Suposto Tambaqui contaminado leva população para hospital em Manaus

269

Três pacientes deram entrada no Pronto-Socorro Delphina Rinaldi Abdel Aziz, na Zona Norte, no último dia 22, após comerem uma Caldeirada de Tambaqui. Relatando dores no corpo e mal estar, eles ficaram em observação e foram diagnosticados com rabdomiólise — uma síndrome provocada por uma toxina que causa a degeneração muscular e que pode acarretar em rápida insuficiência renal. A notícia criou pânico nas redes sociais, sobre uma possível epidemia da doença por conta de peixe contaminado.

Suposto Tambaqui contaminado leva população para hospital em Manaus
Suposto Tambaqui contaminado leva população para hospital em Manaus (Divulgação)


De acordo com mensagens compartilhadas entre usuários das redes sociais, como Whatsapp e Facebook, todos deveriam evitar o consumo da espécie regional por conta de um “surto” e que muitas pessoas teriam sido internadas nos últimos dias no mesmo hospital. Entretanto, o mesmo texto alerta sobre a impossibilidade de saber a origem do tambaqui que teria levado até mesmo mãe e filha ao hospital, assim como a suspeita de que a contaminação foi por meio de ingestão tucumã e queijo coalho.

Para a médica Débora Heidel, declarar que o tambaqui realmente foi o responsável pela intoxicação e resultou no desenvolvimento da síndrome seria muito precipitado. “Não posso dizer ‘não coma’. É um peixe regional que a população ingere diariamente. É complicado afirmar sem ter certeza”, declarou. “Isso iria criar um alerta, todos ficariam em pânico sem necessidade”, completou, ao ressaltar que houve um fato semelhante na capital amazonense, em 2008, porém, com outra espécie de peixe típico da região.

“Eu não participei do atendimento, mas houve 27 casos, naquela época. Porém, associaram a doença ao pacu e não foi comprovado. Não tem nem como falar sobre a existência de algum risco em consumir pacu ou tambaqui. Coincidentemente, elas tinham ingerido pacu, mas nada foi comprovado”, afirmou. Ela, inclusive, citou que a rabdomiólise tem várias causas, como vasos sanguíneos bloqueados, convulsão, correr uma maratona, doenças genéticas ou metabólicas e infecção viral.

Os sintomas mais comuns de rabdomiólise incluem fraqueza e dores musculares e urina escura. O dano muscular provoca inflamação, inchaço e fraqueza dos músculos afetados. A cor da urina fica escura devido à mioglobina e, em um primeiro momento, aparenta estar com sangue. Em caso de apresentar esses sinais, a médica intensivista recomenda que a pessoa procure atendimento médico imediatamente. Pode evoluir bem com hidratação venosa e repouso. Mas pode se tornar grave, ocasionando insuficiência renal”, explicou.

FVS deve se posicionar hoje

De acordo com a assessoria do Pronto-Socorro Delphina Rinaldi Abdel Aziz, um dos pacientes recebeu alta no dia seguinte, após ter o quadro estabilizado. Os outros dois foram transferidos para o Hospital Beneficente Portuguesa do Amazonas, no Centro — que tem leito de retaguarda para o Sistema Único de Saúde (SUS) — e estão em estado estável.

Em nota, declarou que “a equipe médica do PS Delphina Aziz destaca que, a causa mais frequente da rabdomiólise, está ligada à prática de exercícios físicos intensos, consumo de drogas e, no caso apresentado, por consumo de peixe, ainda não esclarecido o porquê”. Os nomes e idades das pessoas atendidas não foram divulgados.

Já o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) Manaus disse ter recebido quatro notificações de pessoas que foram internadas por intoxicação alimentar. Dentre elas, apenas uma havia consumido peixe. Eles informaram que investigam várias possibilidades e devem se posicionar hoje.

Sintomas

A rabdomiólise é uma síndrome provocada por uma toxina que causa a degeneração muscular e que pode acarretar uma rápida insuficiência renal. Os sintomas são mialgia (dores musculares), fraqueza, mal estar, rigidez muscular e urina escura. O dano muscular provoca inflamação, inchaço e fraqueza dos músculos afetados.informaram que investigam várias possibilidades e devem se posicionar hoje.

Parintins

No último dia 10, a comercialização de queijo coalho e de tucumã foi suspensa por tempo indeterminado em Parintins (a 325 quilômetros de Manaus). A decisão foi tomada pela Vigilância Sanitária do Município na segunda-feira, após 40 pessoas darem entrada em dois hospitais com sintomas de febre, vômito, diarreia e desmaio no dia anterior, após ingerir os alimentos durante um café da manhã em homenagem ao Dia dos Pais, em um hotel. Em 2013, nove pessoas, foram internadas depois de ter ingerido tucumãs. Na ocasião, uma estudante de 17 anos morreu.

Segundo relatos de populares, 3 itens podem ter acarretado a intoxicação: peixe de viveiro, condimentos inapropriados e mal cozido.
Ainda de acordo com populares, o peixe de viveiro está tupetado de hormônio, que segundo eles, tais substâncias maléficas para as pessoas.

Fonte: A Critica

Comentários

comentários

Loading...