Inicial Notícias Manaus Wilson Lima anuncia auxílio-aluguel de R$ 600,00 para famílias do Monte Horebe até que moradias sejam definidas

Wilson Lima anuncia auxílio-aluguel de R$ 600,00 para famílias do Monte Horebe até que moradias sejam definidas

6 minuto de leitura
743

O governador do Amazonas, Wilson Lima, anunciou o pagamento de auxílio-aluguel, no valor de R$ 600, aos moradores que serão retirados da ocupação irregular Monte Horebe e a construção de complexo de segurança pública na área, localizada na zona norte de Manaus. O processo de desocupação teve início na manhã desta segunda-feira (02/03) e tem como prioridade o atendimento social das famílias que moram no local.

As forças de segurança chegaram ao local por volta das 6h e por volta das 8h, os moradores se encaminharam para as suas residências para que as equipes sociais pudessem iniciar o levantamento. As forças policiais permanecem no local para garantir a segurança das famílias e equipes sociais do Governo do Estado e Defensoria Pública (DPE-AM).

Governador também anunciou a construção de um complexo de segurança na área da ocupação irregular – Imagem: Divulgação

“Nós vamos pagar um valor de R$ 600 para essas famílias até que se encontre uma solução definitiva de moradia para elas; seja a doação de um lote, através de estudo se essa família tem ou não condição de fazer a construção de uma casa, seja através da entrega de um apartamento ou outra solução em consenso entre Governo do Estado e as famílias”, explicou o governador, durante entrevista coletiva antes da solenidade de posso do novo defensor público geral do Amazonas, Ricardo Paiva, no Tribunal de Contas do Estado (TCE).

A operação é resultado de meses de planejamento pelas forças de segurança do Estado e tem como diferencial o respeito à dignidade humana na retirada das famílias, que passarão por triagem com o objetivo de garantir soluções de moradia adequadas a cada caso.

“Nenhuma família que mora no Monte Horebe ficará desamparada. As famílias que estão morando naquela área, inclusive tiveram suas casas preservadas, aquelas casas onde havia famílias, objetos, foram preservadas. As estruturas que foram derrubadas eram estruturas que não havia nenhum tipo de habitação, nenhum objeto que caracterizava a moradia de alguém. Muitas dessas estruturas eram utilizadas pelo tráfico de drogas, usadas por oportunistas que trabalham nessa indústria da invasão e essas estruturas foram derrubadas”, destacou Wilson Lima.

“A nossa preocupação é desocupar aquela área, porque não tem condições das pessoas continuarem morando ali, porque não há as mínimas condições de sobrevivência, como energia elétrica, mobiliário urbano, assistência médica, educação”, completou.

Complexo de segurança – O governador ainda anunciou a construção de um complexo de segurança pública na área, que irá beneficiar também aos moradores do conjunto Viver Melhor.

“Então nós vamos desocupar aquela área para dar dignidade a essas pessoas e na sequência nós vamos dar uma destinação para aquela área. Ali vai ser montado pelo Governo do Estado um complexo de segurança pública, para dar tranquilidade para quem mora ali no Viver Melhor e começar a resolver definitivamente as ocupações irregulares que acontecem na zona norte da capital”, assegurou Wilson Lima.

Governador também anunciou a construção de um complexo de segurança na área da ocupação irregular – Imagem: Divulgação

Atendimento social para desocupação do Monte Horebe

Após atuação das forças de segurança, as equipes da área social do Estado já iniciam o trabalho de identificação das famílias, que serão direcionadas para o Colégio Militar da Polícia Militar VI, no Viver Melhor, onde farão o cadastro social que vai definir soluções de moradia.

As casas dos moradores que passarem pela triagem social só serão demolidas assim que definida e acordada a solução de moradia. Outras edificações não residenciais e aquelas que estão desocupadas serão demolidas hoje. O objetivo da ação é encaminhar a população que reside na área para moradia em condições dignas.

Governador também anunciou a construção de um complexo de segurança na área da ocupação irregular – Imagem: Divulgação

Atendimentos – A operação conta com efetivo de mais de 800 servidores, entre policiais e equipes de assistência social.

O plano de desocupação foi anunciado na última sexta-feira (28/02) em coletiva de imprensa convocada pelo Gabinete de Gestão Integrada (GGI) da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), com a coordenação do vice-governador, Carlos Almeida.

Entre os órgãos envolvidos estão as secretarias estaduais de Assistência Social (Seas), Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Meio Ambiente (Sema), Segurança Pública (SSP), Unidade de Gestora de Projetos Especiais (UGPE), Casa Civil, Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Superintendência Estadual de Habitação (Suhab), Polícia Militar, Polícia Civil, DPE-AM, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AM) e Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM).

O trabalho das forças de segurança tem como principal objetivo assegurar que as famílias tenham o atendimento adequado que será realizado pelas equipes sociais do Governo.

O atendimento social será realizado por 180 servidores, sob a coordenação da Seas, Sejusc, UGPE, Suhab e Defensoria Pública. Além disso, haverá apoio de servidores do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Secretaria de Cidades e Territórios (Sect), Sema, Ipaam e secretarias estaduais de Cultura e Economia Criativa, e de Educação e Desporto.

Representantes da OAB-AM e do MPE-AM também participaram das reuniões de planejamento da reintegração e foram convidados a participar da operação nesta segunda-feira.

Comentários

Carregue Mais Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta