Home Notícias Amazonas Wilson Lima lança programa ‘Amazonas Mais Verde’ para fortalecer o desenvolvimento sustentável no estado

Wilson Lima lança programa ‘Amazonas Mais Verde’ para fortalecer o desenvolvimento sustentável no estado

4 min - tempo de leitura
71

O governador Wilson Lima lança, nesta terça-feira (15/09), o programa “Amazonas Mais Verde”, que vai fortalecer o desenvolvimento econômico sustentável e o combate ao desmatamento e às queimadas, além de promover a regularização fundiária, em especial nos municípios do sul do estado e na Região Metropolitana de Manaus (RMM).

Com base no Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento e Queimadas do Amazonas (PPCDQ-AM), lançado pelo Governo do Amazonas no mês de junho, o programa terá duração de dois anos e envolverá o trabalho integrado entre diversas secretarias e órgãos estaduais.

Entre os objetivos do “Amazonas Mais Verde” está a implementação dos eixos definidos no PPCDQ-AM: ações de comando e controle; ordenamento territorial; e incentivo à bioeconomia. Para a execução do plano, o Amazonas investirá recursos na ordem de R$ 56 milhões, repatriados da Operação Lava Jato.

“Com o ‘Amazonas Mais Verde’, queremos descentralizar as políticas de desenvolvimento rural, focando em áreas críticas de desmatamento e queimadas ilegais no estado, hoje concentradas no sul do Amazonas e na Região Metropolitana de Manaus (RMM). Implementando o PPCDQ-AM, conseguiremos superar gargalos antigos de regularização fundiária e de fomento à bioeconomia, por exemplo”, afirma o governador Wilson Lima.

Integração – A ação será coordenada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti) e executada pela Secretaria do Meio Ambiente (Sema), Secretaria de Produção Rural (Sepror) e Secretaria das Cidades e Territórios (Sect).

Além das secretarias, o programa contará com o apoio de outros três órgãos estaduais: Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam) e Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM).

De acordo com o titular da Sema, Eduardo Taveira, a articulação entre os órgãos que compõem o Sistema Estadual de Meio Ambiente (Sema e Ipaam) vai fortalecer as ações de combate aos crimes ambientais, ao mesmo tempo que permitirá a unificação de agendas focadas no desenvolvimento socioeconômico de maneira sustentável.

“O programa promoverá a integração de atividades de inteligência, de regularização fundiária e ambiental nas áreas críticas de desmatamento no estado. Ou seja, a execução do ‘Amazonas Mais Verde’ é um grande passo para a efetivação de respostas de curto e longo prazo aos crimes ambientais”, destaca o secretário.

Para o secretário da Sedecti, Jório Veiga, o “Amazonas Mais Verde” é promissor porque também permite investimentos e acesso dos produtores à assistência técnica e arranjos agroflorestais eficientes.

“O acesso ao crédito e, portanto, a uma melhor produção com melhoria na qualidade de vida, aliado à conservação da floresta e proteção do clima, significa uma presença mais intensa do Estado, garantindo mais atenção e segurança aos que vivem nessa região”, avalia.

Frentes de trabalho – Para a execução do programa, as seis secretarias estaduais se agruparam em três equipes que atuarão a partir de Planos de Trabalho conjuntos, voltados para a prevenção, fiscalização e combate ao desmatamento e queimadas; promoção de atividades produtivas sustentáveis; e regularização fundiária.

O grupo 1, composto pela Sema, Ipaam e SSP-AM, vai dispor de R$ 30.053.120 para promover melhorias no sistema de monitoramento da cobertura vegetal no Amazonas, com aquisição de novos equipamentos e apoio à estruturação e treinamento das forças de segurança que atuam na prevenção e combate aos crimes ambientais.

Outro objetivo do grupo 1 é fortalecer as Secretarias Municipais de Meio Ambiente da RMM e dos municípios do sul do Amazonas, além de informatizar e descentralizar as atividades do Ipaam, agilizando os processos de licenciamento ambiental.

Sepror e Idam integram o grupo 2, que atuará para implantar a Rede de Proteção, Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável do Estado, por meio da prestação dos serviços de assistência técnica e extensão rural (Ater) aos agricultores familiares e produtores rurais; fomento à aquicultura e à implantação de Sistemas Agroflorestais; criação da Base de Dados Integrada (BDI) do Setor Primário, entre outras metas. Para o grupo, foi destinado o montante de R$ 7.839.844,41.

“O ‘Amazonas Mais Verde’ está totalmente conectado com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), estabelecidos pela ONU, e visa reduzir queimadas, desmatamento ilegal e também a pobreza, por meio de projetos agroflorestais e piscicultura sustentável para melhorar a renda dos agricultores familiares”, pontua o secretário da Sepror, Petrúcio Magalhães Júnior.

O grupo 3, composto pela Sect, contará com recursos de R$ 18.293.203,62 para modernizar a estrutura física e digital do órgão, o que ajudará a desburocratizar e agilizar os processos de regularização fundiária. Com segurança jurídica, os produtores do sul do estado e da RMM poderão ter acesso a crédito e outros benefícios, com aumento de produtividade e qualidade.

A meta é regularizar mais de 16 mil lotes. “Inicialmente, serão contempladas nove cidades do sul do estado: Novo Aripuanã, Manicoré, Humaitá, Canutama, Lábrea, Boca do Acre, Pauini, Envira e Eirunepé. Posteriormente, na Região Metropolitana de Manaus, serão seis cidades: Iranduba, Manacapuru, Novo Airão, Presidente Figueiredo, Itacoatiara e Itapiranga”, explica o titular da Sect, Ricardo Monteiro.

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Roger Siqueira
Carregar Mais Em Amazonas

Deixe uma resposta

Leia Também

Arcebispo emérito de Manaus, Dom Sérgio morre nesta quarta (3)

No início desta quarta-feira (3), faleceu na cidade de Manaus o arcebispo emérito de Manau…