Inicial Notícias Manaus Universitários do AM anunciam protesto contra corte de verbas

Universitários do AM anunciam protesto contra corte de verbas

A União Estadual dos Estudantes do Amazonas (UEE-AM) convocou os acadêmicos da rede pública de ensino superior do Estado para uma manifestação contra o corte de verbas das Universidades Federais brasileiras, anunciado pelo Ministério da Educação (MEC) no último mês. O ato será realizado no dia 15 de maio, no campus Senador Arthur Virgílio Filho da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), localizada na avenida Rodrigo Otávio, bairro Japiim, Zona Sul de Manaus.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

De acordo com o presidente da UEE, Lucas Pinheiro, a manifestação dos estudantes vai iniciar na Ufam e, durante o dia, vai se unificar com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam), além de outras centrais sindicais que se apresentam contra a Reforma da Previdência, no Centro de Manaus.

“Vamos ter uma reunião nesta segunda-feira (6) para realizar os últimos ajustes. Somos a favor da revogação do Projeto de Emenda Constitucional 95, para descongelar os investimentos voltados para educação. Essa discussão deve voltar para a Câmara Federal”, afirmou o acadêmico, acrescentando que a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) também vai estar presente no ato.

O deputado estadual do Partido Social Liberal do Amazonas (PSL-AM), Delegado Péricles, tem expectativa que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, tenha sensibilidade para lidar com cautela sobre as questões referentes à educação do Brasil. “O presidente está cumprindo mais uma promessa de campanha, que é investir na educação básica. No entanto, nesse primeiro momento, serão retirados recursos do ensino superior”, disse o deputado, acrescentando que vai estar atento às reformas.

Sobre o corte de verbas

No dia 30 de abril, o MEC noticiou o corte de 30% dos repasses de recursos federais. Inicialmente, foram congelados os recursos da Universidade de Brasília (Unb), da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade Federal da Bahia (UFB), mas após decisão do ministério, estendeu-se para todas as instituições federais de ensino superior do Brasil.

O  ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse em um pronunciamento que os recursos serão redirecionados à educação básica, uma das promessas de campanha do governo Bolsonaro. Ele argumentou que um acadêmico custa R$ 30mil reais por ano ao Estado e disse que os gastos de um aluno de pré-escola equivalem a R$3 mil. “Para cada aluno de graduação que eu coloco na faculdade, eu poderia trazer 10 crianças para uma creche. O que você faria no meu lugar?” argumentou o ministro.

*Com informações do Portal Em Tempo

Comentários

Carregue Mais Notícias Relacionadas
Comentários estão fechados.