Veja o que sobrou da casa do poeta Thiago de Mello, no Amazonas

641

Em meio a tragédia nacional que ocorreu com o Museu Nacional Da Quinta Da Boa Vista, e haja visto que hoje (05 de setembro) é um dia importante na história do Amazonas. Seria interessante levantar uma discussão sobre a preservação de patrimônio. O Amazonas nunca foi exemplo e preservação de patrimônio também.

O jornalista David Almeida tapou o nariz e entrou no que sobrou da casa do poeta Thiago de Mello, no Paraná do Ramos, em Barreirinha, supostamente tombada como patrimônio material do Estado.

Thiago de Mello, nascido em 1926 no estado do Amazonas, é o poeta mais representativo e célebre da Amazônia.

Ministro da Cultura do Estado do Amazonas e tem servido, em muitas ocasiões, em postos diplomáticos importantes em vários países, incluindo Chile e Bolívia.

Na fachada, os vidros acima das portas sempre abertas para a rua, permitem ver o rio do andar de cima. A sala é o espaço para receber visitas em redes e ensaiar o Jogral infantil. A mobília de jantar veio de um antiquário no Chile.

Não, não é pra rir nem pra chorar. É pra pensar.

 

 

Comentários