Universidade do Novo M√©xico estuda levar produtos amaz√īnicos para vender nos EUA

132

A Ag√™ncia de Desenvolvimento Sustent√°vel do Amazonas (ADS) estuda levar produtos amaz√īnicos oriundos do setor prim√°rio para serem comercializados nos Estados Unidos (EUA). O assunto foi tratado, na manh√£ dessa quarta-feira (27), em reuni√£o, na sede da Ag√™ncia Amazonense de Desenvolvimento Econ√īmico e Social (Aades), que contou com a presen√ßa do professor da Universidade do Novo M√©xico, Ph.D em Filosofia, √°rea de estudo Econ√īmicos pela Universidade de Illinois em Urbana-Champaign (EUA), Raul Gouvea.

O professor destacou que o governo americano tem interesse em desenvolver projetos na Amaz√īnia, com apelo ambiental, sustent√°vel e de fomento da cadeia produtiva do Amazonas, a partir de parcerias governamentais e p√ļblico-privadas.

Uma das iniciativas apresentadas √© a de trazer alunos da universidade americana para o Amazonas, que possam ter contato com a realidade e os produtos amaz√īnicos e estudar meios de log√≠stica, armazenamento e transporte para que esses alimentos possam estar nas prateleiras do mercado exterior.

Foto: Divulgação/Internet
Foto: Divulgação/Internet

O presidente da ADS, Fl√°vio Antony Filho, destacou que esse interc√Ęmbio e essa nova janela que se abre possibilitam novos neg√≥cios, qualidade de vida e garantia de renda para os pequenos produtores do Estado. Fl√°vio Antony Filho destacou, ainda, que a descentraliza√ß√£o da economia, hoje voltada ao modelo da Zona Franca de Manaus, se faz necess√°ria.

‚ÄúTemos potencial para explorar e diversificar a economia do Estado a partir dos nossos produtos amaz√īnicos. A demanda por pescado do Amazonas, por exemplo, √© uma realidade em v√°rios pa√≠ses e firmar parceria com os Estados Unidos j√° √© o primeiro passo‚ÄĚ, ressaltou.

Segundo o professor Raul Gouvea, os Estados Unidos e a Europa apresentam uma grande demanda para adquirir frutas desidratadas. Ele ressalta que essa tamb√©m pode ser uma nova oportunidade de neg√≥cio, com a produ√ß√£o de frutas secas de origem amaz√īnica, de maior rentabilidade e alto valor adicionado.

Também participaram da reunião, o diretor técnico da AADES, Bráulio Lima; o diretor Administrativo Financeiro, Ezequiel Oliveira; representantes da Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror); Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf) e Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam).

Coment√°rios