Vídeo: Menina mexe a mão dentro do caixão e mãe se recusa a enterrá-la

4602

Uma mãe se recusou a enterrar a filha dada como morta há dois dias na cidade de Rio Largo, Região Metropolitana de Maceió.

Mesmo com o atestado de óbito e com a jovem dentro de um caixão, Teresa Cristina Mendes, de 48 anos, acreditava que a filha não havia morrido. A Polícia Civil foi acionada para averiguar o caso, pois a mãe afirmava que a filha tinha sinais vitais.

Corpo de jovem foi preparado para sepultamento em Rio Largo, AL, mas m√£e acredita que ela ainda est√° viva e se nega a enterr√°-la - Imagem: Suely Melo/G1
Corpo de jovem foi preparado para sepultamento em Rio Largo, AL, mas m√£e acredita que ela ainda est√° viva e se nega a enterr√°-la – Imagem: Suely Melo/G1

O delegado Manuel Wanderley Cavalcante foi ao local e pediu uma nova avaliação médica para confirmar a morte de Débora. O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML), em Maceió, que confirmou a morte da jovem no início da noite, após uma necropsia.

D√©bora Isis Mendes de Gouveia, 18 anos, deu entrada no Hospital Geral do Estado (HGE) no dia 6 de novembro com infec√ß√£o urin√°ria. O problema de sa√ļde se agravou e ela teve uma infec√ß√£o nos rins e precisou ser transferida.

No dia 8 de novembro, ela deu entrada no Hospital Vida, localizado na Jati√ļca. No dia 12, √†s 14h10, a jovem foi dada como morta. Na certid√£o de √≥bito consta que ela morreu devido a infec√ß√£o renal. Desde ent√£o, D√©bora Isis permaneceu dentro de um caix√£o e a fam√≠lia se negava a fazer o enterro.

A m√£e disse que a fam√≠lia tem hist√≥rico de catalepsia, um fen√īmeno que deixa a pessoa em um estado que pode ser confundido com a morte. Teresa afirmou que ela pr√≥pria j√° passou por isso, quando tinha dois anos.

Corpo de jovem foi preparado para sepultamento em Rio Largo, AL, mas m√£e acredita que ela ainda est√° viva e se nega a enterr√°-la - Imagem: Suely Melo/G1
Corpo de jovem foi preparado para sepultamento em Rio Largo, AL, mas m√£e acredita que ela ainda est√° viva e se nega a enterr√°-la – Imagem: Suely Melo/G1

O exame de necropsia feito pelo Instituto de Medicina Legal de Alagoas (IML) na ter√ßa-feira (14) comprovou a morte de D√©bora. Segundo a assessoria do IML, a necropsia confirmou que ela estava morta desde domingo, dia em que foi emitida a certid√£o de √≥bito. As causas da morte ainda est√£o sendo investigadas e v√£o constar em um laudo conclusivo que deve sair em at√© 10 dias √ļteis.

O enterro aconteceu na manhã de quarta (15), no Cemitério da Cachoeira, na cidade de Rio Largo.

Amigos e familiares criticaram o fato de Débora ter sido encaminhada ao IML ao invés das autoridades acionarem o Serviços de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) prestarem socorro a jovem.

Confira o vídeo, a partir do minuto 2:01 a jovem movimenta um dos dedos dentro do caixão:

 

Coment√°rios