhamento de conhecimento especializado e monitoramento de sanidade para os piscicultores”, explica o jovem empreendedor de 25 anos.

Rafael Sousa da startup Oi Peixe / Foto : Divulgação
Rafael Sousa da startup Oi Peixe / Foto : Divulgação

O júri especialista era formado por Marco Poli (Top 3 Investidor Anjo Brasil), Alexandre Uehara (Consultor de inovação da Cia Makers), Daniel Vasserman (Startup Hunter da ACE Aceleratech) e Renata Zacarias (Head of growth da Udacity). A escolha dos ganhadores foram feitas com base nos seguintes critérios: oportunidade criada frente ao problema; mercado de atuação; modelo de negócio; e qualidade de apresentação. Na plateia estavam investidores e aceleradoras como ACE, Liga Ventures, Baita, LAB001, Weme e Startadora. Participaram ainda as startups Agenciou (RS), On Groups (RJ), Omfit (CE), CEC (SP), Dicomflow (PB), Tuuris.com (MG) e Node (RJ).

Carlos Souza, diretor-geral da Udacity para América Latina, fez um discurso motivador para quem deseja empreender no Brasil: “Veremos aqui pessoas de todos os cantos do país, com diferentes projetos e com potencial gigante para se destacar no mercado, além de mostrar que é possível criar uma empresa de forma totalmente online a partir de uma plataforma de ensino. Todos vocês, empreendedores, são os novos Ozires Silva, os descendentes de Santo Dumont”.

O curso Nanodegree Startup Founder teve duração de três meses e recebeu 600 inscrições. Foram selecionados 80 alunos de todas as regiões do Brasil que, durante o período, desenvolveram projetos práticos e tiveram seus trabalhos revisados por mentores para refinar e criar e refinar o plano de negócios das suas startups.

O biólogo Rafael Sousa, criador do Oi Peixe. Foto: Divulgação
O biólogo Rafael Sousa, criador do Oi Peixe. Foto: Divulgação

 

Com informações do site Startupi

Comentários