Voto incompleto ou parcial é “fake news”, esclarece Justiça Eleitoral

93

A Justiça Eleitoral esclareceu o boato que tem circulado em vários grupos de WhatsApp informando sobre “voto incompleto ou parcial”.

Um boato está circulando nos grupos de Whatsapp, afirmando que se o eleitor não votar em todos os cargos políticos (Deputado estadual, federal, senador, governador e presidente), o seu voto será anulado. Porém a Justiça Eleitoral já esclareceu, e disse que está afirmação é falsa.

Confira na imagem abaixo:

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Trata-se de mais uma fake news. O eleitor pode votar em um candidato, em branco ou nulo para o cargo que quiser, não há nenhuma restrição para isso e não existe a figura do “voto parcial”.

Se houver alguma eventualidade (a pessoa passar mal, por exemplo) e o eleitor tiver votado apenas no primeiro cargo (deputado federal), o voto que ele tiver registrado será contabilizado normalmente e os demais que ele não registrar serão considerados nulos.

Ao teclar o “confirma”, se efetiva o registro de cada escolha feita pelo eleitor, seja para voto válido, nulo ou branco. De acordo com a Justiça Eleitoral, também pode acontecer, em casos muito raros, de uma urna “travar”. Nessas situações, o voto de um eleitor que estava na metade do procedimento, por exemplo, é reiniciado.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Comentários

Receba nossas atualizações em seu e-mail: