VÍDEO: Funcionário do IML é flagrado jogando roupas contaminadas em igarapé, em Manaus

1399

Após a perícia em cena de crime, um funcionário do Departamento de Polícia Técnico Científica (DPTC-AM) do Instituto Médico Legal (IML) é flagrado jogando as vestimentas de trabalho em igarapé, em Manaus.

O vídeo teria sido gravado em ocorrência no último dia 10 de fevereiro, no bairro Redenção, Zona Centro-Oeste da capital, quando o corpo de um homem foi encontrado em avançado estado de decomposição.

O vídeo teria sido gravado no último dia 10, no bairro Redenção. / Foto: Joana Queiroz/A Crítica
O vídeo teria sido gravado no último dia 10, no bairro Redenção. / Foto: Joana Queiroz/A Crítica

Em nota, o Departamento de Polícia Técnico-Científica do Amazonas (DPTC-AM) informou que vai tomar medidas administrativas quanto ao funcionário que descartou materiais de uso para procedimentos exclusivos ao trabalho de perícia, em um igarapé, e o caso será encaminhado a Corregedoria Geral do Sistema de Segurança Pública.

O diretor do DPTC, Lin Hung Cha, ressalta que este comportamento não coaduna com o perfil profissional da polícia científica e nem com os princípios de cidadania que regem a vida moderna. Os funcionários e terceirizados que trabalham para a polícia científica recebem todo o treinamento necessário ao uso e descarte correto dos matérias que são utilizados na realização dos procedimentos.

Segundo IML funcionário não é Perito

O Instituto Médico Legal divulgou uma nota dizendo que o Sindicato dos Peritos Oficiais do Amazonas (SINPOEAM) deixam claro que o homem não faz parte do quadro da perícia do Estado. Segundo o sindicato, o homem é um servidor terceirizado do IML.

Confira a nota na íntegra:
Diante da repercussão do vídeo que mostra um funcionário do Instituto Médico Legal (IML) descartando um macacão de proteção descartável para um uso em local de crime em um igarapé no bairro da Redenção, o Sindicato dos Peritos Oficiais do Amazonas (SINPOEAM) quer deixar claro que o homem em questão não faz parte dos quadros da perícia do Estado, ao contrário do que foi divulgado em alguns veículos de comunicação. Trata-se de um servidor terceirizado do IML.

É importante ressaltar que os Peritos sabem a importância do respeito ao meio ambiente, e conhecem todos os procedimentos necessários em local de crime, portanto, esse tipo de comportamento seria inaceitável para a nossa profissão. Esperamos que as informações divulgadas de forma equivocadas sejam corrigidas, para que este ato não manche a imagem de uma categoria de profissionais tão competente e dedicado quanto a dos Peritos Oficiais.

Confira o vídeo:

Comentários